Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/11922
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMelo, Francisco Erivan de Abreu-
dc.contributor.authorAraújo, Eduardo Barbosa-
dc.date.accessioned2015-05-07T14:48:41Z-
dc.date.available2015-05-07T14:48:41Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.citationARAÚJO, E. B. Hidrogeno tartarato de potássio sob condições extremas. 2010. 90 f. Dissertação (Mestrado em Física) - Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/11922-
dc.description.abstractPotassium Hydrogen Tartrate (KHT) crystals have been studied by Thermal Analysis − Differential Scanning Calorimetry (DSC) and Termogravimetric Analysis (TGA) − and Raman spectroscopy with variations of thermodynamical parameters in the spectral region 30−3400 cm−1. Tentative assignments have been made by comparison with similar compounds. In DSC studies the temperature range was 90−671 K while in TG studies 303−573 K and Raman spectroscopy 10-448 K. KHT is thermally stable up to 520 K when starts decomposing without fusion. High pressure studies (0.0−6.5 GPa) revealed evidence that the crystal undergoes two phase transitions, the first occurring at 2.4 GPa and the second at 6.3 GPa. Modes related to CO− 2 vibrations have shown a change on it’s behaviors at these pressure values. Both transitions were seen to be reversible.-
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectAltas pressõespt_BR
dc.subjectRamanpt_BR
dc.subjectTartaratopt_BR
dc.subjectFísica da matéria condensadapt_BR
dc.titleHidrogeno tartarato de potássio sob condições extremaspt_BR
dc.typeDissertationpt_BR
dc.description.abstract-ptbrCristais de hidrogeno tartarato de potássio (KHT) foram estudados por Análise Térmica – Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC) e Análise Termogravimétrica (TGA) – e espectroscopia Raman com a variação de parâmetros termodinâmicos na região espectral entre 30 e 3400 cm-1. A classificação dos modos foi feita com base em compostos similares. Os estudos de DSC foram realizados no intervalo de temperatura de 90 a 671 K enquanto os de TG entre 303 a 573 K. Os experimentos de espectroscopia Raman foram realizados entre as temperaturas de 10 a 448 K. Os resultados revelaram que o material apresenta uma estrutura termicamente estável durante todo o intervalo estudado até a sua decomposição (próxima a 520 K) que ocorre sem fusão. Os experimentos com altas pressões (0,0 a 6,5 GPa) revelaram indícios fortes de que o material sofre uma transição de fase próxima a 2,4 GPa e uma segunda transição próxima a 6,3 GPa. Mudanças na região dos modos da rede dão suporte à afirmação. Modos relacionados à unidade CO2- apresentaram mudanças em seu comportamento nesses valores de pressão. As mudanças ocorridas se mostraram reversíveis com a redução à pressão ambiente.pt_BR
Appears in Collections:DFI - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_dis_ebaraujo.pdf6,68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.