Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1274
Título: Ação política, transformação social e reconstrução de identidades: um olhar a partir do feminismo para a militância das mulheres rurais nos movimentos sociais
Título em inglês: Politic action, social transformation and identities reconstruction: a view from the feminism to rural women militancy in social moviments
Autor(es): CRUZ, Elizabeth Ferreira
Orientador(es): CARVALHO, Alba Maria Pinho de
Palavras-chave: Identidade
Sujeito
Transformação social
Militância
Mulheres do campo - Ceará - atividades políticas
Mulheres do campo - Ceará - condições sociais
Movimentos sociais - Ceará
Feminismo - Ceará
Movimento dos trabalhadores rurais sem-terra
Movimento sindical dos trabalhadores e trabalhadoras rurais
Movimento da mulher trabalhadora rural do Nordeste
Identity
Social transformation
Militancy
Data do documento: 2008
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: CRUZ, E. F. ; CARVALHO, A. M. P. (2008)
Resumo: A presente pesquisa teve como principal objetivo identificar e analisar as transformações ocorridas nas dimensões da identidade e na posição de sujeito das mulheres rurais que exercem militância política em movimentos sociais rurais no Ceará. Buscou também apreender se a vinculação ou aproximação com o feminismo, seja como ideologia/visão de mundo, teoria ou movimento social, constitui um diferencial para a mudança de posição de sujeito das mulheres militantes, contribuindo para que estas sejam mais autônomas, tanto nos movimentos em que militam como em sua vida cotidiana no âmbito das relações familiares. A análise concentra-se nas experiências de mulheres militantes de três movimentos sociais: Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Nordeste – MMTR/NE, Movimento Sem Terra – MST e Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais – MSTTR. Analisa também as experiências de mulheres rurais que não militam em movimentos de forma a poder identificar e problematizar diferenças e semelhanças entre os dois grupos, constatando ou não se a militância política provoca transformações significativas nas dimensões da identidade e nas práticas cotidianas das mulheres militantes. São conceitos-chave neste estudo: identidade, sujeito, transformação social e militância. Esta reflexão toma como base os princípios epistemológicos, teóricos e metodológicos das Teorias Feministas e do Marxismo. Para dar contar de apreender melhor o objeto de estudo, adotou-se como procedimento metodológico a pesquisa qualitativa, numa abordagem feminista, colhendo os dados empíricos através de entrevistas coletivas (grupo focal) e individuais, observação participante, bem como a análise de documentos. As conclusões indicam que a militância política em movimentos sociais, ainda que não seja suficiente para constituir as mulheres como sujeitos plenos de si, contribui de forma significativa para que estas mulheres ajam e se coloquem em suas vidas, política e privada, com mais autonomia do que aquelas que não militam em movimentos sociais. A militância possibilita maior conhecimento, maior acesso à informação e a vivência em um mundo público-político que cria condições para o exercício de uma prática cidadã, de proposição e reivindicação de direitos. Há diferenças significativas entre as mulheres que militam e aquelas que não militam, em especial, na sua visão de mundo sobre os processos de dominação de classe e de gênero. Ainda que haja semelhanças nas percepções sobre as transformações ocorridas no meio rural, as mulheres militantes mostram uma postura mais crítica sobre essas transformações, algumas identificando nelas contradições. Também foi possível identificar que entre as mulheres militantes há uma percepção mais crítica das relações desiguais de poder entre mulheres e homens e da cultura patriarcal presentes na sociedade, sobretudo, aquelas que têm algum vínculo direto ou indireto com o feminismo. Entre estas, foi constatado um processo de mudança nas relações de gênero no âmbito familiar, inclusive uma maior divisão do trabalho doméstico.
Abstract: The present research's main objective was to identify and analyze the transformations that occurred in the dimensions of the identity and the subject position of rural women that exercise political militancy in social movements in rural Ceará. It sought also to apprehend if the linking or proximity with feminism, as it ideology/vision of the world, theory or social movement, it constitutes a differential for the change of position of the subject of militant women, contributing so that these women can be more autonomous, so much in the movements of which they are a part, as in their routine life in the scope of the familiar relations. The analysis concentrates itself in the experiences of militant women of three social movements: Movement of Rural Working Women of the Northeast – MMTR/NE, Movement of Rural Workers Without Land – MST and Union Movement of Rural Workers – MSTTR. It analyzes also the experiences of rural women that aren't militants in social movements of form to be able to identify and complicate differences and resemblances between the two groups, establishing or not if the political militancy provokes significant transformations in the dimensions of the identity and in the routine practices of the militant women. The key concepts in this study are: identity, subject, social transformation and militancy. This reflection is based on epistemological, theoretic and methodological principles of Feminist Theories e Marxism. In able to better apprehend the object of study, a methodological procedure to qualitative research was adopted, in a feminist approach, reaping the empirical facts through individual and collective interviews (focal group), participant observation, as well as the analysis of documents. The conclusions indicate that the political militancy in social movements, even if they are not sufficient to constitute the women as full subjects of themselves, it contributes in a significant form so that these women act in their own lives, political and private, with more autonomy than those that are not militants in social movements. The militancy enables bigger knowledge, bigger access to the information and the experience in a political-public world that creates conditions for the exercise of a citizen practice, such as proposition and claim of rights. There are significant differences between the women who are active militants and those that are not, specifically, in their vision about class and gender domination trials in the world. Even if there are resemblances in the perceptions about the transformations occurred in the rural environment, the militant women show a posture more critical about those transformations, some identifying in them contradictions. Also, it was possible to identify that between the militant women there is a perception more critical of the uneven relations between women and men and of the present patriarchal culture in out society, especially, those that have some straight or indirect bond with the feminism. Between these, it was established a trial of change in the relations of kind in the family scope, including a bigger division of the housework.
Descrição: CRUZ, Elizabeth Ferreira. Ação política, transformação social e reconstrução de identidades: um olhar a partir do feminismo para a militância das mulheres rurais nos movimentos sociais. 2008. 180f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Ciências Sociais, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Fortaleza-CE, 2008.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1274
Aparece nas coleções:DCSO - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2008_Dis_EFCRUZ.pdf1,32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.