Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4497
Título: Quem tem medo da revolução camponesa? O anticomunismo piauiense e questão agrária na década de 1960
Título em inglês: Who is afraid of peasant revolution? the anti-communism piauiense and agrarian question in the decade of 1960
Autor(es): OLIVEIRA, Marylu Alves de
Palavras-chave: Anticomunismo
Questão agrária
Piauí
Década de 1960
Anti-communism
Agrarian question
Piauí
The 1960’s decade
Data do documento: 2009
Editor: http://www.revistalabor.ufc.br/index.php
Citação: OLIVEIRA, M. A. (2009)
Resumo: O objetivo do presente texto é analisar as representações anticomunistas construídas no Piauí na década de 1960. A análise das representações demonstrou a existência de três vertentes: a conservadora, a religiosa e a da propriedade privada. No entanto, este artigo pretende compreender as representações anticomunistas acerca da propriedade privada, especialmente relacionada à questão agrária. Ao analisar essa vertente, podemos perceber como sua constituição foi enfatizada, defendida e, acima de tudo, determinante para a construção das demais representações anticomunistas. Devido a conjuntura instável da década de 1960, parcela do Estado e da Igreja Católica tomaram suas posições frente ao dilema agrário, e diante do apoio de segmentos destas instituições às organizações camponesas muitos sujeitos foram acusados de serem comunistas. Nesse sentido, o trabalho está divido entre a atuação da Igreja Católica frente aos movimentos sindicais e o apoio do Estado do Piauí às Ligas Camponesas.
Abstract: The purpose of this text is analyzing the anti-communists representations constructed in the 1960’s decade in Piauí. The analysis of representations showed the existence of three parts: the conservative, religious and private property. However, this article aims to understand the anti-communists representations on private property, particularly related to the agrarian question. In considering this aspect, we can see how their formation was emphasized, defended and, above all, decisive for the construction of other anti-communists representations. Due to the unstable situation in the 1960’s decade, part of the state and the Catholic Church took their positions in front of the dilemma agriculture, and in front of the support of segments of these institutions to peasant organizations many people were accused of being communists. In that sense, the work is divided between the Catholic Church in front of the trade union movement and support of the state of Piaui to Peasant Leagues.
Descrição: OLIVEIRA, Marylu Alves de. Quem tem medo da revolução camponesa? O anticomunismo piauiense e questão agrária na década de 1960. Revista do LABOR, Fortaleza, v. 1, n. 2, p. 1-14, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4497
ISSN: 1983-5000
Aparece nas coleções:PPGEB - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_aRT_MAOliveira.pdf178,96 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.