Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15109
Title in Portuguese: Mulheres negras, negras mulheres: ativismo na capital baiana – 1980-1991
Title: Black Women, Women Black: activism in the Bahia capital – 1980-1991
Author: Santos, Ana Cristina Conceição
Advisor(s): Silva, Joselina da
Keywords: Social movements
Organization
Black women
Ativistas políticas - Salvador (BA) - 1980-1991
Negras - Identidade racial - Salvador (BA) - 1980-1991
Movimentos sociais -Salvador (BA) - 1980-1991
Issue Date: 2015
Publisher: www.teses.ufc.br
Citation: SANTOS, Ana Cristina Conceição. Mulheres negras, negras mulheres: ativismo na capital baiana – 1980-1991. 2015. 185f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2015.
Abstract in Portuguese: A presente tese, intitulada Mulheres Negras, Negras Mulheres: ativismo na capital Baiana – 1980-1991, é o resultado da pesquisa junto ao Movimento de Mulheres Negras na cidade de Salvador (BA) com recorte temporal. O período escolhido deveu-se ao fato de ser a redemocratização do país, quando os movimentos sociais, em especial o movimento de mulheres negras, voltaram a ter visibilidade em suas ações. O objetivo principal foi estudar o movimento das mulheres negras em Salvador na década de 1980 e início dos anos de 1990 do século XX. A metodologia utilizada foi de natureza qualitativa com o propósito de interpretar os significados atribuídos por essas mulheres ao que se refere as opressões de raça-gênero-classe-sexualidade, de forma interseccional, e como vai se constituindo suas identidades no que concerne ser mulher negra ativista. Apresentamos como técnicas: entrevista semiestruturada com 6 ativistas soteropolitanas e 2 ativistas da cidade do Rio de janeiro, além de análise documental. Consideramos também os estudos desenvolvidos no campo da interseccionalidade, de modo a evidenciar que os marcadores identitários dessas mulheres as tornam mais vulneráveis e, ao mesmo tempo, as fortalecem enquanto coletivo, para o enfrentamento das opressões vivenciadas. Como resultado as entrevistadas comprovaram que há uma interseccionalidade nas sujeições que experimentam revelando que as histórias de vida da maioria das mulheres negras muito se assemelham ao que se refere a essas opressões, existe uma preocupação em empoderar outras mulheres negras; elas estavam atentas e atuantes aos acontecimentos em nível local e nacional e seus ativismos eram propositivos, ou seja, ultrapassavam o campo das denúncias indicando possibilidades para a construção de uma sociedade menos racista, machista, elitista e homofóbica.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15109
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGEB - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_tese_accsantos.pdf5,83 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.