Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14906
Título: Compostos supramoleculares derivados da meso-Tetrapiridil Porfirina: caracterização e utilização como agentes modificadores de eletrodos.
Autor(es): Araújo, Samuel Victor Lima
Orientador(es): Sousa, Jackson Rodrigues de
Palavras-chave: Rutênio
Polímeros condutores
Eletrodos
Data do documento: 2013
Citação: ARAÚJO, S. V. L.; SOUSA, J. R. (2013)
Resumo: Compostos de rutênio derivados da 5,10,15,20-tetrapiridilporfirina (TPyP) tem sido amplamente utilizados no desenvolvimento de eletrodos quimicamente modificados (EQM’s) para aplicação como sensores eletroquímicos. Tais sensores tem como objetivo principal a detecção e quantificação de traços de diversas substâncias tais como dopamina, catecol, nitrito, sulfito, peróxido de hidrogênio, entre outros. A modificação dos eletrodos pode ser conduzida a partir das mais variadas técnicas, uma delas é a eletropolimerização, em que o crescimento do filme sobre a superfície do eletrodo de trabalho se dá pela sucessiva aplicação de potencial a este, assim, o agente modificante (que está em solução) deposita-se na superfície formando polímeros condutores. Para os compostos derivados da TPyP a formação (ou não) do filme vai depender de diversos fatores tais como: do metal inserido do interior do anel porfirínico, dos ligantes presentes nos sistemas periféricos de rutênio, de reações químicas acopladas às reações eletroquímicas às quais o composto é submetido na ciclagem, da velocidade de varredura e janela de potencial a qual o sistema é varrido, do eletrólito utilizado, do tratamento dado ao eletrodo de trabalho antes da modificação, dentre outros. Com isto, neste trabalho é descrita a síntese e caracterização de compostos de coordenação L-TPyP-[RuCl(dppb)(phen)]4(PF6)4, onde L = H2, Cu ou Co. O composto tetrarutenado derivado da Co-TPyP foi utilizado na modificação dos eletrodos. Foram utilizadas, como matrizes a serem modificadas, os eletrodos de carbono vítreo, de platina, de FTO (eletrodo transparente de titânio dopado com flúor) e o de ITO (eletrodo transparente de óxido de titânio dopado com índio). A modificação foi conduzida por 100 ciclos na janela de potencial de 0,4 a 1,5V (vs. Ag+/Ag) a 0,1 V s-1. Em todos os casos a modificação foi evidenciada pelo aumento das correntes de pico dos processos atribuídos ao par RuIII/RuII em aproximadamente 1,1 V (vs. Ag+/Ag). No registro de voltamogramas desses EQM’s na solução do eletrólito PTBA (Perclorato de tetrabutilamônio) 0,1 mol L-1 em diclorometano foi possível a visualização de um par de ondas voltamétricas atribuídas ao par RuIII/RuII, evidenciando a formação do filme. A modificação dos eletrodos transparentes foi importante, pois permitiu a obtenção do espectro de absorção de radiação UV/vis do filme formado. Ensaios preliminares com o eletrodo modificado de carbono vítreo frente à oxidação da cafeína mostram que este torna o sistema eletroquímico muito mais sensível à detecção do processo desta substância em relação ao eletrodo de carbono vítreo.
Descrição: ARAÚJO, S. V. L. Compostos supramoleculares derivados da meso-Tetrapiridil Porfirina: caracterização e utilização como agentes modificadores de eletrodos. 2013. 87 f. Dissertação (Mestrado em Química) - Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14906
Aparece nas coleções:DQOI - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_dis_svlaraujo.pdf2,04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.