Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16705
Título: Sol e Sombra: o Café do Maciço de Baturité Numa Perspectiva Ecológica e Socioeconômica.
Título em inglês: Sun and Shadow: the Massif Baturité Coffee In Ecological and Socioeconomic Perspective.
Autor(es): Alcântara, Selma Maria Peixoto
Orientador(es): Sampaio , José Levi Furtado
Palavras-chave: Café - Cultivo
História ambiental
Política cafeeira
Data do documento: 2009
Citação: ALCÂNTARA, S. M. P. (2009)
Resumo: A planta do café (Coffea arabica) pertence originalmente ao território africano. No Brasil, foi introduzida em 1727 . Foi a partir do Rio de Janeiro, nas áreas de Mata Atlântica, onde a cafeicultura melhor se adaptou e se estabaleceu como importante atividade econômica para o modelo de exploração colonial, baseado na monocultura, trabalho escravo e grande propriedade. Inicia-se assim a história de uma atividade reconhecida pela importância econômica para o país e pelo rastro de devastação que deixou nas regiões onde foi desenvolvida. Tal destruição se fundamentou numa lógica de relação entre sociedade e natureza baseada na dominação da primeira sobre a última, que permeou o uso e ocupação do território brasileiro já no século XVIII. O reflexo disto pode ser visto na agricultura, trabalhada principalmente com o uso de queimadas e desmatamento para o plantio. No Ceará não foi diferente; entretanto, nas áreas onde a cafeicultura se desenvolveu, esta prática tornaria a atividade inviável, de forma que o sistema de cultivo predominante apoiou-se no consórcio da planta com outras espécies, em especial a ingazeira. O presente trabalho tem como principal objetivo analisar a importância da atividade cafeeira no Maciço de Baturité e suas relações sociais de produção, a aprtir da década de 1970. Busca-se assim apreender a importância desta atividade como um dos fatores de degradação ou conservação do patrimônio ambiental na perspectiva ecológica e socioeconômica. Para alcançar tal objetivo, houve o empenho de compreender como historicamente esta atividade se desenvolveu naquela região, a cultura criada em torno do cultivo do café e as relações de trabalho que se estabeleceram dentro do espaço da lavoura.
Abstract: The coffee plant (Coffea arabica) originally comes from African territory. It was introduced to Brazil in 1727 starting out from Rio de Janeiro, in the Atlantic Forest, where coffee-growing was better adapted and it was established as an important economic activity for the colonial exploitation pattern, based on monoculture, slave force and extensive property. Thus starts the history of an activity renowned as economically important for the country and part-responsible for the devastation left by that activity in the regions where it was developed. Such destruction followed a logic of relations between society and nature based on the former dominating the latter. The use and occupation of Brazilian territory in the eighteenth century were based on that logic. The consequences of this can be seen in agriculture, mainly based on fire clearance and deforestation practices in the plantations. In Ceará it was not different. Nevertheless, in the areas where coffee-growing was developed this practice was impracticable, as the prevailing system of cultivation relied on the association of the coffee plant with others species, particularly ingazeira (Inga bahiensis Benth.). The main objective of this study is to analyze the importance of coffee-growing activities in Maciço de Baturité-Ceará and its social relationship with production, from the 1970s onwards. It seeks to find out about the importance of this activity as a degradation factor or conservation of environmental patrimony in the ecological, socio-economic perspective. To reach this objective, there was an engagement to comprehend how this activity was developed historically in the region, to comprehend the culture arisen around the coffee-growing and the work-relationship established within the farming space.
Descrição: ALCÂNTARA, Selma Maria Peixoto. Sol e Sombra: o Café do Maciço de Baturité Numa Perspectiva Ecológica e Socioeconômica. 2009. 157 f. : Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências e Tecnologia, Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA, Fortaleza-CE, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16705
Aparece nas coleções:PRODEMA - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_smpalcantara.pdf10,15 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.