Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1320
Título: Masculinidade : os homens e o cuidado com a saúde
Título em inglês: Masculinidade : the men and the care with health
Autor(es): Costa, Maria Auxiliadora Garcia da
Orientador(es): Kerr , Ligia Regina Sansigolo
Palavras-chave: Identidade de Gênero
Gênero e Saúde
Masculinidade
Data do documento: 2001
Citação: COSTA, M. A. G. (2001)
Resumo: A presente dissertação tem por objetivo discutir algumas questões a respeito da saúde e da doença, e suas possíveis repercussões sobre a masculinidade, vistas através das representações de homens portadores de doenças na próstata. É resultado de uma investigação de abordagem qualitativa, centrada na dimensão subjetiva do processo de adoecer e sua repercussão sobre a definição/redefinição da identidade do gênero masculino. Analisaram-se, em especial, as repercussões que a experiência da doença, enquanto estado de fragilidade, podem provocar nos homens, em termos de mudança de comportamento, no sentido de ensejar um processo de cuidado para com a sua saúde. A investigação centrou-se em um grupo de entrevistados, oriundo das classes populares, buscando-se conjugar a dimensão simbólica das ações dos sujeitos masculinos com os condicionantes materiais de classe dos mesmos; considerando-se que há por parte dessas classes um compartilhar de representações próprias, constitutivas de uma cultura popular. O trabalho de campo foi realizado no período de agosto a outubro de 1999, num hospital público filantrópico de Fortaleza, utilizando-se entrevistas individuais semi-estruturadas. A análise empreendida partiu da definição prévia de temas para a elaboração do roteiro de entrevista, seguida da identificação das categorias emergentes no discurso dos informantes como eixo de codificação em núcleos temáticos. Dentre os resultados encontrados podemos destacar: que o trabalho é determinante da qualidade da saúde dos homens das classes populares, não sendo a doença, portanto, que provoca repercussões sobre a masculinidade e sim o trabalho; que a doença não parece representar uma preocupação em ralação ao exercício das atividades sexuais, pelo menos, não tanto quanto representa em relação ao trabalho; que, por não darem muita atenção às sensações doentias e ao próprio corpo, os homens também não percebem a próstata com um órgão que tem implicações no seu desempenho sexual; e, por fim, que a noção de cuidado com a saúde está associada aos excessos nas atividades do lazer, sinalizando para uma certa dificuldade em cuidar da saúde quando se é homem e jovem.
Abstract: The present dissertation has the goal of discuss some questions about health and illness and their possible repercussions over masculinity, seen through the representations of men porter of illness in the prostate. It’s the result of an investigation of qualitative approach, centered on the subjective dimension of the process of getting ill and its repercussion over the definition/redefinition of the identity of the male gender. Were specially analyzed the repercussions that the experience of illness, while fragility status, can cause over man, about the behavior change, in the meaning of bringing a process of taking care of their health. The was centered in a group of people who were interviewed, came from the popular classes, searching for joining the symbolic dimension of the actions of the male subjects within their class material conditions, building a popular culture. The camp work was made from august to October, 1999, in a philanthropic public hospital in Fortaleza, using individual interviews semi structured. The analysis made started by the previous definitions of the topics for the elaboration of the interviews schedule, followed by the identification of the emergent categories from the informant speeches as a center of codification in thematic nucleus.Among the found results we can detach: that the work is determinant for health quality of the man in popular classes, it’s not illness therefore, that provokes repercussions over masculinity, but work is determinant, that illness does not represent a preoccupation related to the development of sexual activities, at least, not so much as the work relation represents, that the lack of attention on sickly sensations and on their own body men also don’t notice the prostate as an organ that has implication with sexual achievement and, at last, that health care notions is associated with extravagance in entertainment activities signing for a certain difficulty in taking care of health when it’s a young man.
Descrição: COSTA, Maria Auxiliadora Garcia da. Masculinidade : os homens e o cuidado com a saúde. 2001. 89 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2001.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1320
Aparece nas coleções:DSC - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2001_dis_magcosta.pdf425,91 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.