Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/53780
Title in Portuguese: O trabalho de mulheres jornalistas durante a pandemia da COVID-19: um estudo de caso dos reordenamentos produtivos no Ceará.
Author: Solon, Marina
Araújo, Mayara
Rodrigues, Naiana
Nunes, Márcia Vidal
Keywords: Trabalho
Doenças
Vírus - Genética
Issue Date: 2020
Publisher: INTER-LEGERE
Citation: SOLON, Marina; ARAÚJO, Mayara; RODRIGUES, Naiana; NUNES, Márcia Vidal. O trabalho de mulheres jornalistas durante a pandemia da COVID-19: um estudo de caso dos reordenamentos produtivos no Ceará. INTER-LEGERE. v.3, n. 28. 2020.
Abstract in Portuguese: Este artigo traz reflexões sobre o trabalho de mulheres jornalistas no Ceará durante a pandemia de Covid-19. Com o isolamento social imposto pelo governo do Estado como uma das ações de combate à pandemia, mulheres tiveram que adequar atividades profissionais ao espaço da casa, dividindo a força de trabalho entre a profissão, as tarefas domésticas e o cuidado com a família (BIROLI, 2018; FEDERICI, 2019; HUWS, 2014). Para observar esse cenário, este estudo de caso exploratório (YIN, 2001) se vale de dados obtidos pela pesquisa nacional “Como trabalham os comunicadores em tempos de pandemia da Covid-19”, realizada pelo Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT-ECA-USP); e de informações procedentes de entrevistas semi-estruturadas com oito jornalistas cearenses . Os resultados apontam que os regimes de home office e rodízio redação-casa, adotados durante a pandemia, aprofundam o cenário já consolidado de precarização do trabalho jornalístico (FÍGARO, 2013; MICK; LIMA, 2013;) e do trabalho de mulheres jornalistas, especificamente (FIGARO, 2018; LELO, 2019;); e geram intensificação do ritmo de trabalho, maior cobrança por produtividade e desgaste psicológico/emocional das profissionais; além de evidenciarem uma divisão sexual do trabalho ainda prevalente, porém seletiva.
Abstract: This article reflects on the work of women journalists in Ceará during the Covid-19 pandemic. With the social isolation imposed by the state government as one of the actions to combat the pandemic, women had to adapt professional activities to their home enviroment, dividing the workforce between the profession, domestic chores and caring for the family (BIROLI, 2018; FEDERICI, 2019; HUWS, 2014). To observe this scenario, this exploratory case study (YIN, 2001) draws on data obtained from the national survey “How communicators work in times of the Covid-19 pandemic”, carried out by the Communication and Work Research Center (CPCT- ECA-USP); and information from semi-structured interviews with eight journalists from Ceará. The results show that the home office and home-office rotation systems, adopted during the pandemic, deepen the already consolidated scenario of precarious journalistic work (FÍGARO, 2013; MICK; LIMA, 2013;) and the work of women journalists, specifically (FIGARO, 2018; LELO, 2019;); and generate intensification of the work rhythm, higher demand for productivity and psychological / emotional exhaustion of the professionals; in addition to showing a sexual division of labor that is still prevalent, but selective.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/53780
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
ISSN: 1982-1662
Appears in Collections:COVID-19 - Trabalhos relacionados
PPGCOM - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_art_msolon.pdf437,71 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.