Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15075
Title in Portuguese: Economia criativa no Ceará: um estudo da institucionalização do campo do humor
Author: Lima, Bruno Chaves Correia
Advisor(s): Cabral, Augusto Cézar de Aquino
Keywords: Industria cultural
Criação (Literária, artística, etc.)
Humorismo - Ceará
Issue Date: 2012
Citation: LIMA, Bruno Chaves Correia. Economia criativa no Ceará: um estudo da institucionalização do campo do humor. 2012. 174 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Mestrado Acadêmico em Administração e Controladoria, Fortaleza-CE, 2012.
Abstract in Portuguese: O objetivo deste trabalho é analisar o processo de institucionalização da economia criativa do humor no Estado do Ceará, à luz da teorização de Tolbert e Zucker (1999), que apresenta o processo sendo composto de três fases: habitualização, objetivação e sedimentação. Foram utilizados também como referência o modelo dos níveis de enlaces interorganizacionais, de Holanda (2003), e os indicadores de grau de institucionalização propostos por Scott (1995) e Dimaggio e Powel (2001). Os estudos organizacionais nas últimas décadas destacam a Teoria Institucional como abordagem centrada nas influências do ambiente nas formas e nas estruturas de diferentes organizações, especialmente naquelas que trazem em seu âmago a valorização de aspectos intangíveis, simbólicos e culturais, tais como as que compõem a economia criativa. No Ceará, o humor se configura como um relevante campo da economia e cultura local cujo processo de institucionalização se configura como um salutar objeto de estudo. Para alcance do objetivo proposto, foi realizada uma pesquisa de naturezas qualitativa e quantitativa; exploratória e descritiva, quanto aos fins; e documental e de campo quanto aos meios. Além de entrevistas realizadas com amostra não-aleatória de quinze representantes organizacionais que compõem o campo, foram respondidos questionários por 67,4% dos humoristas em atividade no Ceará. Os resultados da pesquisa indicam que o humor no Ceará tem raízes históricas que remontam aos séculos XVIII e XIX e foi protagonizado por diferentes cenários – especialmente a Praça do Ferreira - e tipos populares que, por meio da irreverência em um cotidiano de dificuldades, reforçaram a vertente humorística da imagem “Ceará Moleque”. A formação do campo do humor como um negócio da economia criativa cearense se deu por meio do estímulo de forças de mercado e por situações eventuais que emergiram hábitos sociais irreverentes da juventude alencarina na década de 1980. Nesse contexto, indivíduos e organizações inovaram e adotaram arranjos e estruturas comuns, especialmente em bares e restaurantes, caracterizando a fase de habitualização. No transcorrer das décadas seguintes, com a atuação consensual dos atores do campo monitorado, o padrão de estruturas bem sucedidas foi difundido, entretanto sem teorização formal. A partir da década de 2000, as concorrências e as disputas por espaços geraram formações de grupos, aumento dos enlaces interorganizacionais e da área geográfica de ocorrência do humor, além do surgimento de novas e recentes estruturas organizacionais, tais como associações, sindicato, fórum, teatros e museu temáticos, dentre outras. Tais características associadas às dificuldades de comunicação e teorização no campo indicam que essa economia criativa está entre as fases de objetificação e sedimentação do seu processo de institucionalização. Os resultados dos questionários confirmaram esse grau intermediário do processo, pois seis dos sete indicadores de institucionalização obtiveram médias inclusas no intervalo central. Por fim, ressalta-se que o humor, enraizado na cultura do povo cearense, se configura como uma atividade da economia criativa que cresce em número e enlaces de atores do campo, mediante recentes estruturas interorganizacionais que geram divergências entre grupos e visam a ampliação de espaço mercadológico junto ao público cearense e turista.
Abstract: This paper aims to analyze the process of institutionalization of the creative economy of comedy in the State of Ceará, in the light of theorizing Tolbert and Zucker (1999), which presents the process consisting of three phases: habitualization, objectification and sedimentation. Levels of inter-linkageswere also used as the reference model, from Holanda (2003), and indicators of the degree of institutionalization proposed by Scott (1995) and DiMaggio and Powell (2001). Organizational studies in recent decades highlight the institutional theory as an approach focused on environmental influences in the forms and structures of different organizations, especially those that bring in their core valuing intangible, symbolic and cultural aspects, such as those that make up creative economy. In Ceará, comedy is set as a relevant field of economy and local culture whose process of institutionalization is configured as a salutary object of study. To reach the proposed objective, a survey was conducted qualitative and quantitative in nature, exploratory and descriptive, as to the purposes, and documentary and field as to the means. In addition to interviews with non-random sample of fifteen organizational representatives that make up the field, questionnaires were answered by 67.4% of comedians active in Ceará. The survey results indicate that comedy in Ceará has historical roots dating back to the eighteenth and nineteenth centuries and was played by different scenarios - especially Ferreira Square - and popular typesthat, through irreverence in face of the daily difficulties, strengthened humorous aspect of the image “CearáMoleque” (“Joking Ceará”). The formation of the field of humor as a creative economy business of Ceará occurred through the stimulation of market forces and eventual situations that emerged irreverent social habits in Alencarinayouth in the 1980s. In this context, individuals and organizations have innovated and adopted arrangements and joint structures, especially in pubs and restaurants, featuring habitualization phase. In the course of the ensuing decades, with the consensual performance of actors in the monitored field, the pattern of successful structures was widespread, although without formal theorizing.From the 2000s, the competition and disputes over spaces generated group formations, increased inter-linkages and geographic area of occurrence of comedy, in addition to the recent emergence of new organizational structures such as associations, trade union, forum, theaters and thematicmuseum, among others. Such characteristics associated with communication and theorizing difficulties in the field indicate that the creative economy is among the objectification and sedimentation phases of its process of institutionalization.The questionnaire results confirmed this intermediate level of the process, since six out of seven indicators of institutionalization obtained averages included in the central range. Finally, we emphasize that the comedy, rooted in the culture of the people of Ceará, is configured as an activity of the creative economy that is growing in numbers and links from actors in the field through recent interorganizational structures that generate differences between groups and aim to expand marketing among the native public of Ceará and tourists alike.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15075
Appears in Collections:PPAC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_dis_bcclima.pdf2,76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.