Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/39770
Title in Portuguese: Disfunções do assoalho pélvico: avaliação da prevalência e qualidade de vida das profissionais de enfermagem
Author: Lopes, Lia Gomes
Advisor(s): Vasconcelos, Camila Teixeira Moreira
Keywords: Diafragma da Pelve
Enfermagem
Qualidade de Vida
Saúde do Trabalhador
Trabalho
Issue Date: 18-Dec-2018
Citation: LOPES, L. G. Disfunções do assoalho pélvico: avaliação da prevalência e qualidade de vida das profissionais de enfermagem. 2018. 101 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.
Abstract in Portuguese: O estudo teve como finalidade identificar a prevalência de Distúrbios do Assoalho Pélvico (DAP) em enfermeiras e técnicas de enfermagem e sua comparação entre ambos os grupos, bem como sua associação com os hábitos ocupacionais e avaliação da qualidade de vida relacionada à ocorrência de Sintomas do Trato Urinário Inferior (STUI ou LUTS), Incontinência Urinária (IU), Prolapso de Órgãos Pélvicos (POP), disfunções sexuais femininas e queixas defecatórias. Trata-se de um estudo transversal, envolvendo as trabalhadoras de enfermagem que atuaram em hospital público terciário durante o período de abril a agosto de 2018. A coleta de dados foi realizada com 264 profissionais por meio de formulário eletrônico contendo sete instrumentos específicos para a investigação das queixas de disfunção e seu respectivo impacto na qualidade de vida, com 105 questões no total. Os dados foram analisados por meio do Programa Statistical Package For Social Sciences (SPSS) versão 22.0, utilizando-se o Teste de Mann-Whitney para as variáveis intervalares, o Teste de Qui-Quadrado para as variáveis dicotômicas e a Razão de Verossimilhança para as variáveis categóricas. O estudo foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da instituição na qual foi realizada e da Universidade Federal do Ceará (UFC) e aprovado, respectivamente, sob pareceres nº 2.435.205 e nº 2.396.335, de forma a respeitar e atender às recomendações nas Normas Reguladoras em Pesquisa. Do total de 264 profissionais, 180 eram técnicas de enfermagem e 84 eram enfermeiras, a maioria proveniente de setores de média complexidade, atuantes há mais de seis meses, em apenas um local de trabalho, com uma jornada de 60 horas semanais. A amostra foi composta, em sua maioria, por mulheres jovens (35,8±11,6), declaradamente não-brancas (n = 210; 79,5%) e com sobrepeso (IMC = 26,1±4,6). Os STUI foram os sintomas mais prevalentes (n= 215; 81,4%), sendo a noctúria a queixa com a maior taxa (n = 91; 34,5%). As demais DAP apresentaram uma prevalência consideravelmente menor e os sintomas foram associados tanto às condições de trabalho, quanto ao perfil sociodemográfico, clínico e obstétrico da amostra. Os sintomas apresentaram impacto pouco significativo na qualidade de vida das mulheres, assim como o SF-36 demonstrou diferença significativa somente no domínio “Vitalidade”. Conclui-se, portanto, que há alta prevalência de DAP em trabalhadoras de enfermagem no hospital em estudo, mas com pouco impacto na qualidade de vida e que se encontra possivelmente relacionada à ocupação, embora essa associação não seja independente.
Abstract: The aim of this study was to identify the Pelvic Floor Disorders (PFD) in the nursing workforce and to compare the prevalence between the groups, as well as their association with occupational habits and quality of life evaluation related to the Lower Urinary Tract (LUTS), Urinary Incontinence (UI), Pelvic Organ Prolapse (POP), female sexual dysfunctions and anorectal dysfunctions. This is a cross-sectional study involving nursing workers who worked in a tertiary public hospital during the period from April to August 2018. Data collection was performed with 264 professionals through an electronic form containing seven specific research tools of the complaints of dysfunction and their respective impact on the quality of life, with 105 questions in total. The data were analyzed using the Statistical Package for Social Sciences (SPSS) version 22.0, using the Mann-Whitney test for the interval variables, the Chi-square test for the dichotomous variables and the Likelihood Ratio for the categorical variables. The study was submitted to the Research Ethics Committee of the institution where it was held and the Federal University of Ceará (UFC) and approved, respectively, under no. 2,435,205 and 2,396,335, in order to respect and comply with the recommendations Regulatory Research Standards. Of the total of 264 professionals, 180 were nursing technicians and 84 were nurses, most of them coming from medium complexity sectors, working for more than six months, in a single workplace, with a 60-hour workweek. The sample consisted mostly of young women (35.8 ± 11.6), reportedly non-white (n = 210, 79.5%) and overweight (BMI = 26.1 ± 4.6). LUTS were the most prevalent symptoms (n = 215; 81.4%), and nocturia was the complaint with the highest rate (n = 91; 34.5%). The other PFDs had a considerably lower prevalence and the symptoms were associated with both the working conditions and the sociodemographic, clinical and obstetric profile of the sample. The symptoms had little impact on women's quality of life, as SF-36 demonstrated a significant difference only in the "Vitality" domain. It is concluded, therefore, that there is a high prevalence of PFD in nurses in the hospital under study, but with little impact on the quality of life and that is possibly related to the occupation, although this association is not independent.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/39770
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_lglopes.pdf2,63 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.