Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36163
Título em portugués: A naturalização da psicologia na saúde: uma arqueogenealogia das práticas psicológicas na saúde pública brasileira
Título em inglés: The naturalization of psychology in health: an archaeogenealogy of the psychological practices in the brazilian public health
Autor: Siebra, Adolfo Jesiel
Tutor(es): Benevides, Pablo Severiano
Palabras clave : Arqueogenealogia
História da psicologia
Práticas psicológicas
Políticas públicas
Saúde pública
Archeogenealogy
History of psychology
Psychological practices
Health practices
Public health
Fecha de publicación : 2018
Citación : SIEBRA, Adolfo Jesiel. A naturalização da psicologia na saúde: uma arqueogenealogia das práticas psicológicas na saúde pública brasileira. 2018. 162f. - Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Fortaleza (CE), 2018.
Resumen en portugués: Essa dissertação aborda arqueogenealogicamente, a partir da perspectiva histórico-filosófica dos saberes e das práticas, tal como apontada por Michel Foucault, a relação entre as práticas psicológicas e as práticas em saúde no contexto brasileiro. Se, em nossa atualidade, existe certa discursividade no interior do campo psicológico com esse estatuto ambíguo, sendo concebida, ao mesmo tempo, enquanto uma prática psicológica e de saúde, consideramos que, menos que decorrente de um refinamento teórico, tal processo é tributário de mecanismos de poder em pleno exercício que repetem, incitam, aproximam enunciados, tornando-os, se não inseparáveis, ao menos um resultado inevitável ou fatalmente incontornável do suposto progresso científico. Dessa forma, o escopo desse estudo consiste em examinar que condições (discursivas e não discursivas) tornaram possível a irrupção desse novo arranjo nas práticas psicológicas, permitindo que elas operassem também enquanto práticas em saúde. Para tanto, foram selecionadas algumas cartilhas produzidas pelo Centro de Referências Técnicas em Psicologia e Políticas Pública (CREPOP), visto que nestes monumentos são elencadas algumas práticas psicológicas que também passaram a ser concebidas enquanto práticas de saúde. Em seguida, a partir desses documentos, operamos uma descrição das regularidades que constituem essas práticas discursivas, verificando ao final que elas gravitam, grosso modo, em torno de dois eixos centrais: a dimensão jurídica-legal e a dimensão conceitual. Diante desse quadro, realizamos, posteriormente, uma incursão na história da psicologia no cenário brasileiro, a fim de analisar como esses elementos passaram a fazer parte do campo psi e, principalmente, adentrar a ordem do verdadeiro. Com base no que foi exposto, observamos que tornar-se uma prática de saúde, não demarcou, sob muitos aspectos, uma ruptura abissal para as práticas psi. Pelo contrário, o que se estabeleceu foi muito mais, uma atualização em seu modus operandi, pois mesmo com a mudança de cenário, sua atuação ainda continuou sendo pautada por certa subserviência a determinados preceitos exteriores ao campo, ao passo que sua função também permaneceu sendo, fundamentalmente, a de operacionalizá-los. Logo, consideramos que talvez, o passado funesto da psicologia brasileira, não seja assim tão passado como nos contam, que ele pode estar presente agora sob outras formas e modalidades. Por fim, não pretendemos com esse trabalho anunciar que a tarefa de (re)pensar a psicologia teria fracassado, nem tampouco endossar que tal missão já teria sido finalizada. Intentamos, simplesmente, demonstrar, para aqueles que se dispõem a tal empreendimento, de que ela ainda está em curso e que cabe a nós, habitantes do presente, problematizá-la.
Resumen en inglés: This dissertation discusses archaeogenealogically, from the historical-philosophical perspective of knowledge and practices as pointed out by Michel Foucault, the relation between psychological practices and health practices in the Brazilian context. If, in our present days, there is a certain discursiveness within the psychological field with such ambiguous status, being conceived, at the same time, as a psychological and health practice, we consider that, less than a theoretical refinement, this process is taxed by mechanisms of power in full exercise that repeat, incite, approximate statements, making them, if not inseparable, at least an inevitable or unavoidable result of supposed scientific progress. Thus, the scope of this study consists of examining what conditions (discursive and non-discursive) made possible the irruption of this new arrangement in the psychological practices, allowing them to also operate as health practices. In order to do so, some booklets produced by the Center of Technical References in Psychology and Public Policy (CREPOP) were selected, since in these "monuments" are listed some psychological practices which also came to be conceived as health practices. Then, from these documents, we operate a description of the regularities that constitute these discursive practices, verifying in the end that they gravitate, roughly, around two central axes: the legal dimension and the conceptual dimension. In the face of this picture, we subsequently made an incursion into the history of psychology in the Brazilian scenario, in order to analyze how these elements became part of the psi field, and especially, to enter the order of truth. Based on the above, we note that becoming a health practice has not, in many ways, demarcated an abysmal rupture to psi practices. On the contrary, what was established was much more, an update in its modus operandi, because even with the change of scenery, its performance still continued being ruled by certain subservience to certain precepts outside the field, while its function also remained , fundamentally, to operationalize them. Therefore, we consider that perhaps the disastrous past of psychology in Brazil is not so past as we are told, that it may now be present in other forms and modalities. Finally, we do not intend with this work to announce that the task of (re) thinking psychology would have failed, nor to endorse that such a mission would have already been completed. We simply try to demonstrate to those who are willing to make such an undertaking that it is still in progress and that it is up to us, inhabitants of the present, to problematize it.
URI : http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36163
Aparece en las colecciones: PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
2018_dis_ajsiebra.pdf1,32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.