Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12261
Título: Gastrosquise experimental em fetos de ratas : avaliação da inflamação intestinal e contratilidade gástrica
Título em inglês: Experimental gastroschisis in rat fetuses : evaluation of intestinal inflammation and gastric contractility
Autor(es): Cavalcante, Marcelo Borges
Orientador(es): Souza, Marcellus Henrique Loiola Ponte de
Coorientador(es): Melo Filho, Antônio Aldo
Palavras-chave: Gastrosquise
Contração Muscular
Estômago
Fundo Gástrico
Data do documento: 2012
Citação: CAVALCANTE, M. B. ; SOUZA, H. L. P. ; MELO FILHO, A. A. (2012)
Resumo: Introdução: Gastrosquise é um defeito congênito de fechamento da parede abdominal, com herniação das alças intestinais, ficando em contato com líquido amniótico (LA). As alterações estruturais e a dismotilidade intestinal já são bem descritas em modelos animais de gastrosquise. Porém, pouco se conhece sobre a motilidade gástrica em fetos com gastrosquise. Objetivo: Determinar a influência do tempo de exposição das alças intestinais e a eficácia da corticoterapia sobre parâmetros morfométricos e avaliar a contratilidade gástrica em fetos de ratas com gastrosquise experimental. Material e métodos: Utilizou-se o modelo experimental de gastrosquise em fetos de ratas Wistar. Para a avaliação do tempo de exposição das alças intestinais ao LA, sobre os parâmetros morfométricos, dois grupos de fetos foram estudados: fetos de ratas operadas com 18,5 e 19,5 dias de gestação. Para a avaliação da eficácia da corticoterapia, sobre os parâmetros morfométricos, dois grupos de fetos foram estudados: fetos de ratas operadas com 18,5 dias de gestação com e sem tratamento com dexametasona. Para avaliação da atividade da enzima mieloperoxidase (MPO) e da contratilidade gástrica, foram estudados fetos de ratas operadas com 18,5 dias de gestação sem tratamento com dexametasona. Cada grupo foi composto por subgrupos de fetos submetidos à gastrosquise (G), controle (C) e sham (Sh). Morfometria: Avaliou-se a massa corpórea (MC), massa (MI) e comprimento intestinal (CI). Atividade MPO: Mediu-se a atividade MPO no intestino e no estômago. Contratilidade gástrica: Avaliou-se a contratilidade em segmentos de fundo e antro gástrico. As diferenças entre os Grupos e subgrupos foram testadas pelo método ANOVA (p<0,05). Resultados: Tempo de exposição: não houve diferença significativa entre as variáveis morfométricas analisadas, quando comparados os grupos com tempos de exposição diferentes. Corticoterapia: o tratamento materno com dexametasona reduziu o encurtamento intestinal dos fetos com gastrosquise. Atividade MPO: Fetos, submetidos à gastrosquise experimental, apresentaram elevação da atividade da MPO intestinal, e não houve diferença na atividade MPO gástrica entre os subgrupos. Contratilidade gástrica: Em condições basais, contrações oscilatórias espontâneas de antro e fundo de G, Sh e C foram semelhantes. As concentrações cumulativas de Carbacol (CCh) produziram um aumento significativo em amplitude e frequência das contrações espontâneas no músculo liso antral e um aumento sustentado da tonicidade em segmentos fúndicos. Não houve diferença significativa na freqüência ou amplitude observada em tecidos antrais. Também, em músculo liso fúndico, nenhuma diferença significativa foi observada, comparando a contratilidade dos grupos com a curva de CCh induzida na sequência em um formato sigmóide típico, dependente de concentrações crescentes. Conclusões: O tempo de exposição não interferiu nas alterações morfométricas de fetos com gastrosquise experimental. A corticoterapia mostrou-se benéfica na redução de danos morfométricos no intestino. As respostas gástricas contráteis para CCh são preservadas em fetos de ratos submetidos à gastrosquise experimental, sugerindo que a dilatação gástrica pode ocorrer apenas secundária à inflamação intestinal.
Abstract: Introduction: Gastroschisis is a congenital defect of the abdominal wall closure, with herniation of the intestines, getting in contact with amniotic fluid (AF). Structural changes and intestinal dysmotility are well described in animal models of gastroschisis. However, little is known about gastric motility in fetuses with gastroschisis. Objective: To determine the influence of time of exposure of the bowel and efficacy of corticosteroid therapy on morphometric parameters and evaluate the gastric contractility in fetal rats with experimental gastroschisis. Methods: We used the experimental model of gastroschisis in fetal Wistar. To evaluate the exposure time of the bowel to AF on morphometric parameters, two groups of fetuses were studied: fetuses of rats operated at 18.5 and 19.5 days of gestation. To evaluate the efficacy of corticosteroid therapy on morphometric parameters, two groups of fetuses were studied: fetuses of rats operated at 18.5 days of pregnancy with and without dexamethasone treatment. To evaluate the activity of the enzyme myeloperoxidase (MPO) and gastric contractility were studied fetuses of rats operated at 18.5 days of pregnancy without treatment. Each group was composed of subgroups of fetuses undergoing gastroschisis (G), control (C) and sham (Sh). Morphometrics: We evaluated the body mass (BM), mass (IM) and intestinal length (IL). MPO activity: We measured MPO activity in the intestine and stomach. Gastric Contractility: contractility was assessed in segments of background and gastric antrum. Differences between groups and subgroups were tested using ANOVA (p <0.05). Results: Exposure time: no significant difference between the morphometric variables analyzed, comparing the groups with different time of exposure days. Glucocorticoid therapy: maternal treatment with dexamethasone prevented the shortening of intestinal fetuses with gastroschisis. MPO activity: Fetuses with gastroschisis undergoing gastroschisis with 18.5 days showed elevated intestinal MPO activity, and there was no difference in gastric MPO activity between subgroups. Gastric Contractility: At baseline, spontaneous oscillatory contractions of the antrum and fund G, Sh and C were similar. The cumulative concentrations of carbachol (CCh) produced a significant increase in amplitude and frequency of spontaneous contractions and antral smooth muscle tonicity a sustained increase in fundic segments. There was no significant difference in the frequency or amplitude observed in antral tissues. Also, in fundic smooth muscle, no significant difference was observed comparing the contractility of the groups with the curve of CCh induced following a typical sigmoid shape, dependent on increasing concentrations. Conclusions: The time did not interfere in morphometric changes of experimental fetuses with gastroschisis. Steroid therapy was beneficial in reducing morphometric damage in fetuses with experimental gastroschisis. The gastric contractile responses to CCh are preserved in rat fetuses subjected to experimental gastroschisis. These results do not support the theory that gastric dilation can only occur secondary to intestinal inflammation.
Descrição: CAVALCANTE, Marcelo Borges. Gastrosquise experimental em fetos de ratas : avaliação da inflamação intestinal e contratilidade gástrica. 2012. 142 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12261
Aparece nas coleções:DMC - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_tese_mbcavalcante.pdf3,13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.