Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17077
Título: Intensificação da produção de leite em pastagens no trópico úmido
Título em inglês: Intensification of milk production in pastures in the humid tropics
Autor(es): Silva, Rodrigo Gregório da
Orientador(es): Neiva, José Neuman Miranda
Palavras-chave: Zootecnia
Análise econômica
Comportamento animal
Geoestatística
Intensificação de sistemas
Produção de leite
Data do documento: 2011
Citação: SILVA, R. G. (2011)
Resumo: Objetivou-se com esse trabalho avaliar os efeitos da intensificação da produção de leite, via níveis de intensificação do sistema, em pastagens de capim-mombaça (Panicum maximum Jacq. cv. Mombaça) no trópico úmido, durante o período das águas. Os tratamentos consistiram de quatro níveis de intensificação, determinados pela combinação de níveis de adubação e nível de produção dos animais. Foram eles, na sequência crescente de intensificação: 1º » adubação com 400 kg de N×ha-1×ano-1, com vacas de baixa produção; 2º» adubação com 800 kg de N×ha-1×ano-1, com vacas de baixa produção; 3º» adubação com 400 kg de N×ha-1×ano-1, com vacas de alta produção; 4º» adubação com 800 kg de N×ha-1×ano-1, com vacas de alta produção. As vacas eram sem raças definidas, em média de terceira cria, com partos ocorridos em outubro/novembro de 2009. No início das avaliações de produção de leite, encontravam-se com aproximadamente 110 dias de lactação. O período experimental foi de 24 de dezembro de 2009 a 10 de maio de 2010. Para as medidas relacionadas à morfogênese e estrutura, foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com medida repetida no tempo. Quatro tratamentos, com quatro ciclos e quatro repetições (piquetes), avaliando a interação entre tratamentos e ciclos. Para a avaliação do comportamento dos animais, foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos, oito períodos e quatro repetições (animais), avaliando a interação entre tratamentos e períodos. Na avaliação da distribuição de fezes, foi utilizada a análise geoestatística, com quatro tratamentos e três repetições (piquetes). Nas análises de produção dos animais, foi utilizado delineamento inteiramente casualizado simples (placas de fezes, total de fezes, consumo de forragem e consumo total), com medidas repetidas no tempo (escore de condição corporal e peso vivo) e com medidas repetidas no tempo, sendo o tempo medida de controle local (produção de leite por vaca, peso vivo, taxa de lotação e produção de leite por hectare). O período de descanso utilizado foi o necessário para que fosse possível a expansão de 2,5 novas folhas e o resíduo equivalente ao IAF residual 2,0. O maior fornecimento de nitrogênio não proporcionou elevação nas variáveis TAlF, TAlH, TSFant e TSFpost. Não foram observadas diferenças entre tratamentos em função dos tipos de animais. A TAlF segue, em parte, a disponibilidade de água oriunda da precipitação. Não houve diferença na TAlH em função dos tratamentos. Esse efeito, sendo reflexo do período de descanso adotado (2,5 novas folhas × perfilho-1), reduziu o nível de interceptação da radiação fotossinteticamente ativa para valores inferiores a 95%. A intensificação apresenta pouco reflexo nas variáveis estudadas (MSFT, MSFV, MSLV e MSCV). A altura pré-pastejo apresentou crescimento do primeiro para o segundo ciclo e posterior declínio até o último ciclo, sendo esse o que apresentou os menores valores, para todos os tratamentos. A elevação da oferta de nitrogênio proporcionou maiores níveis de produção em determinados momentos, quando da oferta de água em níveis adequados. A disponibilidade de água influenciou a resposta da produção das pastagens ao longo dos ciclos. Houve relação do teor de matéria orgânica do solo e o desempenho produtivo das pastagens. Quanto ao comportamento dos animais, foi observado interação entre os tratamentos e os períodos do dia, com exceção do “comportamento urinando” que só apresentou efeito de período. A adubação influenciou positivamente no “comportamento pastejando”, elevando o tempo gasto na expressão do mesmo. Para Outras atividades, o efeito foi negativo, diminuindo o tempo de deslocamento dos animais. A adubação e a interação a adubação × suplemento proporcionaram maior tempo de utilização de sombra pelos animais. A utilização de alimento concentrado elevou o número de defecações, com concentração durante os períodos de maior permanência no pasto. O período do dia influenciou o “comportamento bebendo”, causando maior consumo de água nos períodos de maiores temperaturas, assim como os tratamentos intermediários apresentaram maiores consumos. No que se refere à distribuição de fezes, os dados apresentaram coeficientes de assimetria positiva e de curtose platicúrtica. Para o coeficiente de variação verificou-se uma elevação acentuada, com as áreas de descanso, apresentando maiores valores e piquetes com maior nível de adubação e menores valores. Os fatores climáticos radiação, temperatura e