Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1658
Título: Pescarias comerciais de lagostas com redes de espera, no Estado do Ceará (Brasil)
Autor(es): Paiva Filho, Djalma Lima
Alcantara Filho, Pedro de
Palavras-chave: Lagosta - Pesca - Ceará
Data do documento: 1975
Editor: Arquivos de Ciências do Mar
Citação: PAIVA FILHO, D. L.; ALCANTARA FILHO, P. de (1975)
Resumo: Os mais importantes recursos lagosteiros da costa atlântica da América do Sul se concentram nas águas costeiras do nordeste brasileiro, e passaram a ser explorados a partir de 1955 (Paiva et al., 1971), utilizando típicas embarcações da pesca artesanal, de baixo rendimento e raio de ação muito limitado, que operavam com covos (manzuás) isolados e jererés (Paiva, 1958 e 1965). No entanto, as pes carias sempre foram mais concentradas ao longo da costa do Estado do Ceará, e realizadas na metade externa da plataforma continental, em qualquer época do ano (Paiva, 1974). Posteriormente, aquelas embarcações primitivas foram sendo substituídas por outras, com características modernas, estabelecendo -se um acentuado processo de motorização, que permitiu maiores capturas de lagostas em frente ao Estado do Ceará (Costa, 1966e 1969). O covo é a armadilha utilizada para a captura de lagostas ao longo da costa cearense. Após as modificações impostas e a tentativa de introdução de novos tipos, o covo assumiu a forma hexagonal irregular, tendo armação de madeira, tela de arame e uma sanga (Costa & Albuquerque, 1966). A exploração lagosteira no nordeste brasileiro è normalmente praticada em fundos de algas calcáreas (Rhodophyceae), vulgarmen (1) - vulgarmente conhecidos como cascalho. Estes fundos ocorrem desde o Estado do Piauí ao Estado de Pernambuco, em profundidades a partir de 20 metros, até a borda da plataforma continental (Coutinho & Morais, 1970). A lagosta vermelha, Panulirus argus (Latreille), e a lagos_ta verde, Panulirus laevicauda (Latreille), são as únicas que têm importância comercial na região nordestina do Brasil, sendo que a primeira apresenta uma maior participação no total das capturas, Neste trabalho são apresentados os resultados de pescarias comerciais de lagostas, efetuadas com redes de espera, em frente ao Estado do Ceará, durante o ano de 1971. O material em que se baseia este trabalho foi obtido a partir de informações contidas nos mapas de bordo, distribuídos e coletados pela Superintendência do Desenvolvimento da Pesca, para o controle das pescarias de lagostas.
Descrição: PAIVA FILHO, Djalma Lima; ALCANTARA FILHO, Pedro de. Pescarias comerciais de lagostas com redes de espera, no Estado do Ceará (Brasil). Arquivos de Ciências do Mar. Fortaleza, v.15, n.1, p.41-44, jun. 1975.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1658
Aparece nas coleções:LABOMAR - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1975_art_lpaivafilho.pdf227,73 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.