Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/42532
Title in Portuguese: Medicalização-patologização da infância: despraticando normas a partir de olhares oblíquos.
Author: Lopes, Denislene Maria Noronha
Advisor(s): Costa, Érica Atem Gonçalves de Araújo
Keywords: Medicalização-patologização
Educação escolar
Infâncias
Issue Date: 2018
Citation: LOPES, D.M.N. (2018)
Abstract in Portuguese: Esta pesquisa insere-se na temática mais ampla acerca dos processos de medicalizaçãopatologização infantil em contexto escolar, tendo em vista seu questionamento. Relaciona-se ao campo da Educação, considerando a complexidade de suas práticas e a existência de processos adoecedores que pretendem o ajuste social e se pautam em uma normatividade. A pesquisa teve como objetivo compreender quais são e como agem os mecanismos de medicalização-patologização na vida escolar de crianças em uma instituição escolar de educação infantil na cidade de Sobral-CE, considerando seus efeitos e as resistências a esse processo. A perspectiva teórica adotada inclui estudos sócio históricos e genealógicos acerca dos modos de subjetivação na infância e abordagens crítico-políticas acerca da medicalização e patologização da infância, na interface educação e saúde. Utilizou-se a cartografia como metodologia, por entendê-la como perspectiva que permite entender o cotidiano escolar como uma rede de saberes e poderes complexa e em movimento. Buscou-se uma investigação que considera a transversalidade em seu fazer, assim como a não neutralidade. Adotou-se como procedimentos de produção de dados em campo, a observação-participante e a entrevista, a fim de por em análise as perspectiva dos atores da pesquisa, no caso, crianças, professoras e pesquisadora. As análises apontam que os mecanismos de patologização-medicalização relacionam-se a práticas de normatização em exercício tanto na relação professora-crianças e entre as crianças. Apoiam-se no governamento e ajustamento dos sujeitos aos imperativos sociais, ligados a ideias neoliberais e capitalistas. Percebeu-se como efeitos o apagamento da diferença entre os sujeitos, a criação de “identidades autistas”, assim como a “retirada” do saber da professora, endereçando as crianças a especialistas, além da produção de relações hierárquicas entre crianças-alunos dentro da sala de aula. As resistências praticadas pelas crianças, professoras e pelo dispositivo da pesquisa tencionaram o campo de forças existente, demonstrando que por mais rígidas que possam parecer as normatizações, há sempre potência para o surgimento da novidade e da reinvenção.
Abstract: This research introduces themselves in the widest thematic about the process of childhood medicalization-pathologization in scholar context, in view of your questioning. Relating to the education field, considering the complexity of your practices and the existence of process make-sick that pretends social adaptation and rules in normativity. The research had the objective of understanding, which are, and how to act the medicalization-pathologization practices in scholar life of children’s in scholar institution of childhood education in Sobral City, Ceará. Considering the effects and resistance to this process. The theoretical perspective adopted includes socio-historic and genealogic studies about the modes of subjectivation in childhood and critic-politic approaches about medicalization and pathologization of childhood in the education and health interface. Was used cartography as methodology, for understand it as a perspective that allows understanding the scholar daily as a network of knowledge and complex powers in movement. Looked by an investigation that considered the transversality in their doing, as the non-neutrality. Adopted as procedures of production of fields data, the observation-participating and interview in order to put in the analysis the perspectives of research actors, in the case, children, teachers and researcher. The analysis point to those practices of pathologization-medicalization related with practices of normalization in exercise both in relation teacher-child and between children’s. They support themselves in governance and adjustment of subjects to social imperatives, linked to neoliberals and capitalistic ideas. Was noticed as effects of erasure of differences between subjects, the creation of “autistic identity”, well as the “withdrawal” of teacher knowledge, addressed to children’s and specialists, besides to production of hierarchical relationships between children-students inside the classroom. The resistance practiced for the children’s, teachers and research dispositive intend the force field existent, showing that how much rigid can be looked the normalization, always have potency for the emergence of novelty and of reinvention.
Description: LOPES, D.M.N. Medicalização-patologização da infância: despraticando normas a partir de olhares oblíquos. 2018. 76f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) - Universidade Federal do Ceará - campus Sobral, Sobral, 2018.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/42532
metadata.dc.type: TCC
Appears in Collections:PSICOLOGIA - SOBRAL - TCC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_tcc_dmnlopes.pdf2,12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.