Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14817
Title in Portuguese: O papel da mistura de magmas na gênese do magmatismo granítico cálcio-alcalino Quixeramobim-CE
Author: Almeida, Afonso Rodrigues de
Ulbrich, Horstpeter H. G. J.
Issue Date: 2001
Publisher: Revista de Geologia
Citation: ALMEIDA, AFONSO RODRIGUES DE; ULBRICH, HORSTPETER H. G. J. (2001)
Abstract in Portuguese: O batólito Quixeramobim com cerca de 1600 Km2 de área está situado na porção central do Estado do Ceará, distante cerca de 180 Km a sudoeste de Fortaleza, está constituído por seis grandes subdivisões litológicas ou facies; o Muxuré Novo, o Muxuré Velho, o Água Doce, o Serra Branca, o Uruque, o Mobilizados Tardios e pelos Sub-Facies Boa Fé e Uruquê Transicional Muxuré Novo. Os facies Muxuré Novo, Serra Branca e o SubFacies Boa Fé constituem uma suite cálcio-alcalina de médio potássio, composta por quartzo-dioritos, tonalitos, granodioritos (dominantes) e monzogranitos a biotita e anfibólio. Eles são diferenciados por seu padrão textural porfirítico, com o Serra Branca apresentando fenocristais de feldspatos variando de 6 a 20 cm; o Muxuré Novo com fenocristais variando de 6 a 1,5 cm e o Boa Fé exibindo nocristais aproximadamente equidimensionais em torno de 2,5 cm. Os litotipos do Água Doce constituem uma suite cálcio-alcalina de baixo potássio, composta essencialmente por quartzodioritos e tonalitos de cor cinza azulado, granulação média, afíricos, contendo biotita e anfibólios como minerais máficos essenciais. O facies Uruquê, está composto essencialmente por granodioritos e monzogranitos a biotita. São rochas leucocráticas, de cor cinza claro a cinza amarelado, granulação média a fina e afiricas. Juntamente com os enclaves microgranulares compõem uma suite cálcio-alcalina de médio potássio. O facies Muxuré Velho, uma suite tonalitica de variável potássio, está presente na forma de enclaves e diques sinplutônicos, inclusos no seio dos litotipos dos demais facies. São rochas de cor escura e de granulação média a fina, geralmente contendo xenocristais de feldspatos potássicos. Seus litotipos são essencialmente metaluminosos, ricos em álcalis, Sr, Ba, e ETRL, e pobres em CaO e MgO caracterizando-os como uma suite cálcio-alcalina tardi-colisional Os litotipos Quixeramobim exibem teores de SiO2 que variam de 51 a 73%, são essencialmente metaluminosos, ricos em álcalis, Sr, Ba e ETRL e pobres em ETRP, MgO e CaO. Seus teores em ETRL são de 2 a 3 vezes mais altos que os exibidos por suites cálcio-alcalinas normais. A ocorrência universal de enclaves microgranulares e diques sinplutônicos descontínuos no batólito sugerem que o mecanismo de mistura de magmas foi de primordial importância na geração destes batólitos. Em Quixeramobim, as inclinações das curvas de mistura indicam uma participação de magmas crustais em torno de 65%, e os mantélicos participando com 35%. Em Quixadá parece não haver a participação de magmas crustais. Os altos teores de Sr, Ba e ETRL, com anomalias de Eu ausentes e baixos teores de ETRL, sugerem que os magmas mantélicos são o resultado da fusão de um manto litosférico metassomatisado enriquecido em ETRL, controlada principalmente por hornblenda e flogopita.
Description: ALMEIDA, Afonso Rodrigues de; ULBRICH, Horstpeter H. G. J. O papel da mistura de magmas na gênese do magmatismo granítico cálcio-alcalino Quixeramobim-CE. Revista de Geologia, Fotaleza, v. 14, n.1 (2001)
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14817
metadata.dc.type: Article
ISSN: 0103-2410
Appears in Collections:DGL - Artigos publicados em revista científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
art_aralmeida_2001.pdf480 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.