Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/39309
Title in Portuguese: Fatores relacionados aos estágios de mudança de comportamento em saúde de adolescentes com diabetes tipo 1
Author: Neves, Clarice da Silva
Advisor(s): Gubert, Fabiane do Amaral
Keywords: Enfermagem
Diabetes Mellitus Tipo 1
Autocuidado
Comportamento
Saúde do Adolescente
Issue Date: 24-Aug-2018
Citation: NEVES, C. S. Fatores relacionados aos estágios de mudança de comportamento em saúde de adolescentes com diabetes tipo 1. 2018. 105 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
Abstract in Portuguese: O estudo teve como objetivo investigar os fatores relacionados aos estágios de mudança de comportamento em saúde de adolescentes com Diabetes Tipo 1 usuários de um ambulatório de Diabetes. Pesquisa observacional, descritiva, transversal realizada em um ambulatório de pediatria de um hospital de referência do município de Fortaleza. Participaram do estudo adolescentes de 10 a 19 anos em acompanhamento há pelo menos 1 mês. Realizou-se entrevista individualizada mediante um instrumento, validado previamente a coleta, contemplando dados sóciodemográficos, clínicos, atividades de autocuidado em saúde e estágios de mudança do comportamento e suporte social. O estudo teve como suporte teórico o modelo transteórico. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob parecer 2.266777. Participaram da pesquisa 97 adolescentes, no qual a faixa etária prevalente foi dos 13 aos 15 anos. A média de tempo de diagnóstico de diabetes foi de mais de 1,1 a 3 anos, com renda 1501 a 2500 reais.. Quanto aos aspectos de saúde, quase 80% dos participantes já tinham histórico de internação prévia. Menos da metade dos adolescentes frequentavam grupos de educação em diabetes. A média de valor de hemoglobina glicada foi de 7,22%. Sobre a monitorização glicêmica, a grande maioria relatou faze-la de 4 a 7 dias na semana, dados semelhantes quando questionados sobre a aplicação de insulina. No que concerne os estágios de mudança do comportamento (EMC), houve predomínio, com mais de 50% dos adolescentes, na fase de manutenção, com exceção do autocuidado atividade física, no qual essa fase correspondeu a 37%. Quando correlacionado os dados sóciodemográficos com os EMC para identificar quais os fatores que poderiam influenciá-los, obteve-se que para o autocuidado alimentação saudável os fatores que apresentaram significância estatística foram a faixa etária, o tempo de diagnóstico e a renda familiar, fatores também significativos para o autocuidado atividade física, porém para este foi acrescido o fator anos de estudo. Já com relação a monitorização glicêmica, os fatores foram a faixa etária, tempo de diagnóstico e anos de estudo, os mesmos para a insulinoterapia com exceção da renda. Quando correlacionado o valor de hemoglobina glicada (HB1Ac) com as atividades de autocuidado e os estágios de mudança do comportamento do modelo transteórico, obteve-se que os jovens que disseram ter uma alimentação saudável apresentaram menores índices de HB1Ac do que aqueles que disseram não ter a prática de alimentação saudável, resultado semelhante para quem pratica atividade física que apresentam taxas de glicada menores. Com relação ao suporte social, para todas as atividades de autocuidado, os resultados demonstram que os adolescentes em fase de manutenção apresenta os maiores médias de apoio familiar e de amigos. O estudo revelou que são vários os fatores que podem interferir na mudança de comportamento do indivíduo para um determinado autocuidado, com isso ressalta-se a importância da personalização das intervenções educativas com o objetivo de alcançar a maior efetividade na sensibilização para a mudança de comportamento ou estratégias mais eficazes para a manutenção desse comportamento.
Abstract: The study aimed to investigate the factors related to the stages of behavioral change in health of adolescents with Type 1 Diabetes users from a Diabetes outpatient clinic. Observational, descriptive, cross-sectional research performed in a pediatric outpatient clinic of a reference hospital in the city of Fortaleza. Adolescents aged 10 to 19 years were followed up for at least 1 month. An individual interview was carried out using an instrument, previously validated for collection, considering sociodemographic, clinical data, health self-care activities and stages of behavior change and social support. The study had as theoretical support the transtheoric model. The research was approved by the Research Ethics Committee under opinion 2.266777. 97 adolescents participated in the study, in which the prevalent age range was from 13 to 15 years. The mean time to diagnosis of diabetes was over 1.1 to 3 years, with income from 1501 to 2500 reais. Regarding health aspects, almost 80% of the participants already had a history of previous hospitalization. Less than half of adolescents attended diabetes education groups. The mean value of glycated hemoglobin was 7.22%. On glycemic monitoring, the vast majority reported doing 4 to 7 days a week, similar data when questioned about insulin application. Concerning the stages of behavior change (EMC), there was predominance, with more than 50% of the adolescents, in the maintenance phase, with the exception of self-care physical activity, in which this phase corresponded to 37%. When correlating the socio-demographic data with CMEs to identify factors that could influence them, it was obtained that for self-care healthy eating, the factors that presented statistical significance were age, diagnosis time and family income, factors significant for self-care physical activity, but for this was added the factor years of study. Regarding glycemic monitoring, the factors were age, diagnosis time and years of study, the same for insulin therapy with the exception of income. When correlating the value of glycated hemoglobin (HB1Ac) with self-care activities and stages of behavior change in the transtheoric model, it was found that young people who said they had healthy eating had lower HB1Ac levels than those who said they did not have the practice of healthy eating, a similar result for those who practice physical activity that have lower glycation rates. With regard to social support, for all self-care activities, the results show that adolescents in the maintenance phase have the highest average family support and friends. The study revealed that there are several factors that can interfere in the individual's behavior change for a given self-care, with emphasis on the importance of personalizing educational interventions with the goal of achieving greater effectiveness in behavior change awareness or strategies for maintaining this behavior.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/39309
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_csneves.pdf1,39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.