Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/9872
Título: A solidão dos moribundos
Autor(es): PINHEIRO, Joceny de Deus
Palavras-chave: Filosofia e psicanalítica
A morte
Lembrança dos vivos
Data do documento: 2002
Editor: www.rcs.ufc.br/edicoes
Citação: PINHEIRO, J. D. (2002)
Resumo: "Há várias maneiras de lidar com o fato de que todas as vidas, incluídas as das pessoas que amamos, têm um fim". Assim, Nobert Elias introduz a temática do livro "A Solidão dos Moribundos", cujo interesse maior parece ser a discussão, numa perspectiva ao mesmo tempo filosófica e psicanalítica, acerca da morte enquanto tabu nas sociedades ocidentais tidas como "avançadas", ou a morte enquanto problema, sobretudo, para os vivos. Ou para os quase vivos - pois que aí se incluem aqueles que estão na condição de moribundos. Primeiramente, fica claro que o modo como os vivos pensam a morte ou o ato de morrer diz das crenças, dos valores e das ideologias que orientam a organização da sociedade na qual essas pessoas se incluem. Viajando no tempo ou no espaço, tais concepções vão variando, umas revelando certa intimidade no que diz respeito à existência desse fim, outras se encobrindo de verdadeira distância e pavor no que tange à lembrança do mesmo...
Descrição: PINHEIRO, Joceny de Deus. A solidão dos moribundos. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v.33, n.1, 2002, p.122-126.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/9872
ISSN: 0041-8862 (impresso)
2318-4620 (online)
Aparece nas coleções:DCSO - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2002_art_jpinheiro.pdf3,85 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.