Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1570
Título: Efeito da fonte de óleo da dieta sobre o desempenho zootécnico, perfil lipídico e características sensoriais do camarão Litopenaeus vannamei cultivado em condições de alta salinidade
Título em inglês: Effect of source of oil in the diet on animal performance, lipid profile and sensory characteristics of the shrimp Litopenaeus vannamei grown in conditions of high salinity
Autor(es): Castro, Otavio Serino
Orientador(es): Nunes, Alberto Jorge Pinto
Palavras-chave: Aqüicultura
Nutrição animal
Ácidos graxos
Data do documento: 2010
Editor: http://www.teses.ufc.br/
Citação: CASTRO, O. S. ; NUNES, A. J. P. (2010)
Resumo: O camarão L. vannamei é considerado uma espécie eurihalina com boa capacidade de realizar hipo e hiper-osmorregulação. Apesar desta habilidade, seu desempenho zootécnico em cultivos pode ser comprometido quando a salinidade da água ultrapassa 40‰. O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito da fonte de óleo e dos níveis de ácidos graxos poliinsaturados (AGPI) da dieta sobre o desempenho, a resistência, o perfil lipídico e as características sensoriais da cauda de juvenis de L. vannamei cultivados em alta salinidade. Na primeira etapa do estudo, camarões de 2,79 ± 0,60 g foram cultivados por 64 dias sob uma salinidade considerada ideal (Sideal, 23 ± 1,2‰) e alta (SAlta, 44 ± 2,0‰). Os animais foram alimentados com dietas com mesma composição e características nutricionais, exceto quanto ao perfil de ácidos graxos poliinsaturados (AGPI) que variou em função da fonte e dos níveis de inclusão de óleo: PXE (8,01% de AGPI do total do extrato etéreo da dieta), dieta com inclusão de 26,6 g/kg de óleo de peixe e 10,0 g/kg de óleo de soja; SJA (0,93% de AGPI), 34,5 g/kg de óleo de soja; KRL (6,93% de AGPI), 48,3 g/kg de óleo de krill e 4,4 g/kg de óleo de soja; KRL- (2,92% de AGPI), 14,5 g/kg de óleo de krill e 21,2 g/kg de óleo de soja; KRL+ (8,81% de AGPI), 55,5 g/kg de óleo de krill e 3,8 g/kg de óleo de soja. Na segunda etapa do estudo, camarões com 1,71 ± 0,4 g foram submetidos a três níveis de estresse osmótico. A salinidade da água em 30‰ foi aumentada em 2, 3 e 4‰ ao dia (SAL_1, SAL_2 e SAL_3, respectivamente) durante cinco dias consecutivos. Precedendo o estresse osmótico, todos os animais foram alimentados com uma dieta deficiente em AGPI (dieta AGP_15 com 1,48% de AGPI) seguido de mais sete dias sendo alimentados com as respectivas dietas: AGP_45, AGP_65 e AGP_85, dietas com 4,60, 6,61 e 8,61% de AGPI, respectivamente. Na terceira etapa do estudo, foi realizada análise sensorial na cauda de camarões cultivados na primeira etapa sob a condição SAlta, alimentados com as dietas PXE, KRL, SJA e KRL+. Foi avaliada a preferência de consumidores em relação à coloração, textura e sabor dos camarões com 20 provadores não treinados utilizando metodologia do tipo Best-worse. Ao final da primeira etapa do estudo, camarões cultivados em SAlta atingiram um peso corporal inferior aos cultivados em SIdeal (11,21 ± 2,05 g versus 11,56 ± 1,77 g, respectivamente). A dieta KRL promoveu um crescimento mais rápido (1,01 ± 0,01 g/semana) e um maior peso corporal na despesca (11,97 ± 2,01 g) independente da salinidade de cultivo. Os camarões alimentados com a dieta SJA obtiveram maior peso corporal comparado aos alimentados com PXE (11,18 ± 1,77 g versus 11,05 ± 1,83 g, respectivamente). Não houve diferenças significativas na sobrevivência (93,4 ± 5,07%) e na produtividade (554 ± 68,5 g/m2) de camarões e nem interações significativas entre os fatores salinidade e dieta. Na segunda etapa do estudo, a suplementação de AGPI nas dietas não foi capaz de promover um aumento na resistência do L. vannamei frente às elevações na salinidade da água. Ao final do cultivo, houve 100% de mortalidade na condição de salinidade final de 50 ± 0,7‰ (SAL_3), seguido de 9,8 ± 2,2% de sobrevivência para a salinidade final de 44,8 ± 0,4‰ (SAL_2) e 67,1 ± 8,9% de sobrevivência para uma salinidade final de 39,7 ± 0,5‰ (SAL_1). A análise do perfil lipídico revelou que os camarões alimentados com as dietas PXE, KRL e KRL+ apresentaram maiores concentrações de AGPI na cauda frente às dietas SJA e KRL-. Houve uma maior aceitação dos consumidores pelos animais alimentados com as dietas contendo óleo de krill, frente aos alimentados com óleo de peixe ou soja. De maneira geral, a utilização do óleo de krill e o enriquecimento com AGPI em dietas para o L. vannamei promoveu um maior peso corporal em alta salinidade, além de melhorar as características sensoriais de cor e sabor da cauda dos camarões.
