Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20248
Título: A influência da memória episódica na compreensão de expressões idiomáticas relacionadas com a violência
Autor(es): Martins, Vicente de Paula da Silva
Monteiro-Plantin, Rosemeire Selma
Palavras-chave: Fraseologia
Memória episódica
Data do documento: 2012
Editor: Congresso Linguística e Cognição
Citação: Martins, V. P. S.; Monteiro-Plantin, R. S. (2012)
Resumo: As crianças, durante o processo de aquisição da linguagem, aprendem e memorizam formas simbólicas de violência através de palavras, frases e fraseologias de sua língua materna. Na fase adulta, recorremos, graças à memória episódica, às expressões idiomáticas em diversos contextos de uso da língua. Como os adultos, então, interpretam as expressões idiomáticas? Que tipo de compreensão as crianças, na primeira infância, têm das expressões idiomáticas do tipo “chutar o pau da barraca”, “entrar no pau”, “meter o pau (em)” e “mostrar com quantos paus se faz uma canoa”? O presente artigo procura responder a estas indagações que inquietam educadores, psicólogos e pais. Dados coletados da fraseologia popular apontam que os significados dados às expressões idiomáticas não são arbitrários, mas têm base metafórica que decorre de esquemas de imagens e movimentos que emergem a partir de nossas experiências corpóreas armazenadas em nossa memória episódica...
Descrição: MARTINS, Vicente de Paula da Silva; MONTEIRO-PLANTIN, Rosemeire Selma. A influência da memória episódica na compreensão de expressões idiomáticas relacionadas com a violência. In: CONGRESSO LINGUÍSTICA E COGNIÇÃO, 5., 2012, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2012, p. 147-154.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/20248
Aparece nas coleções:DLV - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_eve_vmartins.pdf680,9 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.