Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17048
Título: Carcinoma de células escamosas oral: relevância do Papiloma vírus humano (HPV) e do vírus Epstein-Barr (EBV) na expressão de proteinas p16INK4a, E-caderina, COX-2, MLH1, p53 e MYC.
Título em inglês: Oral squamous cell carcinoma: Relevance of Human Papillomavirus (HPV) and Epstein-Barr virus (EBV) on the expression of the proteins p16INK4a, E-cadherin, COX-2, MLH1, p53 e MYC.
Autor(es): Lima, Marcos Antonio Pereira de
Orientador(es): Rabenhorst, Silvia Helena Barem
Palavras-chave: Ciências da saúde
Carcinoma oral
p16
p53
E-caderina
MLH1
COX-2
MYC
HPV, EBV
Oral carcinoma
E-cadherin
Boca - Câncer
Infecções por Vírus Epstein-Barr
Caderinas
Data do documento: 2013
Citação: LIMA, M. A. P. (2013)
Resumo: O câncer oral representa um sério problema de saúde pública mundial. Entre os tumores deste sítio anatômico, os carcinomas de células escamosas orais (CCEO) respondem por até 94% do total. Os mecanismos moleculares envolvidos na gênese e desenvolvimento tumoral ainda não estão completamente elucidados. Algumas evidências têm sugerido a participação viral neste processo. Além disso, estes tumores ainda carecem de marcadores confiáveis para determinar o perfil de agressividade. Neste contexto, o presente estudo teve como objetivo avaliar a expressão das proteínas p53, E-caderina, COX-2, p16, MLH1 e MYC numa série de CCEO, considerando também a marcação citoplasmática eventualmente observada para as últimas três proteínas, confrontando os resultados entre elas e com as características demográficas e clínico-patológicas. Além de avaliar a prevalência do Papilomavírus Humano (HPV) e do Vírus Epstein-Barr (EBV) na amostra e compará-las com a expressão das referidas proteínas. Materiais e Métodos – Cem espécimes de CCEO, fixados em formalina e incluídos em blocos de parafina, foram submetidos à imunohistoquímica para a detecção das referidas proteínas e à hibridação in situ para detecaçõ de HPV e EBV. Resultados – Foi observada associação referente à perda de expressão concomitante de p16 e MLH1 (p=0,029) e na coexpressão de p53 e COX-2 (p=0,045). Ademais, foi verificado que a COX-2 e o MYC nuclear estavam relacionados com a marcação citoplasmática de MLH1 (p=0,060 e p=0,018; respectivamente). A análise combinada dos marcadores revelou cinco grupos principais de expressão alterada que eram constituídos, em sua maioria, de tumores mais agressivos, principalmente o grupo MLH1(-)/COX-2(+)/p16(-). Os casos com marcação citoplasmática para p16, MLH1 e/ou MYC foram mais frequentes em tumores avançados (p=0,009) e naqueles com metástases em linfonodos (p=0,001). Trinta e um casos demonstraram marcação para HPV em tecido tumoral. O EBV não foi detectado em nenhum dos casos investigados, nem no tecido tumoral nem no epitélio não neoplásico. O grupo HPV(+) exibiu elevada positividade para o p16 nuclear (p=0,029) e MYC cytoplasmático (p=0,039), também uma maior perda de expressão nuclear de MLH1 (p=0,031). Houve ainda uma tendência referente ao aumento da positividade de COX-2 no grupo infectado (p=0,084). Conclusões – As significâncias verificadas entre p16 e MLH1 sugerem que a ausência do membro do sistema de reparo de encaixe (MMR) também favoreça a ocorrência de mutações no gene p16, culminando na inativação deste supressor tumoral. As associações de COX-2 e MYC com o MLH1 de expressão citoplasmática suscitam um mecanismo de bloqueio de entrada de MLH1 no núcleo. A análise combinada das proteínas, bem como, a marcação citoplasmática de p16, MLH1 e MYC, podem representar indicadores úteis na avaliação do perfil de agressividade e, provavelmente, de prognóstico em CCEO. Acerca dos vírus, nossos achados sugerem que o HPV esteja envolvido em uma importante parcela de casos de CCEO e que possa promover a expressão de p16 nuclear, MYC citoplasmático e COX-2, e suprimir a expressão nuclear de MLH1. Quanto ao EBV, não foram detectados EBERs (EBV-encoded small RNAs) na amostra.
