Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15694
Título: Comportamento ingestivo, desempenho, características de carcaça e componentes não-carcaça de cordeiros Morada Nova alimentados com diferentes níveis de energia metabólizavel
Título em inglês: Ingestive behavior, performance, carcass characteristics and non-carcass components of Morada Nova lambs fed different levels of metabolizable energy
Autor(es): Camilo, Danilo de Araújo
Orientador(es): Pereira, Elzânia Sales
Palavras-chave: Conversão alimentar
Órgãos internos
Pequenos ruminantes
Rendimento de carcaça
Data do documento: 2011
Citação: CAMILO, D. A.; PEREIRA, E. S. (2011)
Resumo: Objetivou-se com o presente estudo avaliar o comportamento ingestivo de ovinos, ganho de peso médio diário (GMD), conversão alimentar (CA), eficiência alimentar (EA), características de carcaça, pesos e rendimento dos cortes comerciais, peso do conteúdo e dos compartimentos gastrointestinais, peso e rendimento dos órgãos internos de ovinos Morada Nova em crescimento alimentados com diferentes níveis de energia metabolizável (EM). Foram utilizados 32 animais, não-castrados, peso corporal médio de 12,12 ± 1,69 kg e aproximadamente 60 dias de idade. Os animais foram distribuídos em quatro tratamentos experimentais determinados por diferentes níveis de EM (1,28; 1,72; 2,18 e 2,62 Mcal/kg de MS), em delineamento em blocos casualizados, com oito repetições por tratamento. O feno de Tifton 85 foi utilizado como volumoso. Os cordeiros foram abatidos seqüencialmente, à medida que o grupo de animais de cada tratamento atingia a média de 25 kg de peso vivo. Foi observado efeito linear (P<0,05) crescente dos níveis de energia metabolizável sobre consumo de matéria seca (MS) e decrescente para o consumo de fibra em detergente neutro (FDN), ambos expressos em g/dia, %PV e g/kg0,75. Os tempos de alimentação, ruminação e mastigação total, expressos em h/dia, diminuíram linearmente (P<0,05) com o aumento dos níveis energéticos das rações. O tempo de ócio, por sua vez, aumentou linearmente (P<0,05). As eficiências de alimentação e ruminação foram influenciadas pelos níveis de energia (P<0,05) expressas em g MS/h. O número de bolos ruminais, número de mastigações merícicas por dia e número de mastigações merícicas por bolo ruminal não foram influenciados (P>0,05) pelos níveis de EM das rações. Para o tempo de mastigações merícicas por bolo ruminal houve efeito significativo (P<0,05). Verificou-se efeito linear crescente (P<0,05) dos níveis de EM sobre o GMD sem afetar, no entanto a CA e EA. As características de carcaça: peso de corpo vazio, peso e rendimento de carcaça quente, peso e rendimento de carcaça fria, perda por resfriamento e rendimento biológico não foram influenciados (P>0,05) pelos aumentos nos níveis de energia da dieta. Houve efeito linear crescente dos níveis de energia sobre a área de olho de lombo e perda por jejum (P<0,05). Observou-se ainda efeito linear decrescente dos níveis de EM (P<0,05) sobre o peso dos cortes paleta e perna em %, e crescente sobre os pesos de pescoço em kg e costela, peito e fraldinha expressos em kg e %. Não foi observado efeito (P>0,05) dos níveis de energia sobre o peso do conteúdo gastrointestinal. Verificou-se efeito linear crescente (P<0,05) dos níveis de EM sobre os pesos do coração, do conjunto de órgãos: pulmões, traquéia, esôfago e língua (PTEL), do fígado e baço, expressos em kg. Em relação aos compartimentos do trato gastrointestinal foi observado efeito linear crescente (P<0,05) dos níveis de EM somente sobre o rúmen-retículo em %, e intestino delgado em kg. As gorduras perirenal, omental e mesentérica também foram influenciados pelos níveis de energia (P<0,05) com incremento linear para os pesos em kg e %. Conclui-se que o aumento dos níveis de energia metabolizável da ração influencia o comportamento ingestivo de ovinos e proporciona aumentos no GMD, área de olho de lombo, e redução na perda por jejum. Em relação aos pesos dos cortes comerciais o aumento nos níveis de EM reduz o peso de paleta e perna e aumenta os pesos do pescoço, costela, peito e fraldinha. O nível de EM das rações influencia positivamente no peso e rendimento dos órgãos internos, vísceras e gorduras de ovinos Morada Nova em crescimento.
Abstract: The objective of this study was to evaluate the ingestive behavior, average daily weight gain (ADG), feed conversion (FC), feed efficiency (FE), carcass characteristics, commercial cuts weights and yield, weight of gastrointestinal content and compartments, weight and yield of internal organs of Morada Nova growing lambs fed different levels of metabolizable energy (ME). 32 lambs, non-castrated, with average initial body weight of 12.12 ± 1.69 kg and approximately 60 days of age were used. Animals were distributed into four experimental treatments determined by different levels of metabolizable energy (1.28, 1.72, 2.18 and 2.62 Mcal/kg DM), in a randomized block design with eight replicates per treatment. Tifton 85 hay was used as roughage. Lambs were slaughtered sequentially as the group of animals of each treatment reached an average of 25 kg of body weight. Increasing linear effect was observed of metabolizable energy levels (P<0.05) over dry matter (DM) intake and decreasing linear effect for neutral detergent fiber (NDF) intake, both expressed in g/day, %BW e g/kg0,75. Eating, ruminating and total chewing times, expressed in h/day, decreased linearly (P<0.05) with increasing levels of energy in the rations. Idle time, in turn, increased linearly (P<0.05). Eating and rumination efficiencies were influenced by the energy levels (P<0.05) expressed in g DM/h. The number of ruminal boluses, number of chews and chews per ruminal bolus were not affected by the levels of ME. However, time spent chewing per ruminal bolus was influenced (P<0.05). Increased linear effect (P<0.05) was observed for ADG, without affecting, however FC and FE. Carcass traits such as: empty body weight, hot carcass weight and yield, cold carcass weight and yield, loss by cooling and biological yield were not affected (P>0.05) by the increasing levels of dietary energy. Increased linear effect (P<0.05) was also observed for ribeye area and decreased linear effect (P<0.05) for loss by fasting with the increasing of ME levels. The levels of energy also decreased (P<0.05) the weight of the cuts shoulder and leg (%), and increased linearly the neck (kg), rib, breast and flank expressed in kg and%. There was no effect of energy levels (P>0.05) on weight of gastrointestinal content. Increased linear effect (P<0.05) was observed for the weights of heart, the group of organs lungs, trachea, esophagus and tongue (PTEL), liver and spleen, expressed in kg. Regarding the compartments of the gastrointestinal tract, it was observed increased linear effect (P<0.05) only for rumen-reticulum, in %, and small intestine, in kg. The perirenal, omental and mesenteric fats were also influenced by the energy levels (P<0.05) with linear increase when expressed in kg and %. It was concluded that the increase of ME levels of diets influences the ingestive behavior, promote increases in ADG and ribeye area, and reduction in loss by fasting. Regarding the weights of cuts, levels of ME reduce shoulder and leg and increase neck, rib, chest and flank. Levels of ME also influence positively weight and yield of internal organs, viscera and fats of Morada Nova lambs during the growing period.
Descrição: CAMILO, D. A. Comportamento ingestivo, desempenho, características de carcaça e componentes não-carcaça de cordeiros Morada Nova alimentados com diferentes níveis de energia metabólizavel. 2011. 99 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15694
Aparece nas coleções:PPGZO - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_dis_dacamilo.pdf820,38 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.