umidade relativa influenciaram significativamente na dispersão e localização das fezes. No que se refere ao grau de dependência espacial (GDE), foi verificado classificação, variando de moderado a forte. O alcance foi de 14,0 e 12,7 m para as áreas de descanso e piquetes, respectivamente. A adubação e o fornecimento de concentrado influenciaram a deposição e a perda de nitrogênio via fezes, elevando seus valores na medida em que se elevou o aporte nutricional. Observou-se heterogeneidade na deposição das fezes, ocorrendo zonas de maior concentração, como sombra, entrada de piquetes e malhadouro, mostrando picos de deposição que chegaram a 1.051,2 kg de N × ha-¹ × ano-¹ e média variando de 148,8 a 210,7 kg de N × ha-¹ × ano-¹. Houve crescimento das produções diárias e por área de leite, na medida em que intensificou o sistema. Com a intensificação houve maior persistência da lactação, observado por meio da relação obtida pela divisão do coeficiente angular pelo intercepto, resultando em percentual diário de diminuição da lactação. A persistência da produção dos animais respondeu diretamente à intensificação do sistema, como reflexo da maior intensificação (melhoria da dieta). A produção por área respondeu mais fortemente ao nível de produção individual diária e segue comportamento quadrático, de acordo com a distribuição das chuvas. A produção fecal cresceu no sentido do maior nível de intensificação, resultando em maiores estimativas de consumo. O maior aporte de nutrientes (mais intensivo) possibilitou elevar os níveis de produtividade por animal, por área, em relação à mão-de-obra e à produção total diária. A maior intensificação possibilitou elevar as receitas, todavia elevou os custos totais mensais, apresentando melhor relação nos níveis intermediários de intensificação. Na medida em que se elevou a área utilizada, o nível menos intensivo apresentou margem bruta positiva. Os custos operacionais efetivos elevaram-se com a intensificação dos sistemas. Já os custos operacionais totais diminuíram com a intensificação, voltando a crescer no nível mais intensivo. A alimentação representou por volta de 70% dos custos operacionais efetivos. Os sistemas apresentaram-se inviáveis no médio-longo prazo, e no curto prazo, foram menos atrativos que o observado na amostra de produtores utilizada nesse estudo.
Abstract: This study aimed at analyzing the intensification effects via different enhancement levels of the system of milk production in Mombasa grass pastures (Panicum maximum Jacq. cv. Mombaça) in the humid tropics, during the water period. Treatments consisted of four enhancement levels, determined by combining fertilization levels and production level of the animals. Treatments were in increasing sequence of fertilization, as follow: 1º » fertilization with 400 kg of N×ha-1×year-1, with low yield dairy cows; 2º» fertilization with 800 kg of N×ha-1×year-1, with low yield dairy cows; 3º» fertilization with 400 kg of N×ha-1×year-1, with high yield dairy cows; 4º» fertilization with 800 kg of N×ha-1×year-1, with high yield dairy cows. It was used mixed breed cows, on average of third calving, and the births had occurred in October/November 2009. At the beginning of the evaluation of milk production, the cows had around 110 days of lactation. The experiment was conducted between December 24th, 2009 and May 10th, 2010. For the measures related to the morphogenesis and structure, we used a completely randomized design with repeated measurements over time. Four treatments, with four cycles, and four replicates (paddocks) were used to assess the interaction between treatments and cycles. To evaluate the behavior of the animals, we used a completely randomized design, with four treatments, eight periods and four replicates (animals) to evaluate the interaction between treatments and periods. In the evaluation of the distribution of feces, a geostatistical analysis was applied, with four treatments and three replicates (paddocks). In the analysis of animal production, a simple completely randomized design (feces patches, total feces, forage intake and total consumption), with repeated measures over time (body condition score and live weight) and with repeated measures over time; the time considered the measure of local control (milk yield per cow, live weight, stocking rate, and milk production per hectare). The rest period was the necessary to enable the expansion of 2.5 new leaves and the residue equivalent to the residual leaf area index 2.0 (residual LAI 2.0). The greater supply of nitrogen has not provided increase in the following variables: leaf elongation rate (TAlF), stem elongation rate (TAlH), anterior leaf senescence rate (TSFant) and posterior leaf senescence rate (TSFpost). There was no difference among treatments as a function of the type of animals. The TAlF partly had followed the availability of water from the rainfall. It was observed a variation in the organic matter content