Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/10608
Título: Aspectos geoepidemiológicos na artrite idiopática juvenil em uma região equatorial
Título em inglês: Geoepidemiológicos aspects in juvenile idiopathic arthritis in an equatorial region
Autor(es): Studart, Samia Araújo de Sousa
Orientador(es): Rocha, Francisco Airton Castro da
Palavras-chave: Artrite Juvenil
Vitamina D
Meio Ambiente
Data do documento: 2014
Citação: STUDART, S. A. S. (2014)
Resumo: A Artrite Idiopática Juvenil (AIJ) representa a doença articular crônica mais comum da infância, sendo constituída por subtipos heterogêneos, com apresentações clínicas específicas. São descritos fatores ambientais que poderiam influenciar na diversidade de expressão bem como na gravidade das manifestações clínicas. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a influência de fatores ambientais no quadro clínico dos pacientes com AIJ. Selecionou-se aleatoriamente 50 pacientes com AIJ atendidos em hospitais de referência. Esses passaram por avaliação clínica com especialista, inquérito epidemiológico e avaliação laboratorial. Determinou-se a exposição gestacional ou precoce ao tabagismo materno e familiar, o tempo de amamentação, a escolaridade em anos dos pais e a faixa salarial familiar, os níveis séricos de vitamina D (VitD), sendo esses correlacionados com o grau de atividade clínica inflamatória através do escore JADAS (Juvenile Arthritis Disease Activity Score), com o nível de incapacidade física mensurada pelo CHAQ (Childhood Health Assessment Questionnaire) e a presença de deformidades. Predominou o sexo feminino, com idade média na avaliação de 13,42 anos. O subtipo poliarticular fator reumatóide negativo foi o mais prevalente (32%) e deformidades articulares foram detectadas em apenas 15 pacientes. Houve predomínio da faixa salarial entre 1-3 salários, duração da amamentação menor que três meses, escolaridade dos pais menor que oito anos e exposição ao tabagismo materno e familiar em 10 e 18 pacientes respectivamente; o valor médio do CHAQ foi de 0,36 e 28 pacientes não apresentavam incapacidades; a média do JADAS foi de 9,1±11; a média da VitD foi de 31,52 ng/ml, com 50% apresentando níveis suficientes. Não se observou relação entre o grau de atividade clínica (JADAS) e os níveis da VitD; Não se detectou influência significativa dos demais fatores ambientais no quadro clínico. Conclui-se que os níveis de vitamina D foram suficientes em metade dos pacientes, provavelmente refletindo a maior exposição solar secundária à localização geográfica do Estado do Ceará próxima a linha do Equador; não se observou correlação entre VitD e atividade inflamatória na AIJ. Os fatores ambientais não influíram na apresentação clínica da AIJ nessa pesquisa
Abstract: The Juvenile Idiopathic Arthritis (JIA) is the most common chronic disease of childhood, being composed of heterogeneous subtypes with specific clinical presentations. Is described that environmental factors may influence the diversity of expression and the severity of clinical manifestations. The objective of this research was to evaluate the influence of environmental factors on the clinical picture of patients with JIA. Fifty patients with JIA treated at referral hospitals were randomly selected. They underwent clinical evaluation with expert as well as epidemiological investigation and laboratory evaluation. The gestational or early exposure to maternal and family smoking, duration of breastfeeding, parental education in years, family salary range, serum levels of vitamin D (VitD), and these correlated with the degree of clinical inflammatory activity through the JADAS score (Juvenile Arthritis Disease Activity Score), with the level of disability measured by CHAQ (Childhood Health Assessment Questionnaire) and the presence of deformities. Prevailing females and the mean age at assessment was 13,42 years. The rheumatoid factor negative polyarthritis subtype was the most prevalent (32%) and only 15 patients have deformities. There was a predominance of family salary range between 1 and 3 salaries, less than three months of breastfeeding, parents education of less than eight years and exposure to maternal and family smoking on 10 and 18 patients respectively; CHAQ average value was 0,36 and 28 patients were without disability; the JADAS average was 9.1±11; Vitamin D average was 31,52 ng/ml, with 50% presenting sufficient levels. No relationship between JADAS levels and vitamin D was observed; significant influence of environmental factors on the clinical picture was not detected. It was concluded that vitamin D levels were sufficient in half of the patients, probably reflecting the higher secondary sun exposure to the geographical location of the state of Ceará next the equator; no correlation was found between VitD and inflammatory activity in JIA. Environmental factors did not influence the clinical presentation of JIA in this research.
Descrição: STUDART, Samia Araújo de Sousa. Aspectos geoepidemiológicos na artrite idiopática juvenil em uma região equatorial. 2014. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2014.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/10608
Aparece nas coleções:DMC - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_dis_sasstudart.pdf789,68 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.