Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/10578
Title in Portuguese: Efeitos da salinidade sobre o desenvolvimento vegetativo do noni sob duas condições ambientais, na ausência e presença de composto orgânico
Title: Effects of the salinity on the vegetative growth of noni, under two environmental conditions, in the absence and presence of organic compound
Author: Souza, Maria Cristina Martins Ribeiro de
Advisor(s): Lacerda, Claudivan Feitosa de
Keywords: Noni – Irrigação – Sobral(CE)
Plantas – Efeito do sal
Plantas – Efeito do estresse
Issue Date: 2014
Citation: SOUZA, M. C. M. R. Efeitos da salinidade sobre o desenvolvimento vegetativo do noni sob duas condições ambientais, na ausência e presença de composto orgânico. 2014. 160 f. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) - Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.
Abstract in Portuguese: A salinidade e a radiação em excesso são estresses abióticos que podem afetar o crescimento e o metabolismo das plantas. Uma das alternativas para minimizar os efeitos deletérios desses estresses nas plantas, é a utilização de insumos orgânicos. Apesar da adaptabilidade intercontinental das plantas de noni, ainda são escassas informações sobre alternativas para minimizar os efeitos desse estresse, nestas plantas, em solo brasileiro. O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos da salinidade da água de irrigação sobre o crescimento inicial e metabolismo das plantas de noni (Morinda citrifolia L.), cultivadas em dois ambientes, na ausência ou presença de matéria orgânica. O delineamento estatístico adotado foi em blocos ao acaso disposto no esquema de parcelas subsubdivididas, com 5 repetições. As parcelas foram constituídas pelos ambientes de cultivo (céu aberto e telado), as subparcelas pelos níveis de salinidade da água de irrigação (CEa: 0,3; 1,5; 3,0; 4,5 e 6,0 dS m-1) e as subsubparcelas foram representadas pela ausência e presença de matéria orgânica. A combinação desses fatores resultou em 20 diferentes tratamentos, sendo que cada repetição foi constituída de três vasos (uma planta por vaso), totalizando 300 vasos. Para facilitar a descrição dos resultados, a tese foi dividida em quatro capítulos. O primeiro é referente ao crescimento e tolerância, o segundo às trocas gasosas e alterações morfológicas, o terceiro aos solutos orgânicos e danos de membrana e o quarto à nutrição mineral do solo e folha. As variáveis utilizadas foram: altura, massa seca da parte aérea (MSPA), da raiz (MSR), do caule (MSC) e das folhas (MSF) determinadas aos 60, 90 e 110 DAT (Dias após a aplicação dos tratamentos). Com os dados de massas secas dos diferentes órgãos vegetais calculou-se a tolerância destas plantas à salinidade e a qualidade das mudas. Além disso, foram determinadas a condutância estomática (gs), a fotossíntese líquida (A), a taxa de transpiração (E), a eficiência do uso da água (relações A/E e A/gs), o índice relativo de clorofila, os teores foliares de prolina, a proteína solúvel, N-aminossolúveis e carboidratos solúveis aos 60 e 90 DAT. Aos 110 DAT foram determinados o diâmetro do caule, a aréa foliar, a massa especifica foliar, o grau de suculência foliar, os teores foliares de cálcio, potássio, magnésio, nitrogênio, sódio, cloreto, relação Na/K, no solo a condutividade elétrica do extrato de saturação (CEes), os teores de cálcio, magnésio, potássio e sódio. De forma geral, a salinidade da água de irrigação provocou incremento linear na CEes, nos solutos orgânicos, nos teores foliares de Ca, Mg, N, Na, Cl e na relação Na/K sendo que o efeito observado a céu aberto foi mais expressivo do que no ambiente telado. Por outro lado, as variáveis de crescimento, trocas gasosas e teor de clorofila tiveram decréscimo com o aumento da salinidade da água de irrigação. No que diz respeito à tolerância as plantas de noni se mostraram tolerantes ou moderadamente tolerantes à salinidade quando irrigadas com água de 1,5 e 3,0 dS m-1, independente do ambiente de cultivo. Observou-se forte interação entre salinidade e o ambiente de cultivo para a maioria das variáveis de crescimento, sendo que as plantas de noni sob condições de telado se mostraram tolerantes à salinidade de até 6,0 dS m-1, sendo este ambiente mais adequado para produção de mudas desta cultura quando irrigadas com água salina. Considerando os atributos de qualidade de muda verifica-se que o ambiente a céu aberto se mostrou superior, notadamente em valores baixos e moderados de salinidade.
Abstract: The salinity and radiation in excess are abiotic stresses that can affect the growth, productivity and plant metabolism. One alternative to minimize the deleterious effects of stress in plants is the use of organic inputs. Despite the intercontinental adaptability of noni plants are still scarce information on alternatives to minimize the effects of stress, these plants on Brazilian soil. The objective of this study was to evaluate the effects of salinity of irrigation water on the initial growth and metabolism of plants noni (Morinda citrifolia L.) grown in two environments, in the absence or presence of organic matter. The statistical design was a randomized block design arranged in split plot scheme, with 5 repetitions. The plots consisted of the cultivation environments (greenhouse and open sky), the subplots salinity levels of irrigation water (ECw: 0.3, 1.5, 3.0, 4.5 and 6.0 dS m-1), and the split were represented by the absence and presence of organic matter. The combination of these factors resulted in 20 treatments, each replicate consisted of three pots (one plant per pot), totaling 300 vessels. To facilitate the description of the results, the thesis is divided into four chapters. The first relates to the development and tolerance, the second gas exchange and morphological changes to the third organic solutes and the membrane damage and fourth mineral nutrition of soil and foliage. The variables used were: Height, dry mass of shoots (DMS), root (DMR), stem (DMS) and leaves (DML) determined at 30, 60, 90 and 110 DAT (Days after treatment application). With data from dried pasta of different plant organs calculated the salinity tolerance of these plants. Moreover, were determined stomatal conductance (gs), net photosynthesis (A), transpiration rate (E), water use efficiency (ratios A/E and A/g), relative chlorophyll content, leaf proline content, soluble protein, N-aminossolúveis and soluble carbohydrates at 60 and 90 DAT. At 110 DAT were determined stem diameter, leaf area, leaf density, degree of leaf succulence, foliar concentrations of calcium, potassium, magnesium, nitrogen, sodium, electrical conductivity of soil saturation extract (CEes), the levels of calcium, magnesium, potassium and sodium. In general, the salinity of irrigation water caused a linear increase in CEs in organic solutes in Ca, Mg, N, Na, Cl and Na/K ratio and the effect observed in the open was more significant than in greenhouse atmosphere. On the other hand, the growth variables, gas exchange and chlorophyll content were decreased with increasing salinity of irrigation water. With regard to tolerance of plants tolerant noni showed moderate tolerance to salinity or when irrigated with water of 1.5 and 3.0 dS m-1, independent of the cultivation environment. A strong interaction between salinity and growth environment for most growth variables, and the noni plants under greenhouse conditions proved tolerant to salinity up to 6.0 dS m-1, which is more suitable environment for seedling production of this crop when irrigated with saline water. If the quality plants attributes are considered it is possible verify that the open sky environment was superior, main to low and moderate values of salinity.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/10578
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGENA - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_tese_mcmrsouza.pdf1,78 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.