Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36731
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFeitosa, Francisco Edson de Lucena-
dc.contributor.authorMoura, Victor de Alencar-
dc.date.accessioned2018-10-25T17:23:33Z-
dc.date.available2018-10-25T17:23:33Z-
dc.date.issued2018-07-25-
dc.identifier.citationMOURA, V. de A. Classificação dos partos em um hospital terciário do Ceará baseada em características obstétricas das pacientes. 2018. 86 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde da Mulher e da Criança) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36731-
dc.description.abstractThe number of cesarean sections is growing worldwide and, in Brazil, the cesarean rate in the public network is around 52%. This value is higher than the one recommended by the World Health Organization (WHO) that is 15%. The Ten-Group Robson Classification (SCRDG) is a classification based on the basic obstetric characteristics of the patients. The World Health Organization has recommended the use of the Robson Classification as a global standard classification for the evaluation, comparison, and monitoring of cesarean rates. Considering the importance of a basis for the indication of cesarean sections and the need of reducing the number of unnecessary caesarean sections, the goal of this study was to use the SCRDG to classify a group of women admitted to gave birth over July to December 2017 in the Maternidade Escola Assis Chateaubriand, which is a tertiary healthcare university hospital and a center of reference in maternal and neonatal care in the state of Ceará (Brazil). In this observational and cross-sectional study the data were collected in a standardized chart with information about the parity, obstetric history of cesarean section, onset of labor, fetal presentation, and gestational age at birth. The study considered a sample of 494 reports for vaginal deliveries and 795 reports for abdominal deliveries (55% of all deliveries performed for each category over the studied period). Data were managed using Microsoft Excel® spreadsheets. The Robson groups with the highest impact in the cesarean rate were Group 2 (20.66%), Group 5 (27.76%) and Group 10 (16.98%), which accounted for more than 65% of the cesarean sections performed during the evaluated period. The cesarean rate for the used sample was 62.05%, considering the evaluated period, which differed in only 1% from the value reported by the MEAC's Care Management Report (61.05%). A rate of 4.4% "unclassified reports" was obtained, which indicates that efforts should be made to correctly fill in the sheets, with the inclusion of all required data. The rate of vaginal delivery was 37.96% for the evaluated sample, which differed by 0.99% from the value reported by the MEAC's Care Management Report (38.95%). The groups with the highest impacts in the rate of vaginal delivery were groups 3 (35.70%), 1 (31.83%), and 10 (21.07%). Comparing the results obtained in this study with the ones obtained by other tertiary healthcare hospitals from Brazilian universities, one can observe that the Maternidade Escola Assis Chateaubriand follows the same trend in relation to the contribution of the Robson groups, but with the global cesarean rate somewhat higher (57.9%). Finally, it is concluded that the use of SCRDG is a powerful tool to analyze births and define where efforts should be focused to reduce the global cesarean rate in MEAC to the values considered ideal by the WHO.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectCesáreapt_BR
dc.subjectAtenção Terciária à Saúdept_BR
dc.subjectSaúde Maternapt_BR
dc.titleClassificação dos partos em um hospital terciário do Ceará baseada em características obstétricas das pacientespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.abstract-ptbrObserva-se que o número de cesarianas vem crescendo em todo o mundo e, no Brasil, estima-se em 52% a taxa de cesarianas na rede pública, superior aos 15% recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A Classificação de Robson em Dez Grupos (SCRDG) é uma classificação baseada em características obstétricas das pacientes. A OMS recomenda a utilização mundial da Classificação de Robson como instrumento padrão de avaliação, comparação e monitoramento das taxas de cesarianas. Considerando a importância de uma base para a indicação de cesarianas e o propósito em reduzir o número de cesarianas desnecessárias, o objetivo deste estudo foi utilizar o SCRDG para classificar um grupo de pacientes internadas na Maternidade Escola Assis Chateaubriand, que é um hospital universitário público e um centro de referência no cuidado materno e neonatal no estado do Ceará, no período de julho a dezembro de 2017. Trata-se de um estudo observacional e transversal. Os dados foram coletados em fichas padronizadas que continham informações sobre a categoria da gravidez, paridade, história obstétrica de cesariana, início do trabalho de parto e idade gestacional ao nascimento. Considerou-se para o estudo uma amostra de 494 relatórios de partos vaginais e 795 relatórios de partos abdominais (55% dos partos realizados para cada categoria no período avaliado). Os dados foram consolidados utilizando planilhas do programa Microsoft Excel e foram apresentados em forma de frequência simples, gráficos e tabelas. Os grupos que mais impactaram a taxa de cesáreas na MEAC foram o Grupo 2 (20,66%), o Grupo 5 (27,76%) e o grupo 10 (16,98%), cuja soma representou mais de 65% das cesarianas realizadas no período. A taxa global de cesáreas no período avaliado foi de 62,05% para a amostra, que diferiu em 1% do valor relatado pelo Relatório de Gestão Assistencial da MEAC (61,05%). A taxa de relatórios não classificados foi de 4,4%, o que indica que esforços devem ser realizados para o preenchimento correto das fichas, com a inclusão de todos os dados. A taxa global de partos vaginais foi de 37,96% para a amostra avaliada, que difere em 0,99 % do valor relatado pelo Relatório de Gestão Assistencial da MEAC (38,95%). As maiores contribuições para a taxa global de partos vaginais foram dos grupos 3 (35,70%), 1 (31,83%) e 10 (21,07%). Se os resultados obtidos nesse trabalho são comparados com os de outros hospitais terciários de universidades brasileiras, verifica-se que a MEAC segue a mesma tendência em relação à contribuição dos grupos, porém com a taxa global de cesarianas um pouco superior (57,9%). Conclui-se com a realização deste trabalho que a utilização do SCRDG é uma poderosa ferramenta para analisar os partos e definir onde os esforços devem ser centrados para que a MEAC consiga reduzir a taxa global de cesáreas aos valores considerados ideais pela OMS.pt_BR
Appears in Collections:MPSMC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis _vamoura.pdf2,36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.