Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13277
Título: Traumatismo cranioencefálico e quedas em idosos: associação com fatores extrínsecos e intrínsecos
Autor(es): Mendes, Walber de Oliveira
Carneiro, Sandra Maria Bastos de Macêdo
Junior, Luiz Severo Bem
Almeida, Antônia Liana Rodrigues de
Santos, Glaylton Silva
Gomes, Camila Rabelo Ferreira
Palavras-chave: Acidentes por Quedas
Saúde do Idoso
Fatores de Risco
Data do documento: 2013
Editor: Revista Extensão em Ação
Citação: MENDES, W. O.; CARNEIRO, S. M. B. M.; JUNIOR, L. S. B.; ALMEIDA, A. L. R.; SANTOS, G. S.; GOMES, C. R. F. (2013)
Resumo: O presente texto tem o objetivo de expor a prevalência de quedas em idosos associando aos fatores de risco intrínsecos e extrínsecos.Trata-se de um estudo transversal, quantitativo e exploratório. Estabeleceu-se para a amostra a proporção fixa de 10 idosos para cada microárea de abrangência da Unidade Básica de Saúde (UBS) situada no município de Fortaleza, Ceará. O instrumento utilizado foi um questionário estruturado heteropreenchido aplicado por quatro por alunos pesquisadores anteriormente treinados, acompanhados por um professor orientador em idosos na UBS em sala reservada, questionando quanto à prevalência de quedas e suas circunstâncias, de fatores intrínsecos e de fatores extrínsecos relacionados a quedas.Foram entrevistados 50 idosos (idade≥60 anos) com média de idade de 67,32 anos ±5,63, sendo 24%(12) homens e 76%(38) mulheres. Entre os entrevistados a prevalência de quedas nos últimos 12 meses foi de 48%(24). Dentre esses, 25%(6) relataram bater a cabeça no momento da queda. Quanto à avaliação dos fatores de risco intrínsecos, 62%(31) queixaram-se de diminuição da percepção de distância, visão periférica ou adaptação ao escuro, 50%(25) queixaram-se de fraqueza muscular. Quanto aos fatores extrínsecos, verificou-se a presença de superfícies escorregadias em 30%(15), tapetes soltos ou com dobras em 42%(21), ausência de corrimão em corredores e banheiros em 78%(39), via pública mal conservada com buracos ou irregularidades em 82%(41), dentre outros.As quedas entre os idosos representam importante problema de saúde pública. Os idosos estudados apresentaram prevalência acentuada de quedas associadas a fatores de risco, demonstrando a importância de estabelecer ações para promoção da saúde dessa parcela da população.
Abstract: Objective: Exposing the prevalence of falls in elderly associated to intrinsic and extrinsic risk factors. Methods: It is a cross-sectional study, quantitative and exploratory. It was established a fixed ratio of 10 elderly people for each micro area of coverage of primary health care unit located in Fortaleza, Ceará. The instrument used was a structured questionnaire applied by four previously trained research students, accompanied by a professor in elderly at primary health care unit in a private room, questioning regarding the prevalence of falls and their circumstances, intrinsic and extrinsic factors related to falls. Results: We interviewed 50 elderly (age ≥ 60 years) with an average age of 67.32 years ±5,63, 24%(12) men and 76%(38) women. Among the respondents the prevalence of falls in the last 12 months was 48%(24). Of these, 25%(6) reported hitting his head at the time of the fall. On the analysis of intrinsic risk factors, 62%(31) complained of decreased perception of distance, peripheral vision or dark adaptation, 50%(25) complained of muscular weakness. As for extrinsic factors, there was the presence of 30%(15) on slippery surfaces, loose rugs or fold in 42%(21), absence of handrails in hallways and bathrooms in 78%(39), poorly maintained road with holes or irregularities in 82%(41), among others. Conclusion: Falls among the elderly represent an important public health problem. The elderly studied exhibited marked prevalence of falls associated with risk factors, demonstrating the importance of establishing actions to health promotion of that portion of the population.
Descrição: MENDES, Walber de Oliveira; CARNEIRO, Sandra Maria Bastos de Macêdo; JUNIOR, Luiz Severo Bem et al. Traumatismo cranioencefálico e quedas em idosos: associação com fatores extrínsecos e intrínsecos. Revista Extensão em Ação. Fortaleza, v. 1, n. 4, 2013. Disponível em: <http://www.revistaprex.ufc.br/index.php/EXTA/article/view/24/73>. Acesso em: 18 set. 2015.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13277
ISSN: 2316-400X
Aparece nas coleções:PREX - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_art_womendes.pdf390,99 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.