throughout the area, reflected in the ability to store water and nutrients, which influenced their availability to the pastures. No difference was detected in TAlH in function of treatments. This effect was a result of the rest period adopted (2.5 new leaves×tiller-1), reducing the capture level of photosynthetically active radiation to values below 95%. The intensification has little consequence on studied variables (total forage dry mass, green forage dry mass, green leaf blade dry mass, and green stem dry mass). The pre-grazing height presented growth from the first to the second cycle and a subsequent decline until the last cycle, considering that this had the lowest values for all treatments. The increase in nitrogen availability promoted higher yield levels at certain moments, when water was supplied at suitable levels. Water availability influenced the yield response of pasture over the cycles. A relationship was verified between the soil organic matter content and yield performance of pastures. Regarding the animals behavior, it was registered interaction between treatments and day periods, except for urinating behavior that was only affected by the period. The fertilization had positive influence on the grazing behavior, increasing the time spent to expressing it. For the other activities the effect was negative, reducing the displacement time of animals. The fertilization and the interaction fertilization x supplement provided a longer use of shading by the animals. The use of concentrate feed increased the number of defecations, especially during the periods of longer permanence in the pasture. Day period influenced the drinking behavior, leading to a higher consumption of water in the periods with higher temperatures, as well as intermediate treatments presented higher consumption. In relation to the feces distribution, the data had coefficients of positive skewness and platicúrtica kurtosis. For the coefficient of variation, we verified a great variation, with the rest areas presenting higher values, and paddocks with higher fertilization level presenting the lowest values. Climatic factors radiation, temperature and relative humidity have significantly influenced the dispersal and location of the feces. Regarding the degree of spatial dependence (GDE) it was verified classification ranging from moderate to strong, with higher proportion of GDE. The range was between 14.0 and 12.7m for rest areas and paddocks, respectively. The fertilization and supply of concentrate influenced the deposition and loss of nitrogen via feces, increasing its values to the extent that it increased the nutrient input. We observed heterogeneity in deposition of feces, with areas of higher concentration, as shadow, entrance of paddocks, and rest area, presenting peaks of deposition reaching 1,051.2kg N×ha-¹×year-¹, and average varying between 148.8 and 210.7 N×ha-¹×year-¹. There was increase in milk daily production and per area, as it intensified the system, via enhancement. With the intensification there was a greater persistence of lactation, observed through the relationship obtained by dividing the slope per intercept, resulting in a daily percentage of decrease in lactations. The persistence of animals’ production responded directly to the system intensification, as a consequence of higher enhancement (improved diet). The production per area responded more strongly to the level of individual daily production and followed a quadratic trend, accompanying the rainfall distribution. The fecal production increased towards the highest level of enhancement, resulting in higher estimates of consumption. The greater input of nutrients (more intensive) allowed elevating the productivity levels per animal, per area, in relation to the labor and total daily production. The increase in area used for production improves the investment/production ratio, decreasing as enlarges the area. The greater enhancement enabled raising the revenues, but also raised the total monthly costs, presenting better relationship the intermediate levels of enhancement. To the extent that it has increased the area used, the lowest intensive level had a positive gross margin. The actual operating costs increased as the systems had been intensified. But the total operating costs decreased with the intensification, increasing again at the most intensive level. The feed represented around 70% of actual operating costs. Systems were unfeasible at medium-long terms, and at short term they were less attractive than observed in the sample of producers used in this study.
Descrição: SILVA, Rodrigo Gregório da. Intensificação da produção de leite em pastagens no trópico úmido. 2011. 156 f. Tese (doutorado em zootecnia)- Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17077
Aparece nas coleções:PPGZO - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_tese_rgsilva.pdf1,66 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.