Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24382
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSantos, Walberto Silva dos-
dc.contributor.authorHolanda, Leonardo Carneiro-
dc.date.accessioned2017-07-27T16:11:01Z-
dc.date.available2017-07-27T16:11:01Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationHolanda, L. C.; Santos, W. S. (2017)pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24382-
dc.descriptionHOLANDA, Leonardo Carneiro. Consequências emocionais, cognitivas e comportamentais da vitimização por roubo. 2017. 116f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Fortaleza (CE), 2017.pt_BR
dc.description.abstractThe term mugging is used in the everyday referring to the action of one or more individuals, commonly armed, who approach other people to steal their property. Although this term is not used in the Brazilian Penal Code, there is an expected penalty for the crime of robbery, whose description is similar to the definition of mugging and differs from the crime of theft. Robbery is more serious because it presupposes the use of force, which can lead to death. In addition, damages resulting from a robbery restrict the ability of individuals to properly exercise various roles, such as parental, marital and occupational, resulting in significant impairment in interpersonal relationships in various settings, such as family, school, and work. In view of these elements, the present study has as main objective to evaluate the cognitive, emotional and behavioral outcomes of robbery victimization. Specifically, it is expected to estimate if and which specific situational variables contribute to greater sequelae in the victims and to evaluate to what extent the attenuating and aggravating factors pointed out in the literature are relevant in the local context. In order to achieve the proposed objectives, two empirical studies were carried out: Study I compared victims and non-victims with regard to factors identified as possible complications of crime, while Study II assessed the individual impact of specific contextual variables in the various sequelae and the specific effect of mitigating factors. As a result, it can be observed in Study 1 that victims and non-victims differed in terms of anxiety, fear of crime, perceptions of vulnerability and self-efficacy, and the taking of some protective measures. In Study 2, it was observed that only Control and Retraining, Conversion, Addiction strategies presented a relation with the analyzed impacts. Social Support was not related to the consequences of the robbery. These results were discussed based on the literature. It is considered that the objectives of this dissertation have been reached since it was possible to analyze the impacts of robbery victimization and its correlates that are more prominent in the literature. However, it is possible to point out some limitations in the research, such as the reduced size of the sample and the quality of some measures used. For future research, we suggest the use of larger samples, besides the previous adaptation of the scales to local context and the realization of longitudinal studies.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectVítimas de Crime - psicologiapt_BR
dc.subjectVítimas de Crime - Impacto Psicossocialpt_BR
dc.subjectVítimas de Crime - complicações e sequelaspt_BR
dc.subjectBehavioral Consequencespt_BR
dc.subjectVictimpt_BR
dc.titleConsequências emocionais, cognitivas e comportamentais da vitimização por roubopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.abstract-ptbrO termo “assalto” é usado no cotidiano referindo-se à ação de um ou mais indivíduos, comumente armados, que abordam outras pessoas para roubar os seus bens. Embora esse termo não seja empregado no Código Penal Brasileiro, há sanção prevista para o crime de roubo, cuja descrição é similar à definição de assalto. O roubo apresenta uma considerável gravidade por pressupor o uso da força, podendo levar as vítimas a óbito. Além disso, danos decorrentes de um roubo restringem a capacidade dos indivíduos de exercer adequadamente diversos papéis, como o parental, conjugal e ocupacional, acarretando em prejuízos significativos nas relações interpessoais em diversos ambientes, tais como familiar, escolar e laboral. Em face desses elementos, o presente estudo tem como principal objetivo avaliar o impacto cognitivo, emocional e comportamental da vitimização por roubo. Especificamente, espera-se estimar se e quais variáveis situacionais específicas contribuem para maiores sequelas nas vítimas e avaliar em que medida os fatores protetivos e agravantes, apontados pela literatura, apresentam relevância em contexto local. Para alcançar os objetivos propostos, foram realizados dois estudos empíricos. Nesses estudos, contou-se com a participação de 348 pessoas de diversos estados do Brasil. O Estudo I comparou vítimas e não-vítimas no que se refere aos fatores apontados como possíveis complicações decorrentes do crime, enquanto o Estudo II avaliou o impacto individual de variáveis contextuais específicas nas diversas sequelas decorrentes do crime e o efeito específico dos fatores protetivos. Como resultado, pode-se observar, no Estudo I, que as vítimas e não-vítimas se diferenciaram quanto a ansiedade, medo do crime, percepções de vulnerabilidade e autoeficácia, além da tomada de algumas medidas de proteção. No Estudo II, observou-se que somente as estratégias de Controle e Retraimento, Conversão e Aditividade apresentaram relação com os impactos analisados. O Suporte Social não apresentou qualquer relação com as consequências do roubo. Tais resultados foram discutidos com base na literatura. Considera-se que os objetivos da presente dissertação tenham sido alcançados uma vez que foi possível analisar os impactos decorrentes da vitimização por roubo e seus correlatos que apresentam mais destaque na literatura. Contudo, pode-se apontar algumas limitações na pesquisa, como a dimensão reduzida da amostra e qualidade de algumas medidas utilizadas. Para pesquisas futuras, sugere-se a utilização de amostras maiores, além da adaptação prévia das escalas para contexto local e a realização de estudos longitudinais.pt_BR
dc.title.enEmotional, cognitive and behavioral outcomes of robbery victimizationpt_BR
Appears in Collections:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_dis_lcholanda.pdf1,27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.