Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22073
Título: Influência da massa molar na biocompatibilidade de membranas de quitosana em tecido subcutâneo de ratos
Título em inglês: Influence of the molar mass on the biocompatibility of chitosan membranes in the subcutaneous tissue of rats
Autor(es): Ribeiro, José Carlos Viana
Orientador(es): Lima , Vilma de
Palavras-chave: Materiais Biocompatíveis
Quitosana
Regeneração Tecidual Guiada
Engenharia Tecidual
Data do documento: 31-Jan-2017
Citação: RIBEIRO, J. C. V. ; LIMA, V. (2017)
Resumo: A engenharia tecidual fundamenta-se na aplicação de conceitos da ciência dos materiais e da medicina regenerativa no intuito de desenvolver biomateriais capazes de reconstruir ou regenerar tecidos danificados. Neste sentido, a quitosana (QS) tem despertado grande interesse para regeneração tecidual, por suas alegadas propriedades de biocompatibilidade, bioatividade e facilidade de modificação de sua estrutura química. A QS é um polissacarídeo de origem natural, obtido a partir da quitina, uma fonte abundante e renovável. Apresenta grande variabilidade em suas principais características químicas como a massa molar (MM) e o grau de desacetilação (GD), que podem influenciar suas propriedades físicas e biológicas. Inúmeros estudos têm investigado seu uso como material de arcabouço (scaffold) na regeneração de diversos tipos de tecido, inclusive tecido ósseo e periodontal. No entanto, poucos estudos se referem à possível influência da MM da QS sobre sua biocompatibilidade in vivo, sendo este aspecto ainda não elucidado. O presente trabalho tem como objetivo investigar a biocompatibilidade e a bioatividade de membranas de QS de diferentes MMs quando implantadas no tecido subcutâneo de ratos. Membranas de QS de alto peso molecular (QS-APM) e baixo peso molecular (QS-BPM) foram caracterizadas quimicamente para determinar sua MM por cromatografia de permeação em gel (GPC) e seu GD por titulação potenciométrica. Em seguida, foram inseridas no tecido conjuntivo subcutâneo do dorso de 24 animais e comparadas com um controle positivo de carragenina-lambda (CG) e um controle negativo. A biocompatibilidade foi avaliada por análises histológicas do infiltrado inflamatório leucocitário, formação de tecido de granulação e formação de tecido conjuntivo fibroso após 1, 7, 14 e 28 dias. A bioatividade foi avaliada por análises imunohistoquímicas para identificar a expressão do fator de transcrição nuclear NF-κΒ e do fator de crescimento de fibroblastos FGF-2, que são proteínas envolvidas no processo de inflamação e reparo tecidual. Os resultados mostraram que as membranas de quitosana induziram infiltrado leucocitário semelhante ao controle após 7, 14 e 28 dias e inferior ao controle positivo. A QS-BPM induziu maior formação de tecido de granulação e tecido conjuntivo fibroso que a QS-APM aos 7 e 14 dias e que a CG aos 7, 14 e 28 dias e mostrou atividade inibitória sobre o NF-κΒ aos 7 dias. A QS-BPM ainda demonstrou maior atividade estimulatória sobre o FGF-2 que a QS-APM no primeiro dia. Os resultados sugerem que a QS-BPM induziu menor resposta inflamatória e favoreceu uma regeneração mais rápida do tecido conjuntivo que a QS-APM, embora ambas tenham se mostrado biocompatíveis. Pode-se concluir que a MM influenciou a biocompatibilidade e bioatividade da QS in vivo e essa característica deve ser considerada ao se desenvolver e investigar scaffolds à base de QS para regeneração tecidual. As membranas de quitosana avaliadas apresentam potencial de aplicação em regeneração tecidual guiada.
Abstract: Tissue engineering is based on the application of concepts from materials science and regenerative medicine with the aim of developing biomaterials capable of reconstructing or regenerating damaged tissue. In this context, chitosan (CS) has aroused a great deal of interest as one such biomaterial on account of its alleged properties of biocompatibility, bioactivity and the ease with which its chemical structure may be modified. CS is a naturally occurring polysaccharide obtained from chitin, an abundant and renewable source. It demonstrates great variability in terms of its main chemical characteristics, such as molar mass (MM) and the degree of deacetylation (DD), which may have an impact on its physical and biological properties. Numerous studies have investigated its use as a scaffold material in the regeneration of various types of tissue, including bone and periodontal tissues. However, few studies have related the possible influence of the MM of CS on its biocompatibility in vivo; this aspect still has not been clarified. The aim of the present study is to investigate the biocompatibility and bioactivity of CS membranes of different MM when implanted in the subcutaneous tissue of rats. CS membranes with a high molecular weight (HMW-CS) and low molecular weight (LMW-CS) were chemically characterized to determine their MM via gel permeation chromatography (GPC) and DD via potentiometric titration. Next, they were inserted into the subcutaneous conjunctive tissue in the backs of 24 animals and compared to a positive λ-carrageenan(Cg) control and a negative control. Biocompatibility was evaluated through histological analyses of the inflammatory leukocyte infiltrate, formation of granulation tissue and of fibrous conjunctive tissue, after 1, 7, 14 and 28 days. Bioactivity was investigated through immunohistochemical analyses carried out to identify the expression of the nuclear transcription factor NF-κΒ and the fibroblast growth factor FGF-2, which are proteins involved in the process of inflammation and tissue repair. The results showed that the chitosan membranes induced leukocyte infiltrate similar to the control after 7, 14 and 28 days, but lower than in the positive control. The LMW-CS induced a greater formation of granulation tissue and fibrous conjunctive tissue than HMW-CS, after 7 and 14 days, and than Cg after 7, 14 and 28 days, and showed inhibitory action on NF-κΒ at day 7. LMW-CS also showed a greater stimulatory effect than HMW-CS at day 1. The results suggest that LMW-CS induced a lower inflammatory response and promoted a faster regeneration of conjunctive tissue than HMW-CS, though both were found to be biocompatible. It may be concluded that MM influenced CS biocompatibility in vivo and this characteristic should be taken into consideration when developing and investigating CS-based scaffolds for tissue regeneration. The evaluated CS membranes presents a potential application for guided tissue regeneration.
Descrição: RIBEIRO, J. C. V. Influência da massa molar na biocompatibilidade de membranas de quitosana em tecido subcutâneo de ratos. 2017. 103 f. Tese (Doutorado em Odontologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22073
Aparece nas coleções:DCOD - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_tese_jcvribeiro.pdf5,31 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.