Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/35011
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMafezoli , Jair-
dc.contributor.authorTeixeira, Damodara Barbosa Vieira-
dc.date.accessioned2018-08-23T13:12:29Z-
dc.date.available2018-08-23T13:12:29Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.citationTEIXEIRA D. B. V. (2018)pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/35011-
dc.descriptionTEIXEIRA, Damodara Barbosa Vieira. Identificação dos alcalóides piperidínicos da Prosopis Juliflora oriunda de Petrolina - PE por UPLC-QTOF-MS. 2018. 63 f. Monografia (Graduação em Química Bacharelado)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.pt_BR
dc.description.abstractThe Prosopis juliflora or algaroba, as known in Brazil, is a plant that belongs to the Leguminose family, and it comes from South America countries. It was introduced to Brazil’s northeast, in the 40’s, due its high resistance against the drought, capacity of reforestation, and use of its pods as animal’s supplementary food. However, despite its characteristics and diverse uses, the species is also the cause of certain preoccupation, because it can cause environmental imbalance once it is an exotic species in a different environment; which characterizes it as an invasive species. Beside the previous aspects, the P. juliflora contains a type of organic substances that are plants’ secondary metabolites: alkaloids. The plants’ piperidine alkaloids are the supposed causers of the disease “cara torta”. The disease worries cattle producers who, in Brazil’s northeast, feed the cattle with the plants’ pods. This paper tried to perform the extraction of such substances from the leaves of the plant through liquid-liquid extraction. The extract obtained was analyzed through the UPLC-QTOF-MS technique; it permitted not only the identification of six alkaloids that had already been reported of the species, but also four alkaloids that had not been reported of the P. juliflora. Although, they were present in one species of the same family (Leguminosae): Cassia spectabilis. Besides that, the paper sought to isolate the alkaloids identified by HPLC and to perform the identification of each fraction. The register of the extract to the extratotal was also done in order to make the data useful for Embrapa Agroindústria Tropical.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectAlgarobapt_BR
dc.subjectAlcalóides piperidínicospt_BR
dc.subjectProsopis juliflorapt_BR
dc.titleIdentificação dos alcalóides piperidínicos da Prosopis Juliflora oriunda de Petrolina - PE por UPLC-QTOF-MSpt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.contributor.co-advisorBrito, Edy Sousa de-
dc.description.abstract-ptbrA Prosopis juliflora ou algaroba, como é conhecida no Brasil, é uma planta pertencente à família Leguminosae e oriunda de países da América do Sul. Introduzida no nordeste brasileiro na década de 40 devido a sua alta resistência a estiagem, capacidade de reflorestamento e uso das suas vagens como suplemento para alimentação animal. Porém, apesar de suas características e seus diversos usos, a espécie também causa uma certa preocupação, pois a algaroba pode causar desequilíbrio ambiental por ser uma espécie exótica em outros ambientes, o que caracteriza invasão biológica. Além dos aspectos citados anteriormente, a P. juliflora contém uma classe de substâncias orgânicas que são metabólitos secundários das plantas: alcalóides. Os alcalóides piperidínicos da planta são os supostos causadores da doença da “cara torta” que preocupa os produtores bovinos na região do Nordeste do Brasil que alimentam o gado com as vagens da planta. Este trabalho buscou realizar a extração dessas substâncias a partir das folhas da planta por extração líquido-líquido. O extrato obtido foi analisado pela técnica UPLC-QTOF-MS e permitiu a identificação de seis alcalóides já reportados pela espécie, mas também quatro alcalóides até então não reportados para P. juliflora, mas presentes em uma espécie da mesma família (Leguminosae): Cassia spectabilis. Além disso, buscou-se isolar os alcalóides identificados por HPLC e realizar a identificação de cada fração. O cadastro do extrato para extratoteca também foi realizado para que os dados sejam de posterior utilidade para a Embrapa Agroindústria Tropical.pt_BR
Appears in Collections:QUÍMICA - BACHARELADO - Monografias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_tcc_dbvteixeira.pdf3,17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.