Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17286
Título: Os limites da solidão e do medo nos romances de José Cardoso Pires
Autor(es): D'ALGE, Carlos
Palavras-chave: Solidão e Medo
Neo-realismo
Romance
Data do documento: 1982
Editor: Revista de Letras
Citação: D'ALGE, C. (1982)
Resumo: Alves Redol, Manuel da Fonseca, Fernando Namora e José Cardoso Pires, são os nomes mais identificados, no Brasil, com o neo-realismo português. Sem dúvida, entre eles, o mais comprometido com essa forma de narrar foi Alves Redol. Entretanto, e mesmo porque, infelizmente, Alves Redol nos deixou, os seus companheiros, ao longo destes anos, sem romper com o inventário crítico da sociedade portuguesa, libertaram- se de certa standartização do romance neo-realista. Nessa libertação e superação de modelos, e/ ou estereótipos, situa-se a ficção de José Cardoso Pires, notadamente a partir de O Hóspede de Job, romance com que conquistou, em 1964, o Prêmio Camilo Castelo Branco. Nessa data até ao presente, José Cardoso Pires escreveu mais dois romances: O Delfim, de 1968, e Balada da Praia dos Cães, de 1983. Dedicou- se ainda à crônica e ao memorialismo em E agora, José? de 1977, à sátira política em Dinossauro Excelentíssímo, de 1972, e ao teatro em Corpo-delito numa sala de Espelhos, de 1980.
Descrição: D'ALGE, Carlos. Os limites da solidão e do medo nos romances de José Cardoso Pires. Rev. de Letras, Fortaleza, v. 5, n. 2, p. 1-5, jul./dez. 1982.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17286
ISSN: 0101-8051
Aparece nas coleções:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1982_art_Cd'Alge.pdf453,22 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.