Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19155
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSaraiva, José Américo Bezerra-
dc.date.accessioned2016-08-18T15:04:08Z-
dc.date.available2016-08-18T15:04:08Z-
dc.date.issued2011-
dc.identifier.citationSaraiva, J. A. B. (2011)pt_BR
dc.identifier.issn1980-4016-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19155-
dc.descriptionSARAIVA, José Américo Bezerra. Sol: uma figura em disputa. Estudos Semióticos, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 1-9, jun. 2011.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherEstudos Semióticospt_BR
dc.subjectPolêmicapt_BR
dc.subjectPosicionamento enunciativopt_BR
dc.subjectFigurapt_BR
dc.subjectSolpt_BR
dc.titleSol: uma figura em disputapt_BR
dc.typeArtigo de Periódicopt_BR
dc.description.abstract-ptbrUm diálogo de teor polêmico se instaura entre as canções “Fotografia 3x4”, de Belchior, e “Alegria, alegria”, de Caetano Veloso. A primeira permite acompanhar as fases do percurso de um migrante e as relações que este entretém com a sua principal instância doadora de valores, o sujeito tropicalista. Em função deste diálogo é que parece justificar-se a aspectualização do processo migratório em termos de ímpeto para migrar, frustração do migrante e posterior desejo de retornar à terra de origem ou resistir no espaço do outro, combatendo-o. As reações do sujeito de “Fotografia 3x4” ao vivido devem então ser pensadas no quadro geral do contrato fiduciário que anima sua trajetória de migrante. Cada fase desta trajetória parece prestar contas a este contrato, isto é, parece repor ou questionar as bases do contrato fiduciário a partir do qual tanto o ser quanto o fazer do sujeito de “Fotografia 3x4” se veem determinados. Evidência disto é o estatuto narrativo ambivalente que a figura “sol” manifesta naquelas duas canções, ora se apresentando revestida com valor eufórico, ora com valor disfórico. Neste artigo, pretendemos examinar como a figura “sol” recobre temas diversos, desempenha papeis narrativos variados e realiza valores contrários e/ou contraditórios nas duas canções em foco. Mostramos que o modo de tratá-la em discurso define posicionamentos enunciativos que se encontram numa relação dialógica de caráter altamente polêmico.pt_BR
Appears in Collections:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2011_art_jabsaraiva.pdf134,3 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.