Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12552
Title in Portuguese: Avaliação da funcionalidade em crianças com mielomeningocele
Title: Assessment of functionality in children with Myelomeningocele
Author: Façanha, Dilene Maria de Araújo
Advisor(s): Carvalho , Zuila Maria de Figueiredo
Keywords: Atividades Cotidianas
Criança
Meningomielocele
Issue Date: 2015
Citation: FAÇANHA, D. M. A. Avaliação da funcionalidade em crianças com mielomeningocele. 2015. 106 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.
Abstract in Portuguese: A Mielomeningocele é um tipo de malformação congênita da coluna vertebral e da medula espinhal, de causas multifatoriais. Causa limitações ao desenvolvimento da criança e à sua funcionalidade, necessitando de assistência, acompanhamento multiprofissional e intervenções interdisciplinares de reabilitação. A enfermagem atua nesse processo e, assim, diante do exposto, buscou-se avaliar a funcionalidade da criança com Mielomeningocele e verificar se os familiares têm ofertado cuidados de acordo com suas necessidades. Estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa. Aplicou-se um questionário estruturado que documenta as habilidades funcionais da criança, a assistência dos cuidadores e as modificações do ambiente para as áreas de autocuidado, mobilidade e função social. Participaram do estudo 79 crianças na faixa etária de 3 a 7 anos e 6 meses, com diagnóstico de Mielomeningocele. A pesquisa foi realizada no Centro de Neurorreabilitação SARAH de Fortaleza. Nos resultados obtidos observou-se que nas habilidades funcionais as crianças apresentaram desenvolvimento inferior ao esperado. A oferta de condições favoráveis à promoção de independência da criança no domicílio ou a melhoria das habilidades com diminuição da assistência pode levar a uma maior mobilidade para a melhoria no autocuidado. Na assistência observou-se maior dependência na área de mobilidade, associada à dificuldade nas transferências, locomoção em ambiente externo e escadas. Na área de autocuidado uma maior assistência fornecida foi nos cuidados com a bexiga e o intestino neurogênico, o banho, o uso do banheiro, e o vestuário de membros inferiores. Na função social as dificuldades foram resolução de problemas, segurança e expressão funcional, sendo a área com menor assistência do cuidador e maior independência da criança. As crianças apresentaram-se funcionais no autocuidado para alimentação, higiene oral, cuidados com cabelos, nariz e face, e vestuário de membros superiores. Na mobilidade teve maior independência para transferência e mobilidade em cama, locomoção em ambiente interno, usando, evidentemente, o arrastar ou marcha com apoio. As modificações evidentes foram as da infância e de reabilitação. Diante do exposto, conclui-se que as crianças com Mielomeningocele têm um menor desempenho funcional nas habilidades, mas podem ser estimuladas a desenvolver as suas potencialidades no processo de reabilitação. O cuidador fornece assistência, mesmo nas áreas em que as crianças demonstram independência, mas é necessário diminuir a superproteção e favorecer a estimulação dessas crianças pelos cuidadores. Assim se favorece a promoção da saúde com qualidade de vida para o binômio mãe/filho, aumentando a inserção social e a autonomia desse público na adolescência. A enfermagem de reabilitação tem papel fundamental junto à equipe, focando nos treinos para o autocuidado ou orientação na assistência do cuidador com conhecimento, humanismo e qualidade. Acredita-se que avaliar a funcionalidade de crianças através de instrumento quantificável é de grande valor aos profissionais da neurologia, por nortear o perfil desse público e dos cuidadores, vislumbrando-se o que pode ser potencializado e promovido de independência.
Abstract: The Spina Bifida is a type of spine’s congenital ma lformation and spinal cord, caused by several factors. It causes limitations to the child ren’s development and their functionality, requiring assistance, multidisciplinary monitoring and interdisciplinary rehabilitation interventions. Nursing operates in this process and thus on the above, we sought to avaliate the children's functionality with Spina Bifida and verify if the families have offered the care according to their needs. It was made a descriptive transversal study with a quantitative approach. It was applied a structured questionnaire documenting the functional abilities of the child, the caregivers’ assistance and environmental changes in self-care areas, mobility and social function. The study included 79 (seventy-nin e) children, aged from 3 to 7,5 years, diagnosed with Spina Bifida. The research was leade d at Neurorehabilitation Center SARAH, in Fortaleza. In the results obtained were observed that in the functional skills, children had lower development than expected. Promoting the chil dren’s independence in their own residences, by provisioning favorable conditions fo r them, or improving their skills giving them less assistance, could lead them to a greater mobility, improving self-care. In assistance was observed bigger reliance on the mobility area, linked to transfers’ problems, locomotion in the external environment and stairs. In self-car e area was provided more assistance in the care of the bladder and the neurogenic bowel, in th e bath, toilet training and lower limbs’ clothing. In Social function, the difficulties were in solving problems, safety and functional expression, being the area with less assistance fro m caregivers and increased independence of children. Children have shown to be functional in s elf-care for feeding, oral hygiene, hair care, nose and face and upper limbs’ clothing. In m obility, children increased independence on the transfer and mobility in bed, indoors, dragg ing or using supported gait. The obvious changes happened in childhood and during the rehabi litation process. Therefore, it is concluded that children with Myelomeningocele have a lower performance in functional abilities, but could be stimulated to develop their potential in rehabilitation process. The caregiver provides care, even in areas where childr en show independence, but is necessary to reduce the over-protection and encourage the stimul ation of these children by caregivers. Therefore, health promotion is favored with life qu ality to the mother/child pair, increasing social inclusion and autonomy to that public during adolescence. Rehabilitation nursing has a fundamental role with the team, focusing on self-ca re training or caregiver assistance guidance with knowledge, humanism and quality. It i s believed that to evaluate the children’s functionality through quantifiable tool is somethin g of great value to neurology’s professionals, because it’s guide this public and t he caregivers profile, envisioning what could be enhanced and promoted for their independence
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12552
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_dis_dmafacanha.pdf5,37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.