Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1717
Título: Industrialização da ova do camurupim, Tarpon atlanticus (Valenciennes)
Autor(es): Alves, Tarcísio Teixeira
Ogawa, Masayoshi
Noronha, Maria da Conceição Caland
Araripe, Carlos Antonio Esteves
Palavras-chave: Peixe - Salgado
Pescado - Processamento - Brasil - Nordeste
Data do documento: 1972
Editor: Arquivos de Ciências do Mar
Citação: ALVES, T. T.; OGAWA, M.; NORONHA, M. da C. C.; ARARIPE, C. A. E. (1972)
Resumo: O camurupim, Tarpon atlanticus (Valenciennes), ocorre ao longo da costa atlântica-tropical das Américas, desde o Estado da Carolina do Norte (U.S.A.) até o Estado de São Paulo (Brasil) - (Sadowsky, 1958; Hildebrand, 1963). No nordeste do Brasil, o camurupim é comumente capturado nos Estados do Maranhão, Piauí e Ceará, principalmente através dos currais de pesca; nos meses de outubro/novembro a janeiro, grandes cardumes desta espécie se aproximam da costa, para a estação de mais intensa reprodução (Menezes & Paiva,1966; Paiva et al., 1971). Nas fêmeas em avançado estádio de maturação sexual, os ovários são bastante desenvolvidos, atingindo o comprimento de 50 cm, ambos pesando até 5 kg. Cervigón (1966) informa que uma fêmea do camurupim, em cada estação de reprodução, desova 800.000 óvulos em média. Os óvulos maduros têm 1,8 mm de diâmetro (Breder Jr., 1944). Os ovários maduros, chamados comumente de par de ovas pelos pescadores do nordeste brasileiro, têm grande valor comercial, com larga aceitarão no mercado regional. Na sua conservação empregam a salga seca, resultando um produto de péssimo aspecto, processado e estocado sob condições higiênicas bastante precárias. Face a tais problemas, procuramos no presente trabalho definir técnicas de processamento industrial para a ova do camurupim, dentro dos mais rígidos preceitos de higiene, para obtenção de produto salgado-seco e defumado-enlatado.
Descrição: ALVES, Tarcísio Teixeira; OGAWA, Masayoshi; et al. Industrialização da ova do camurupim, Tarpon atlanticus (Valenciennes). Arquivos de Ciências do Mar. Fortaleza, v. 12, n.2, p. 151-154, dez. 1972.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1717
Aparece nas coleções:LABOMAR - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1972_art_ttalves.pdf217,84 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.