Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37382
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorPereira, Jorgiana Ricardo-
dc.contributor.authorSilva, Joana Andréia da-
dc.date.accessioned2018-11-16T13:53:06Z-
dc.date.available2018-11-16T13:53:06Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37382-
dc.descriptionSILVA, Joana Andréia da. Linguagens na educação infantil: o que a perspectiva de professoras de creche revela sobre suas práticas pedagógicas?. 2015. 90f. –TCC (Monografia) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Curso de Especialização em Docência em Educação Infantil, Polo Quixada (Ce), 2015.pt_BR
dc.description.abstractThis research aimed to investigate the languages selected by preschool teachers of three – year – old children in order to compose their teachingpractice. The main scholars who guided the construction of the theoretical framework and understanding of how to work with languages have been discussed and guided in Brazilian Childhood Education were Barbosa (2009), Faria and Salles (2012), Filho (2015) and Gobbi ( 2010). It was also used the official guidelines (BRAZIL, 1998; 2009b; Ceara, 2011) and the legal bases (BRAZIL, 1996; 2009; 2009a) focusing on considerations related to languages. As a qualitative study, this research had as main instrument the performing of semi-structured individual interviews with four teachers of a public institution fromCeará Elementary School, which has kindergarten classes, focusing on the research objective. It was also used questionnaires aiming to get to know better the subjects from the research. The results showed that misunderstandings, doubts, uncertainties and contradictions mark the perspective of the teachers about the work with languages, since the majority of respondents consider to be necessary "to work every day letters, numbers, dates" with three-year-old children. The languages considered in the teaching plan are divided in two groups, one that considers minimally different languages and another which thinks language only as the teaching of reading and writing, as if those were the only and most important forms of expression and communication in childhood . Thus, it is clear that to achieve a work with languages that includes the child in their multiple dimensions and that favors their overall development, it is essential to invest in continuing education for kindergarten and pre-school teachers, and, especially for those who work in institutions with elementary school classes and childhood education, especially for considering these institutions careful specifically with small children's education, which is little remembered.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherSilva, J. A.; Pereira, J. R. (2015)pt_BR
dc.subjectEducação Infantilpt_BR
dc.subjectLinguagenspt_BR
dc.subjectPrática Pedagógicapt_BR
dc.subjectChildhood Educationpt_BR
dc.subjectLanguagept_BR
dc.titleLinguagens na educação infantil: o que a perspectiva de professoras de creche revela sobre suas práticas pedagógicas?pt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.description.abstract-ptbrEsta pesquisa teve como objetivo investigar quais são as linguagens selecionadas pelas professoras de crianças de três anos de idade para compor sua prática pedagógica. Seus objetivos específicos foram: conhecer a perspectiva das professoras sobre o trabalho com linguagens na Educação Infantil; e identificar na perspectiva das professoras quais linguagens são priorizadas no planejamento do seu trabalho. Os principais estudiosos que orientaram a construção do referencial teórico e da compreensão acerca de como o trabalho com linguagens têm sido discutido e orientado na educação Infantil brasileira foram Barbosa (2009), Faria e Salles (2012), Filho (2015) e Gobbi (2010). Também recorreu-se às orientações oficiais (BRASIL, 1998; 2009b; CEARÁ, 2011) e às bases legais (BRASIL, 1996; 2009; 2009a), focalizando as considerações relativas a linguagens. De abordagem qualitativa, a pesquisa teve como instrumento principal a realização de entrevistas individuais semiestruturadas com quatro professoras de uma instituição pública de Ensino Fundamental do Ceará que possui turmas de creche, tendo como foco o objetivo da pesquisa. Também se utilizou a aplicação de questionários, que teve como objetivo conhecer melhor os sujeitos da pesquisa. Os resultados encontrados revelam que incompreensões, dúvidas, incertezas e contradições marcam a perspectiva das professoras acerca do trabalho com linguagens, uma vez que a maioria das entrevistadas considera ser necessário trabalhar, sobretudo, a linguagem escrita com crianças na faixa etária de três anos. As linguagens contempladas no planejamento das docentes situam-se em dois grupos, um que considera minimamente diversas linguagens e outro que pensa a linguagem somente como ensino da leitura e escrita, como se essas fossem as únicas e mais importantes formas de expressão e comunicação na infância. Dessa forma, conclui-se que para se alcançar um trabalho com linguagens que contemple a criança em suas múltiplas dimensões e que privilegie o seu desenvolvimento global, é indispensável o investimento em formação continuada para os profissionais de creches e pré-escolas e, sobretudo, para aqueles que atuam em instituições que atendem turmas de Ensino Fundamental e Educação Infantil, principalmente por considerar que nessas instituições o atendimento especificamente da educação da criança pequena é pouco lembrado.pt_BR
Appears in Collections:EDEI - Monografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
20015_tcc_jasilva.pdf717,45 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.