Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37323
Title in Portuguese: Diálogos entre a equipe clínico-especializada e a escola sobre a educação inclusiva: tessitura de narrativas, saberes e práticas
Author: Araújo, Luana Barreto de
Advisor(s): Lustosa, Francisca Geny
Keywords: Educação
Saúde
Inclusão
Saberes
Issue Date: 2018
Citation: ARAÚJO, Luana Barreto de. Diálogos entre a equipe clínico-especializada e a escola sobre a educação inclusiva: tessitura de narrativas, saberes e práticas - UFC. 2018. 151f. - Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2018.
Abstract in Portuguese: Este estudo intencionou analisar as principais demandas de saberes (conhecimentos, informações) e práticas que a escola e a equipe clínico-especializada, reciprocamente em seus contextos de atuação, apresentam em relação aos sujeitos atendidos, com possível reverberação no favorecimento da inclusão escolar. Buscamos, também, a identificação e a análise de pontos de diálogo e ações de atenção integral. O quadro conceitual da investigação contemplou dois pilares de referência: Saúde (TELLES, 2006; DIAS et al., 2016; BATISTA, 2008); e Educação (LUSTOSA, 2009; 2015; 2018; MANTOAN, 2003; MITTLER, 2003; BOOTH; AINSCOW, 2012). Além desse corpus teórico-conceitual, trabalhou-se com as noções de práticas interepistêmicas (BORRI-ANADÒN, 2015), epistemologia dos saberes (TARDIF, 2014), campo e habitus (BOURDIEU, 1963; 1983; 1992; 1994; 2015) e núcleo e campo (CAMPOS; CHAKOUR; SANTOS, 1997; CAMPOS, 2000). Metodologicamente, foi uma pesquisa qualitativa, em perspectiva comparada (literatura nacional e internacional), em busca de traçar um panorama atual de possíveis interfaces, com possibilidades e/ou fragilidades de diálogos em favorecimento dos sujeitos e de seus processos educacionais inclusivos. Partimos de um ambulatório especializado na atenção a crianças/adolescentes com deficiência intelectual, transtornos do espectro do autismo, transtornos mentais e emocionais, entre outras. O período de coleta de dados foi de maio a setembro de 2018. As etapas da investigação foram: análise documental junto a prontuários para apreensão de informações dos atendimentos e das expressões dos sujeitos atendidos (com roteiro específico); análise dos protocolos avaliativos e relatórios dos professores requeridos pela equipe de atendimento; na educação, houve levantamento realizado em 30 escolas da Rede Municipal de Fortaleza (questionários e visitas), sobre a interface entre a Saúde e a Educação. Foram eleitas escolas com maior quantidade de alunos com deficiência matriculados, a partir do Relatório dos Estudantes com Deficiência por Unidades Escolares da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza. Procedemos à investigação de conteúdo, classificação e categorização temática das informações, na interseção destas áreas profissionais. Os resultados evidenciaram que os relatórios escolares solicitados pela equipe clínico-especializada apresentam, em exclusivo, as crianças por meio de um rol de problemas e dificuldades, além da solicitação expressa de laudos (inclusive, já indicando o tipo de deficiência da criança que se pretende de laudo). Em geral, não evidenciaram potencialidades, centros de interesse e/ou níveis de desenvolvimento e aprendizagem dos alunos, bem como pouco materializaram níveis de desempenho escolar. É notório que as práticas demandadas pelas duas áreas são alicerçadas em práticas educativas que superam o caráter quantitativo dos protocolos de avaliação, relatórios escolares e intervenção. Há convergência entre as noções de núcleo (categorias profissionais) e de campo (práticas inclusivas), sendo esta a zona de interseção necessária entre essas áreas. Além disso, sobressai o potencial de diálogo que necessita ser fortalecido, configurando-se como meta-maior para as duas áreas, que sejam as práticas inclusivas alicerçadas na atenção integral, sob a égide de um olhar qualificado e ampliado sobre os sujeitos e seus contextos de vida. Urge a materialização de práticas interprofissionais em benefício de um trabalho colaborativo que alcancem status intersetorial, não em função de um diagnóstico, mas em favorecimento de sua inclusão escolar.
Abstract: This study aimed to analyze the main demands of knowledge (understanding, information) and practices that both school and a clinical-specialized team, in their respective contexts of action, present in regards to the met individuals, with possible reverberations in school inclusion. We also seek the identification and analysis of dialogue points and actions of integral attention. The research's conceptual framework contemplated two referential pillars: Health (TELLES, 2006; DIAS, 2016; BATISTA, 2008); and Education (LUSTOSA, 2009; 2015; 2018; MANTOAN, 2003; MITTLER, 2003; BOOTH; AINSCOW, 2012). In addition to this theoretical corpus, we worked with the notions of inter-epistemic practices (BORRI-ANADÒN, 2015), epistemology of knowledge (TARDIF, 2014), field and habitus (BOURDIEU, 1963; 1983; 1992; 1994; 2015) and core field (CAMPOS; CHAKOUR; SANTOS, 1997; CAMPOS, 2000). Methodologically, it was a qualitative research, in a comparative perspective (national and international literature) to draw a current overview of possible interfaces, with possibilities and/or fragilities of dialogues favoring individuals and their inclusive educational processes. We started from an outpatient clinic specializing in the care of children/adolescents with intellectual disabilities, autism spectrum disorders, mental and emotional disorders, among others. The data collection period was from May to September, 2018. The research stages were: documentary analysis coupled with medical records to collect information from the consultations and the individual’s demeanor (with a specific script); analysis of evaluation protocols and teacher’s reports required by the attendance team; in education, a survey was carried out in 30 schools of Fortaleza’s Municipal Network (survey and visits) on the interface between Health and Education. Schools with a greater number of students with disabilities were selected, based on the Report of Students with Disabilities by School Units of the Municipal Department of Education of Fortaleza. We proceeded to investigate content, classification and thematic categorization of information, at the intersection of these professional areas. The results showed that the school reports requested by the clinical-specialized team exclusively introduced the children through an array of problems and difficulties, in addition to expressly requesting reports (moreover, already indicating the type of disability of the intended child on the report). In general, they did not show potentialities, centers of interest and/or levels of development and learning of the students, nor did they materialize levels of school performance. It is clear that the methods demanded by the two areas are based on educational practices that surpass the quantitative character of evaluation protocols, school reports and intervention. There is a convergence between the core notions (professional categories) and field notions (inclusive practices), which is the necessary intersection zone between these areas. Furthermore, the potential for dialogue that needs to be fortified stands out, becoming a major goal for both areas, which are the inclusive practices based on integral attention, under the aegis of a qualified and expanded view on the individuals and their life contexts. It urges the materialization of interprofessional practices in favor of a collaborative effort that reach intersectoral status, not in function of a diagnosis, but in favor of an inclusion in school.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37323
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGEB - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_lbaraujo.pdf8,8 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.