Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16817
Título: Estrutura e bioinvasão de um fragmento de cerrado sobre os tabuleiros pré-litorâneos na zona urbana de Fortaleza, Ceará
Autor(es): Moro, Marcelo Freire
Orientador(es): Araújo , Francisca Soares de
Palavras-chave: Plantas - Conservação
Proteção ambiental - Fortaleza (CE)
Biodiversidade - Conservação
Data do documento: 2009
Resumo: O crescimento urbano promove a destruição e fragmentação de ecossistemas, além da introdução de grande número de espécies exóticas. Parte destas espécies exóticas tornamse invasoras e podem gerar impactos para a biodiversidade nativa. Fragmentos de vegetação nas zonas urbanas sofrem invasões biológicas, que se acumulam com o passar do tempo e modificam a estrutura e a composição dos ecossistemas. Estudos sobre bioinvasão mostram que as bordas são o habitat preferencial para a colonização por espécies adaptadas a distúrbios. Assim, o objetivo deste trabalho foi verificar se as bordas de um fragmento de vegetação localizado em uma matriz urbana são mais susceptíveis à bioinvasão do que o seu interior. Um fragmento de vegetação savânica (cerrado) localizado sobre os tabuleiros prélitorâneos na cidade de Fortaleza, Ceará, foi selecionado para este estudo. Parcelas em transecto (Belt transect) foram estabelecidas no sentido borda-interior do fragmento de vegetação, onde todos os indivíduos lenhosos (exceto cipós) com PNS igual ou superior a 9cm foram inventariados. Coletas assistemáticas das espécies também foram realizadas a fim de elaborar a lista florística da área. Foram registradas 143 espécies vegetais no fragmento de cerrado, pertencentes a 58 famílias. Fabaceae foi a família de maior riqueza (27 espécies), seguida de Rubiaceae (oito espécies), Poaceae (oito espécies – três exóticas), Convolvulaceae (sete espécies), Malvaceae (seis espécies) e Myrtaceae (seis espécies – uma exótica). A densidade da comunidade foi de 1218 ind./ha e a área basal 7,34 m2/ha. A altura média das espécies amostradas foi 2,53 m ± 1,29 m (64% dos indivíduos tem menos de 3 m) e o diâmetro médio foi 6,68 cm ± 5,67 cm (64% dos indivíduos tem menos de 6 cm). A flora do fragmento de cerrado estudado consiste na associação de espécies típicas do cerrado do Brasil central com espécies comuns nos tabuleiros pré-litorâneos, mas que não ocorrem nos cerrados centrais. A densidade e a área basal da comunidade estudada foi baixa, mas dentro da amplitude registrada para o cerrado sensu stricto. Dos 1218 indivíduos lenhosos amostrados, quais apenas quatro (pertencentes a duas espécies) são exóticos. A densidade e a frequência de exóticas lenhosas foi baixa (quatro indivíduos em duas parcelas), de modo a não permitir distinção quanto à intensidade da bioinvasão no ambiente de borda versus interior. Dada a singularidade da área estudada, que se constitui uma mancha de cerrado sobre os tabuleiros pré-litorâneos na zona urbana de Fortaleza, Ceará, recomenda-se que o fragmento de vegetação seja convertido em uma UC municipal.
Descrição: MORO, Marcelo Freire. Estrutura e bioinvasão de um fragmento de cerrado sobre os tabuleiros pré-litorâneos na zona urbana de Fortaleza, Ceará. 2009. 90 f. : Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA, Fortaleza-CE, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16817
Aparece nas coleções:PRODEMA - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_mfmoro.pdf10,47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.