Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16450
Título: Respostas fisiológicas e bioquímicas de plantas de milho (Zea mays L.) inoculadas com fungos micorrízicos arbusculares sob estresse salino
Título em inglês: Physiological responses and corn plant biochemical (Zea mays L.) inoculated with arbuscular mycorrhizal fungi under salt stress
Autor(es): Pinto, Emanuelle Sampaio Almeida
Orientador(es): Gomes Filho, Enéas
Coorientador(es): Mendes Filho, Paulo Furtado
Palavras-chave: Agronomia
Zea mays L.
Fungo micorrízico arbuscular
Gigaspora margarita
Íons inorgânicos
Solutos orgânicos
Data do documento: 2011
Citação: PINTO, E. S. A. (2011)
Resumo: Muitos estudos têm demonstrado que a inoculação de plantas com fungos micorrízicos arbusculares (FMA) melhora o crescimento das plantas sob estresse salino. Tendo em vista que a salinidade é um problema sério e que afeta de forma direta a produtividade das plantas, o objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da inoculação dos FMA em plantas de milho sob estresse salino, na presença ou ausência de fósforo. O experimento foi conduzido na casa de vegetação do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da Universidade Federal do Ceará (Campus do Pici, Fortaleza - Ceará), com quatro repetições. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 2 (plantas inoculadas e não inoculadas) x 3 (níveis de salinidade 0,5; 4,0 e 8,0 dS m-1) x 2 (presença ou ausência de fósforo), totalizando 48 unidades experimentais. Durante a condução do experimento foram realizadas medições da fotossíntese líquida, da taxa de transpiração, da condutância estomática e do índice SPAD. Aos 40 dias após a semeadura das plantas, as mesmas foram coletadas, sendo determinados a área foliar, a matéria seca da parte aérea (após secagem do material em estufa), o teor relativo de água, o potencial osmótico, as variáveis microbiológicas (dependência e colonização micorrízica), os teores de alguns elementos minerais (N, P, K+, Ca2+, Mg2+, Na+ e Cl-) e solutos orgânicos (carboidratos solúveis, N-aminossolúveis, proteína solúvel e prolina). A associação micorrízica não proporcionou incremento no crescimento das plantas de milho, porém os aumentos nos níveis de salinidade reduziram a área foliar e a matéria seca da parte aérea das plantas. De maneira geral, a salinidade reduziu a fotossíntese, a condutância estomática e a transpiração em todos os tratamentos. O índice SPAD e o teor relativo de água não foram influenciados por nenhum dos fatores estudados. O potencial osmótico foi significativamente reduzido nos tratamentos com 4,0 e 8,0 dS m-1 de CE em comparação com o nível de 0,5 dS m-1. A colonização micorrízica decresceu com o incremento dos níveis salinos. Os teores de glomalina não foram influenciados pela presença de P e nem pelos níveis crescentes de salinidade. A associação micorrízica não acarretou incrementos nos teores de solutos inorgânicos. A presença de P no cultivo do milho promoveu, nas plantas não inoculadas, aumento nos teores de fósforo nas folhas e nos colmos, em todos os níveis de salinidade. O aumento dos níveis de salinidade reduziu os teores de N e Mg2+, porém promoveram o aumento nos teores de Na+ e Cl- nas plantas de milho. Os teores de carboidratos solúveis não apresentaram diferenças significativas para nenhum dos fatores analisados. De modo geral, os teores de N-aminossolúveis e de prolina aumentaram com o incremento da salinidade. Já os teores de proteínas solúveis apresentaram respostas diferenciadas de acordo com os fatores analisados. Esses resultados sugerem que a associação micorrízica não minimizou os efeitos da salinidade nas plantas de milho (híbrido AG 1051), pelo menos nas condições aqui empregadas.
Abstract: Many studies have shown that inoculation with arbuscular mycorrhizal fungi improved plant growth under salt stress. Considering that the salinity is a serious problem that directly affects the productivity of plants, the aim of this study was to evaluate the effects of inoculation of AMF in maize plants under salt stress in the presence or absence of phosphorus. The experiment was run in a greenhouse of the Department of Biochemist and Molecular Biology of the Federal University of the Ceará (Campus of the Pici, Fortaleza - Ceará), with four replicates per treatment. The experimental design was completely randomized in factorial arrangement 2 (inoculated and not inoculated plants) x 3 (levels of salinity 0.5, 4.0 and 8.0 dS m-1) x 2 (presence or absence of phosphorus), total of 48 experimental units. During the experiment measurements were made of net photosynthesis, transpiration rate, stomatal conductance and SPAD index. At 40 days after sowing the plants, they were collected, and determined leaf area, shoot dry matter (after drying the material under glass), the relative water content, the osmotic potential, microbiological variables (dependency and mycorrhizal colonization), mineral levels (N, P, K+, Ca2+, Mg2+, Na+, and Cl-) and organic solutes (soluble carbohydrates, N-aminosolubles, proline and soluble protein). The mycorrhizal fungi did not provide an increase in the growth of corn plants, but elevated levels of salinity reduced leaf area and shoot dry matter of plants. Generally, the salinity reduced the photosynthesis, stomatal conductance and transpiration in all treatments. The relative water content was not influenced by any of the factors studied. The SPAD index and relative water content were not influenced by any of the factors studied. The osmotic potential was significantly reduced in treatments with 4.0 and 8.0 dS m-1 salinity compared with the level of 0.5 dS m-1. Mycorrhizal colonization decreased with increasing levels of saline. The levels of glomalin were not influenced by the presence of P and not by increasing levels of salinity. The mycorrhizal fungi did not cause increases in levels of inorganic solutes. The presence of P promoted maize cultivation in non-inoculated plants, increased levels of phosphorus in the leaves and stems, at all levels of salinity. Increased salinity levels decreased the levels of N and Mg2+, but promoted increased levels of Na+ and Cl- in corn plants. The water-soluble carbohydrate showed no significant differences for any of the factors. In general, the levels of N-aminosolubles and proline increased with increasing salinity. Since the levels of soluble proteins showed different responses according to the factors. These results suggest that the mycorrhizal fungi did not minimize the effects of salinity in maize plants (hybrid AG 1051), at least under the conditions employed here.
Descrição: PINTO, Emanuelle Sampaio Almeida. Respostas fisiológicas e bioquímicas de plantas de milho (Zea mays L.) inoculadas com fungos micorrízicos arbusculares sob estresse salino. 2011. 88 f. Dissertação (mestrado em agronomia/fitotecnia)- Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16450
Aparece nas coleções:PPGFIT - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_dis_esalmeida.pdf1,02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.