Abstract: The white shrimp L. vannamei is considered a euryhaline species able to perform hypo and hyper-osmoregulation. Despite this ability, its growth performance under culture can be compromised when water salinity exceeds 40‰. This study aimed at evaluating the effect of oil source and the levels of polyunsaturated fatty acids (PUFA) in the diet on the performance, resistance, lipid profile and sensory characteristics of the tail of juvenile L. vannamei reared under high salinity. In the first study phase, 2.79 ± 0.60 g shrimp were reared for 64 days under an optimal (SIdeal, 23 ± 1,2‰) and high (SAlta, 44 ± 2,0‰) water salinity. Animals were fed diets with similar composition and nutritional characteristics, except in regards to the polyunsaturated fatty acids (PUFAs) profile which varied according to the source and levels of oil inclusion: PXE (8.01% PUFA of the total lipid content of the diet), diet with 26.6 g/kg of fish oil and 10.0 g/kg of soybean oil; SJA (0.93% PUFA), 34.5 g/kg of oil soybean; KRL (6.93% PUFA), 48.3 g/kg of krill oil and 4.4 g/kg of soybean oil; KRL- (2.92% PUFA), 14.5 g/kg of krill oil and 21.2 g/kg of soybean oil; KRL+ (8.81% PUFA), 55.5 g/kg of krill oil and 3.8 g/kg of soybean oil. In the second study phase, 1.71 ± 0.4 g shrimp were subjected to three levels of osmotic stress. Initial water salinity at 30‰ was increased by 2, 3 and 4‰ per day (SAL_1, SAL_2 and SAL_3, respectively) for five consecutive days. Prior to the osmotic stress period, all animals were fed a diet deficient in PUFA (diet AGP_15 with 1.48% PUFA), followed by seven days feeding on their respective diets AGP_45, AGP_65 and AGP_85 (diets with 4.60, 6.61 and 8.61% PUFA, respectively). In the third study phase, sensory analysis was performed on shrimp which had been fed diets PXE, KRL, SJA and KRL + and grown under SAlta during the first study phase. Consumer preference for shrimp color, texture and flavor was carried out with 20 untrained tasters using the Best-worse scaling methodology. At the end of the first study phase, shrimp grown under SAlta reached a lower body weight than those under SIdeal (11.21 ± 2.05 g versus 11.56 ± 1.77 g, respectively). KRL diet promoted the fastest shrimp growth (1.01 ± 0.01 g/week) and body weight at harvest (11.97 ± 2.01 g), regardless of water salinity. Shrimp fed SJA reached a larger body weight compared to those fed PXE (11.18 ± 1.77 g versus 11.05 ± 1.83 g, respectively). There were no significant differences in shrimp survival (93.4 ± 5.07%) and yield (554 ± 68.5 g/m2) among different diets. Also, no significant interactions between salinity and diet were detected. In the second study phase, PUFA supplementation in the diet failed to promote an increase in resistance of L. vannamei against increments in water salinity. At the end of the rearing period, there was 100% mortality at 50 ± 0.7‰ final salinity (SAL_3), followed by 9.8 ± 2.2% survival for 44.8 ± 0.4‰ (SAL_2) and 67.1 ± 8.9% survival for 39.7 ± 0.5‰ (SAL_1). Lipid profile analysis revealed that shrimp fed diets with PXE, KRL and KRL+ had higher concentrations of PUFA in the tail compared to those fed diets SJA and KRL-. There was a higher consumer acceptance for shrimp that had been fed diets containing krill oil, compared to those fed fish or soybean oil. In general, the use of krill oil and PUFA enrichment in L. vannamei diets promoted a higher shrimp body weight under high salinity culture, and improved the sensory characteristics (color and flavor) of shrimp tails.
Descrição: CASTRO, Otavio Serino. Efeito da fonte de óleo da dieta sobre o desempenho zootécnico, perfil lipídico e características sensoriais do camarão Litopenaeus vannamei cultivado em condições de alta salinidade. 2010. 96 f. Dissertação (Mestrado em Ciencias Marinhas Tropicais) - Instituto de Ciências do Mar, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1570
Aparece nas coleções:LABOMAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_dis_oscastro.pdf1,59 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.