Abstract: The oral cancer represents a serious world public health problem. The oral squamous cell carcinomas (OSCC) account for up to 94% of the tumors of this anatomic site. The molecular mechanisms involved in the genesis and progression are still not well elucidated. Some evidences have suggested the involvement of viruses in this process. Also, these tumors still lack of reliable markers to determine the aggressiveness profile. In this context, the aim of the present study was to evaluate the expression of the proteins p53, E-cadherin, COX-2, p16, MLH1 and MYC in a serie of OSCC, including the cytoplasmic staining eventually observed for the latter three proteins, confronting the results between them and with demographic and clinico-pathological features. Besides evaluating the prevalence of Human Papillomavirus (HPV) and Epstein-Barr virus (EBV) in the sample and compare them with the expression of the referred proteins. Materials and Methods – One hundred formalin-fixed paraffin-embedded OSCC specimens were submitted to immunohistochemistry for detection of the referred proteins, and to in situ hybridization for HPV and EBV detection. Results – OSCC was associated with a concomitant lack of expression of p16 and MLH1 (p=0.029) and coexpression of p53 and COX-2 (p=0.045). Additionally, COX-2 and nuclear MYC were found to be related to exclusively cytoplasmic staining of MLH1 (p=0.060 and p=0.018, respectively). The combination analyses of the markers revealed five main groups of altered protein expression, which were mostly of the more aggressive tumors, mainly the MLH1(-)/COX-2(+)/p16(-) group. The cases with cytoplasmic staining for p16, MLH1 and/or MYC were more frequent in advanced tumors (p=0.009) and in those with lymph node metastasis (p=0.001). Thirty-one cases showed staining for HPV in tumor tissue. The EBV was not detected in any case investigated, neither in the tumor tissue nor in the non-neoplastic epithelium. The HPV(+) group demonstrated high positivity for nuclear p16 (p=0,029) and cytoplasmic MYC (p=0,039), and an increase of the lack of MLH1 nuclear expression (p=0,031). There was also a trend related to the increase of the COX-2 positivity in the HPV(+) group (p=0,084). Conclusions – The significance between p16 and MLH1 suggests that the lack of this member of mismatch repair system also favors the occurrence of mutations in the p16 gene, culminating in inactivation of this tumor suppressor. The associations of COX-2 and MYC with cytoplasmic MLH1 suggest a blocking mechanism for the entry of MLH1 into the nucleus. The combined analyses of the proteins investigated, as well as the cytoplasmic staining of p16, MLH1 and MYC, may be useful in the evaluation of the aggressive profile and probably prognosis of OSCC. Regarding the viruses, our findings suggest that the HPV is involved in an important portion of OSCC cases and that may promote the expression of the nuclear p16, cytoplasmic MYC and COX-2, and suppress the nuclear expression of MLH1. About EBV, it was not detected the EBV-encoded small RNAs (EBERs) in the sample.
Descrição: LIMA, Marcos Antonio Pereira de. Carcinoma de células escamosas oral: relevância do Papiloma vírus humano (HPV) e do vírus Epstein-Barr (EBV) na expressão de proteinas p16INK4a, E-caderina, COX-2, MLH1, p53 e MYC. 2013. 180 f. : Tese (doudorado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, Rede Nordestes de Biotecnologia -Renorbio, Fortaleza-CE, 2013.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17048
Aparece nas coleções:RENORBIO - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_tese_maplima.pdf16,2 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.