Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16442
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorSousa, Francisco Edi de Oliveira-
dc.contributor.authorRodrigues, Natália Vasconcelos-
dc.date.accessioned2016-04-26T16:53:08Z-
dc.date.available2016-04-26T16:53:08Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier.citationRODRIGUES, N. V.; SOUSA, F. E. O. (2015)pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16442-
dc.descriptionRODRIGUES, Natália Vasconcelos. Dido e a viagem náutica na Eneida e na espístola 7 das Heroides. 2015. 93f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Letras, Fortaleza (CE), 2015.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherwww.teses.ufc.brpt_BR
dc.subjectPoetic genrept_BR
dc.subjectEpicpt_BR
dc.subjectGêneros literáriospt_BR
dc.subjectLiteratura épicapt_BR
dc.subjectPoesia épica latinapt_BR
dc.titleDido e a viagem náutica na Eneida e na espístola 7 das Heroidespt_BR
dc.typeDissertationpt_BR
dc.description.abstract-ptbrO presente estudo tem como objetivo a análise da personagem Dido e do tema da viagem náutica a partir de duas obras da poesia latina: a Eneida de Virgílio e as Heroides de Ovídio. O mito da rainha de Cartago e seu fim trágico como consequência de uma paixão desmedida por Eneias é um ponto convergente das duas obras. A personagem Dido, após a morte de seu marido, Siqueu, mantém-se fiel a ele, não se entregando a nenhum outro homem. Essa condição de viúva casta muda com a chegada de Eneias a Cartago. O romance de Eneias e Dido, na Eneida, acontece no canto 4 e chega às extremas consequências: a morte de Dido. Dialogando com essa versão épica de Virgílio, a história de Dido reaparece no seio da elegia: o desespero da rainha “abandonada” por Eneias ganha uma nova versão na carta 7 da obra Heroides de Ovídio. O poeta elegíaco se utiliza dos monólogos da fenícia, retirados do canto 4 da Eneida (v. 305-330; v. 365-387; v. 534-552 e v. 590-629) para compor a missiva de lamentos. Tanto na Eneida como nas Heroides percebemos que a viagem náutica incide diretamente no episódio de Dido: a chegada de Eneias a Cartago provoca o encontro amoroso, e a partida do herói que segue sua missão resulta na separação dos amantes. A personagem e a viagem náutica são abordadas de formas diferentes nos dois autores, os assuntos são adequados ao gênero e ao estilo de cada poema (grauis para a épica; humilis para a elegia amorosa). Investigaremos a apropriação feita por Virgílio e Ovídio do tema da viagem náutica: o primeiro em favor da épica, sendo essa uma temática essencial do gênero elevado; e o segundo em favor da elegia, utilizando a viagem em alto mar também como uma metáfora elegíaca. Examinaremos esse corpus com base na teoria dos gêneros e na análise da elocução dos dois textos, levando em consideração o processo alusivo como elemento de construção do texto ovidiano.pt_BR
dc.title.enDido and the nautical trip in the Aeneid and the letter of 7 Heroidespt_BR
Aparece nas coleções:PPGLE- Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_dis_nvrodrigues.pdf887,97 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.