Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14281
Title in Portuguese: A cegueira do óbvio: a importância dos serviços ecossistêmicos na mensuração do bem-estar
Title: The blindness of obvious: the relevance of ecosystem services in the measurement of well - being
Author: Rabelo, Melca Silva
Advisor(s): Lima, Patrícia Verônica Pinheiro Sales
Keywords: Serviços ambientais
Bem-estar
Sustentabilidade
Issue Date: 2014
Citation: RABELO, M. S. (2014)
Abstract in Portuguese: Diante da crise ambiental global, os ecossistemas tornam-se cada vez mais vulneráveis, e consequentemente os benefícios por eles ofertados, conhecidos como serviços ecossistêmicos. Os Serviços Ecossistêmicos influenciam de maneira direta e indireta a promoção de bem-estar humano. Seus benefícios atravessam fronteiras, mas a sua produção pode acontecer de maneira local, cujo processo ainda é pouco entendido pelos cientistas. Durante anos, têm sido negligenciados, principalmente pelos países com pouco conhecimento e interesse sobre sua própria biodiversidade. Porém, o desafio de se conviver em um planeta finito e com uma população mundial cada vez maior anuncia um cenário em que o impacto crescente sobre o uso dos recursos naturais impulsionará a necessidade de se investir em uma gestão eficiente sobre sua alocação. O presente trabalho parte da hipótese de a mensuração do bem-estar, pela perspectiva do desenvolvimento sustentável, deve ser composta por indicadores que contemplem a integração entre o bem-estar humano e os serviços ecossistêmicos. O objetivo geral da pesquisa foi propor um conjunto de indicadores que retrate, pela perspectiva do desenvolvimento sustentável, a importância da inserção dos serviços ecossistêmicos de provisão na mensuração do bem-estar em áreas degradadas. Essa relação traz em si o óbvio: a importância dos serviços ecossistêmicos para o bem-estar humano. Baseando-se em uma releitura de Prescott-Allen (2001) e adaptando para a realidade local, foi desenvolvido um conjunto de índices e indicadores, em diferentes dimensões, que resultaram em dois índices: Índice de Bem-Estar Humano (IBEH) e Índice de Bem-Estar Ecossistêmico (IBEE). O IBEH é composto por cinco dimensões (Saúde e População, Riqueza das Famílias, Conhecimento e Cultura, Comunidade e Equidade) e quinze indicadores, enquanto o IBEE é constituído por cinco dimensões (Terra, Água, Ar, Biodiversidade e Uso dos Recursos) e sete indicadores gerando assim um framework que reproduz o seu estado e suas inter-relações. A validação do IBEH e do IBEE foi realizada na comunidade do Sítio do Brum localizado no bioma Caatinga no estado do Ceará, Brasil. Desconhecido para muitos, a Caatinga está em acelerado processo de degradação intensificado pela má gestão dos recursos ambientais bem como pelas condições climáticas da região. Como principais resultados o uso de índices e indicadores em serviços ecossistêmicos conseguiu capturar a relação entre os serviços ecossistêmicos e o bem-estar humano, além de validar a capacidade dos indicadores escolhidos descreverem os sistemas sócio-ecossistêmicos e a sua interação. A escolha da aplicação dos índices em um bioma degradado e por diversas vezes pouco valorizado, como a Caatinga, revelou não somente a importância do impacto das ações antrópicas neste tipo de bioma, mas o véu que os cobre. Identificou-se uma comunidade que compreende sua realidade, almeja mudanças, possui visão de futuro coletiva, mas não possui capacidade de provocar mudanças. Embora não seja fácil agir em função das preocupações intergeracionais, mudanças somente ocorrerão quando as avaliações de serviços ecossistêmicos englobarem também as pessoas, algo que por sua vez envolve motivações e limites cognitivos na aquisição e processamento de informações, essencial para garantir o bem-estar das gerações presentes e futuras, abordagem sugerida pelo framework em questão apresentado.
Abstract: Given the global environmental crisis, ecosystems become increasingly vulnerable and therefore the benefits offered by them, known as ecosystem service. The ecosystem services influence directly and indirectly the promotion of human well-being. Its benefits cross borders, but its production can happen in a local way, which process is still poorly understood by scientists. For years, the ecosystem services have been neglected, especially by countries with little knowledge and interest about their own biodiversity. However, the challenge to live in a finite planet with a growing world population announce a scenario where increasing impact on the use of natural resources will drive the need to invest in efficient management of its allocation . This study starts from the hypothesis that the measurement of well-being by the sustainable development’s approach would include indicators that address the integration of human well-being and ecosystem services. The main goal of this research is present indices that portray, in a sustainable development’s approach, the importance of integrating provisioning ecosystem services in measuring of well-being in degraded areas. This interaction brings with it the obvious: the relevance of ecosystem services for human well-being. Taking into account the literature review, we adapted the Prescott-Allen model to make it appropriate for our study area. A set of indices and indicators were developed in different dimensions resulting in two indices: the Human Well-Being Index (HWBI) and the Ecosystem Well-Being Index (EWBI).The HWBI consists of five dimensions: Health and Population, Household Wealth, Knowledge and Culture, Community and Equity, and fifteen indicators. The EWBI also consists of five dimensions: Land, Water, Air, Biodiversity and Resource Use; and seven indicators. The interaction between these two indices generated a framework that shows the dependence between each of the variables analyzed. The proposed set of indicators was tested in Sitio do Brum community, located in the Caatinga biome in the state of Ceará, Brazil. Unknown to many, the Caatinga is in a rapid degradation process due to mismanagement of environmental resources and the climatic conditions of the region. The main results of the use of indices and indicators for ecosystem services managed to capture the relationship between ecosystem services and human well-being, and to validate the ability of the chosen indicators to describe the socio-ecosystems and their interaction. The choice of application of the parameters in a degraded and often undervalued biome, such as the Caatinga, revealed not only the importance of the impact of human actions in this type of biome, but the veil that covers them. A community was identified, which understands its reality, craves for changes, has its own collective vision of the future, but has no ability to bring about change. Although it is not easy to act on the basis of intergenerational concerns, changes only occur when the assessments of ecosystem services also encompass people, which in turn involves motivations and cognitive limitations in acquiring and processing information, essential to ensure the well-being of current and next generations, approach suggested by the framework in question.
Description: RABELO, M. S. A cegueira do óbvio: a importância dos serviços ecossistêmicos na mensuração do bem-estar. 2014. 135 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14281
Appears in Collections:PRODEMA - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_tese_msrabelo.pdf3,47 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.