Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1752
Título: Representações sociais de pacientes renais crônicos sobre a hipotensão arterial
Título em inglês: Representation theory the pacient chronic renal disease with hypotension
Autor(es): Oliveira, Fernanda Celedonio de
Orientador(es): Alves , Maria Dalva Santos
Palavras-chave: Diálise Renal
Insuficiência Renal Crônica
Hipotensão
Data do documento: 2009
Citação: OLIVEIRA, F. C. (2009)
Resumo: A doença renal Crônica está sendo considerada patologia de caráter progressivo e importante problema de saúde publica. O número de pessoas mantidas nas diversas modalidades de diálise no Brasil aumenta consideravelmente. Nesse tempo, inúmeras complicações podem ocorrer, entre elas a hipotensão arterial, que acomete 25% das sessões de hemodiálise. O estudo objetivou conhecer as representações sociais sobre a hipotensão arterial de pacientes com Insuficiência Renal Crônica em tratamento de hemodiálise e comparar entre os homens e as mulheres. A pesquisa do tipo exploratória descritiva de natureza quanti qualitativa com suporte na Teoria das Representações Sociais foi realizada no período de março a maio de 2009 em uma clínica de hemodiálise de Fortaleza conveniada ao SUS. Os sujeitos constituídos de 50 pacientes renais crônicos que apresentavam hipotensão arterial durante o tratamento de hemodiálise foram submetidos a uma abordagem com multimétodos e a coleta de dados realizada nos prontuários, com estímulos indutores no Teste de Associação livre de palavras e por meio da entrevista narrativa e colagens. A organização dos dados quantitativos, do prontuário e das associações livres de palavras, foram realizadas por meio das planilhas do programa Excel, enquanto os dados qualitativos, entrevista narrativa e as colagens, se efetuaram pelas linhas narrativas (Spink) e técnica de expressão, respectivamente. Foram respeitados os preceitos éticos-legais conforme a Resolução Nº 196/96 que normatiza a pesquisa com seres humanos . Os resultados mostraram que houve predomínio do sexo feminino; faixa etária entre os maiores de 60 anos; analfabetos; casados; católicos; aposentados; renda familiar em torno de um salário mínimo e com procedência da Capital, com o predomínio do HAS e DM como causas prevalentes entre eles. Evocaram 200 palavras que foram selecionadas quanto ao núcleo central e periférico. Nas entrevistas narrativas, 30 sujeitos participaram, sendo identificadas sete categorias. Por fim, 45 deles utilizaram as colagens, classificando-as em 13 categorias especificas. Percebemos que os homens, as representações sociais são mais pessimistas e negativas; associaram a HA com suor, o medo e a vista ruim e morte; descreveram que, após o início do tratamento, as limitações impostas pela doença dificultaram a maneira de viver, alegaram mudanças na realização de atividades desenvolvidas anteriormente; associaram as limitações da doença com a falta de liberdade, prisão e fogo. As representações sociais da mulheres foram expressas de maneira mais cautelosa e sentimentalista; associaram a HA com suor; medo e vista ruim e dor; relataram atitudes positivas, o bom convívio com a doença; os aspectos religiosos e os planos futuros como consequências voltadas para enfrentamento da doença e objeto de superação; predominaram imagens compartilhadas sobre as dificuldades na convivência com os novos hábitos alimentares, mas ressaltando o poder de conformidade. Concluímos que há muito a fazer pelos pacientes renais crônicos, bem como pelos profissionais que deles cuidam, pois, conhecendo a singularidade de cada individuo, será possível aplicar os princípios da promoção da saúde com vistas a uma melhor qualidade de vida.
Abstract: The chronic renal disease is considered a progressive pathology and an important public health problem. In Brazil, the number of patients undergoing any of the different dialysis modalities keeps growing. During the dialysis sessions, countless complications may occur, such as arterial hypotension, which occurs in 25% of the sessions. This study was aimed to screen the representation by gender within the chronic renal disease patient population with hypotension episodes during hemodialysis. The study was carried out between March and May 2009, using a descriptive, exploratory, quantitative and qualitative methodology based on the Social Representation Theory. The study was done at a hemodialysis clinic in the City of Fortaleza serving the state-run health service (SUS), over a population of 50 chronic renal patients suffering from arterial hypotension episodes during dialysis. Data were obtained from the patients´ clinical history by a multi-method approach, a free association of words with inducing stimuli, narrative interviews and collages. Data obtained from the clinical histories and from the free association of words were organized in Excel spreadsheets, while the qualitative data, i.e. the interview and collage, were organized by narrative lines (Spink) and the expression technique, respectively. All legal and ethics norms were followed pursuant to Resolution 196/96, which regulates the research on human beings. The results show a dominance of women, an age range of over 60 years, illiterate, married, catholic, retired, patients with a family income of about one minimum wage, residents of the capital city, mainly with HAS and DM as the cause for dialysis. They evoked 200 words, chosen regarding the central core and periphery. 30 patients were interviewed and were classified in 7 categories. Finally, 45 patients used the collage and were classified into 13 categories. We noticed that the social representations are more pessimistic and negative in men. They associated AH to sweating, fear, bad sight and death, and reported that after the initiation of treatment the limitations imposed by the illness made their daily life more difficult. They also reported changes in previously developed activities and associated the illness limitations to a lack of freedom, prison and fire. The social representations of women were expressed in a more cautious and sentimental way. They associated AH to sweating, fear, bad sight and pain. They reported positive attitudes, dealt well with the condition, and mentioned religious aspects and future plans as tools to face and overcome the illness. Shared images related to the difficulties related to the new dietary habits were common, yet highlighting their ability to come to terms with it. We concluded that many things can be done for chronic renal patients as well as for the professionals taking care of them. By knowing the particularities of each individual, it would be possible to apply healthcare promotion principles aimed to improve the patients´ quality of life.
Descrição: OLIVEIRA, Fernanda Celedonio de. Representações sociais de pacientes renais crônicos sobre a hipotensão arterial. 2009. 112 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1752
Aparece nas coleções:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_fcoliveira.pdf1,09 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.