Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16681
Título: Movimentos de Protestos Virtuais da Anonymous no Brasil: unidos como um e divididos por fakes
Título em inglês: Movement of virtual protests by the Anonymous in Brazil: united as one and divided by fakes
Autor(es): Pinho, Silvana de Sousa
Orientador(es): Abu-El-Haj, Jawdat
Palavras-chave: Movements of Virtual Protests
Anonymous Brazil, Cyberactivism
Manifestações públicas – Brasil
Hackerativismo – Brasil. 5.Internet – Aspectos políticos – Brasil
Movimentos de protesto – Brasil
Redes sociais on-line – Aspectos sociais – Brasil
Data do documento: 2016
Editor: www.teses.ufc.br
Citação: PINHO, S. S.; ABU-EL-HAJ, J. (2016)
Resumo: A presente Tese, intitulada “Movimentos de protestos virtuais da Anonymous no Brasil: unidos como um e divididos por fakes”, apresenta um estudo analítico da Rede de Protestos Anonymous, desde seus primórdios, no site 4chan, até os protestos contra a Copa do Mundo no Brasil - 2014, tendo como ápice as Manifestações de Junho de 2013, nas quais a Anonymous teve influente participação, tanto por meio de práticas de ativismo online quanto em ações diretas, offline. O ideário Anonymous é caracterizado por uma forma de luta política que objetiva alcançar a emancipação humana por meio da hiperdemocracia, tecnocracia, total liberdade de expressão, informação e comunicação. O processo de conquista deste ideário se daria pela prática de novos modelos de mobilizações sociais, ou seja, por um processo educativo autônomo, autovigilante, anônimo, que se desenvolveria num movimento horizontal, sem lideranças, sem interferências de partidos políticos e sem ideologias. Este modelo se diferencia da forma de luta política do século XX, caracterizada pela tradicional dicotomia entre esquerda e direita, movimentos com lideranças verticalizadas, personalistas e guiadas por tendências ideológicas explícitas. No intuito de compreender o desenvolvimento das ações de protestos Anonymous no Brasil, utilizou-se como base empírica de pesquisa diversas fontes virtuais, tais como páginas do Facebook e canais do Youtube das células de Anonymous no Brasil e exterior, além de observação dos protestos de rua, “Operação 7 de setembro” e a “Operação Não vai ter Copa”, e entrevistas com ativistas Anonymous. O processo de análise das fontes foi ponderado pelo estudo dos conteúdos e das diversas formas de linguagens utilizadas nas ações ciberativistas. Verificou-se que o desenvolvimento da luta política com base no ideário Anonymous, na medida em que se propôs a romper com o modelo tradicional de movimento político, apesar de agregar significativo número de ativistas, o ideário Anonymous não foi compreendido pela maioria de seus seguidores e ativistas. A própria forma de criação das células Anonymous no Brasil teve um início desvirtuado, tendo sido conduzido de modo verticalizado, em cujo anonimato permitiu que os ativistas seguissem planos estabelecidos por pequenos grupos ou organizações desconhecidas, bem como a apropriação das células Anonymous por fakes, que conduziram determinadas mobilizações orientadas por interesses políticos, partidários e ideológicos. Tal fato resultou em divisões, rupturas e denúncias por partes de algumas células. Por exemplo, a Anonymous FUEL, que continuou ativa, mas com uma postura vigilante em relação ao ideário Anonymous, bem como as células Anonymous Paraná e Anonymous Curitiba, que se declararam inativas, dadas a deturpação de ativistas Anonymous que passaram a assumir causas militaristas e golpistas. Para fins deste estudo, a metodologia utilizada teve como referência a análise de discurso de Bakhtin (2002) e Ducrot (1987). Para temas que permeiam o estudo, como o ciberespaço, hackerativismo, pós-modernidade e movimentos sociais, utilizou-se como base teórica as contribuições de Castells (2003), Lévy (1999), Melucci (1989), Tilly (1978), Vegh (2003), Harvey (2008), Santos (2000), (2002), Giddens (1991) e Beck (2000).
Abstract: This thesis, entitled "Movement of virtual protests by the Anonymous in Brazil: united as one and divided by fakes," presents an analytical evaluation of the Anonymous Protests Network, since its inception, in the site 4chan, to show dissent against the World Cup Brazil - 2014, having reached its peak in the June 2013 Demonstrations, in which Anonymous had influential participation, either through online activism practices as in direct actions offline. The ideology supporting Anonymous is characterized by a form of political struggle which aims at achieving human emancipation through hiper-democracy, technocracy and complete freedom of expression, information and communication. The process of a successful establishment of these ideas would take place through the practice of new models of social mobilization, that is, by an autonomous educational process - self-vigilant, anonymous - which would develop a horizontal movement without leaders, without interference from political parties and without ideologies. This model differs from the political form of struggle of the twentieth century, characterized by the traditional split between left and right movements with leaders in a personality vertical hierarchal power line, guided by explicit ideological tendencies. In order to understand the development of the Anonymous protest actions in Brazil, it was used as a empirical research base several virtual sources such as Facebook pages and YouTube channels of Anonymous cells in Brazil and abroad, as well as observation of street protests, such as "Operation September 7" and "Operation No World Cup", besides interviews with Anonymous activists. The process of analysis of the sources was weighted by the study of the contents and the various forms of languages used in the actions of cyberactivists. It was found that the development of political struggles based on ideas spawned by Anonymous, as far as it proposes to break the traditional model of political action, in spite of counting with significant number of activists, the Anonymous ideology was not understood by most of his followers and activists. The very form of creating Anonymous cells in Brazil had a distorted start and was conducted in vertical fashion, anonymity allowing activists to follow plans established by small groups or unknown organizations, as well as appropriation of Anonymous cells by fakes, which led to certain mobilizations guided by political interests of a partisan and ideological nature. This fact resulted in divisions, ruptures and complaints by parts of some cells. As an example of this situation one can cite Anonymous FUEL, which remained active, but with a vigilant stance on Anonymous ideology, and two other branches, Anonymous Paraná and Anonymous Curitiba, which declared themselves inactive, given misrepresentation of Anonymous ideas by other cells that assumed militarist causes and defended a coup d’état in Brazil. For this study, the methodology used had as reference discourse analysis of Bakhetin (2002) and Ducrot (1987). For themes that permeate the study, such as cyberspace, hacktivism, postmodernism and social movements, it was used as a theoretical basis the contributions of Castells (1999), Levy (1999), Melucci (1989), Tilly (1978), Vegh (2003), Harvey (2008), Santos (2000), (2002), Giddens (1991) and Beck (2000).
Descrição: PINHO, Silvana de Sousa. Movimentos de Protestos Virtuais da Anonymous no Brasil: unidos como um e divididos por fakes. 2016. 246f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Sociologia, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16681
Aparece nas coleções:DCSO - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_tese_sspinho.pdf8,14 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.