Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37336
Title in Portuguese: Influência do sentimento de impotência na adesão ao tratamento anti-hipertensivo
Author: Lima, Beatriz da SIlva
Advisor(s): Araújo, Thelma Leite
Keywords: Hipertensão
Cooperação do Paciente
Saúde Mental
Enfermagem
Issue Date: 5-Oct-2018
Citation: LIMA, B. S. Influência do sentimento de impotência na adesão ao tratamento anti-hipertensivo. 2018. 70 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
Abstract in Portuguese: Esta pesquisa teve como objetivo analisar a influência do sentimento de impotência na adesão ao tratamento anti-hipertensivo. Estudo descritivo e transversal realizado no Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão, em Fortaleza, nos meses de outubro e novembro de 2017. Foi utilizado um instrumento com variáveis sociodemográficas, clínicas e sobre o tratamento anti-hipertensivo; Questionário de Adesão ao Tratamento da Hipertensão Arterial (QATHAS) e o Instrumento de Medida do Sentimento de Impotência. Para a análise de associação foram empregados os testes de Qui-Quadrado e de razão de verossimilhança. Foram incluídos 300 pacientes. Uma grande proporção (45,7%) deixou de tomar a medicação nos horários estabelecidos, ao menos uma vez por mês; e reduziram à metade o sal, gordura e doces, e bebidas com açúcar. Apenas 7,3% não deixaram de tomar a medicação para hipertensão, comiam praticamente sem sal e seguiam o tratamento não medicamentoso rotineiramente. As opções do Instrumento de Medida do Sentimento de Impotência “nunca apresenta o sentimento de impotência” e “raramente apresenta o sentimento de impotência” foram bastante citadas, 45 e 41,6%, respectivamente. Apresentaram associação com o sentimento de impotência as variáveis “alguma vez deixou de tomar a medicação” (p=0,040), “faz uso do medicamento para o tratamento da hipertensão arterial somente quando apresenta algum sintoma” (p=0,041), “ao iniciar o tratamento diminuiu o sal da alimentação” (p=0,042), “passou a preferir o consumo de carnes brancas” (p=0,023); “seguir o tratamento não medicamentoso da hipertensão arterial tornou-se uma rotina em sua vida” (p=0,002); e “número de consultas para controle da hipertensão arterial no último ano” (p=0,047). No entanto, não houve associação significante entre o sentimento de impotência e o nível de adesão obtido com o Questionário de Adesão ao Tratamento da Hipertensão Arterial. Conclui-se que a análise do sentimento de impotência deve ser realizada em outros grupos e contextos pela sua importância nas práticas de autocuidado.
Abstract: This research aimed to analyze the influence of the feeling of impotence on adherence to antihypertensive treatment. Descriptive cross-sectional study carried out at the Integrated Center for Diabetes and Hypertension in Fortaleza, during the months of October and November 2017. Measures included an instrument with sociodemographic, clinical and antihypertensive treatment variables; the Questionnaire on Adherence to Treatment of Systemic Hypertension and the Instrument of Measure of the Feeling of Impotence. For association analysis Chi-square and likelihood ratio were performed. A sample of 300 patients were recruited. A large proportion (4.7%) of the participants neglected medication intake at the established time, at least once a month; and have reduced salt, fat and sweets and sugary drink consumption by half. Only 7.3% have never neglected medication intake to hypertension, consume practically no salt and routinely followed non-pharmacological treatment. The items of the Measure of the Feeling of Impotence Instrument “ever presents feeling of impotence” and “rarely presents feeling of impotence” were frequently cited, 45 and 41.6%, respectively. The variables “neglected medication intake at some point”(p=0.040), “take medication for the treatment of systemic hypertension only when had symptoms”(p=0.041); “when started the treatment reduced the salt intake in diet”(p=0.042), “have started to prefer consuming white meats”(p=0.023); “to follow the non-pharmacological treatment to systemic hypertension became a routine in your life”(p=0.002); and “number of doctor appointments to control hypertension in the last year”(p=0.047) were associated with the feeling of impotence. However, there was no significante association between feeling of impotence and level of adherence obtained in the Questionnaire on Adherence to Treatment of Systemic Hypertension. In conclusion, analysis of feeling of impotence should be measured in other groups and contexts given their importance in self management practices.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37336
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_bslima.pdf925,27 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.