Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17862
Título: Infância e infantil: diferenciação conceitual e repercussões clínicas
Autor(es): CAMPOS, Renata Carvalho
Palavras-chave: Infância
Infantil
Clínica psicanalítica
Data do documento: 2014
Editor: Revista de Psicologia
Citação: CAMPOS, R. C. (2014)
Resumo: A infância compreende o tempo de inscrição dos primeiros traços das experiências no psiquismo. Já o infantil está associado à sexualidade e ao inconsciente, constituindo-­se como marca no psiquismo. Esse artigo compõe parte da pesquisa do mestrado cujo objetivo é investigar os fundamentos da clínica psicanalítica com adultos e crianças tendo o infantil como articulador. Abordamos a diferença conceitual entre infância e infantil, apontando sua relevância teórica, bem como suas repercussões na clínica. Utilizamos, por fim, a noção de neurose infantil como elemento central, que aproxima, na análise, adultos e crianças, tendo em vista, referir-se à estruturação do sujeito.
Descrição: CAMPOS, Renata Carvalho. Infância e infantil: diferenciação conceitual e repercussões clínicas. Revista de Psicologia, Fortaleza, v. 5, n. 1, p. 58-71, jan./jun. 2014.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17862
ISSN: 2179-1740(online)
0102-1222(impresso)
Aparece nas coleções:DPSI - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_art_rccampos.pdf234,35 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.