Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1787
Título: Cumprimento da terapia com antidiabéticos orais em usuários da rede básica de Fortaleza-Ceará
Título em inglês: Therapy compliance with oral antidiabetic drugs in public health system clients from Fortaleza-Ceará
Autor(es): Araújo, Márcio Flávio Moura de
Orientador(es): Damasceno , Marta Maria Coelho
Palavras-chave: Diabetes Mellitus Tipo 2
Hipoglicêmicos
Cooperação do Paciente
Data do documento: 2009
Citação: ARAÚJO, M. F. M. (2009)
Resumo: O não cumprimento do regime medicamentoso, por parte dos usuários com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM 2), é um dos principais problemas encontrados para a manuntenção do equilíbrio glicêmico e, consenquentemente, prevenção das complicações micro e macrovasculares do DM 2. O estágio desse problema e a melhor forma para detectá-lo ainda não estão definidos em Fortaleza-CE e em outras partes do país. Dessa maneira, objetivou-se avaliar o cumprimento da terapia farmacológica de usuários com DM 2 aos antidiabéticos oriais na rede básica de Fortaleza-CE e validar dois métodos indiretos utilizados para medir o cumprimento do tratamento medicamentosos: o teste de Batalla e o teste adaptado de Morisky, Green e Levine e Delgado e Lima (MGLDL). Trata-se de um estudo tranversal e de uma validação de critério. Foram investigados 437 usuários com DM 2, de ambos os sexo, na faixa etária de 18-92 anos de idade, de 12 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBASF), duas unidades de cada uma das seis regiões do município, durante os meses de março a junho de 2009. Nas UBASF foi utilizado um formulário para coleta das informações sociodemográficas, clínicas e medicamentosas. Além disso, foi entregue a cada pesquisado uma embalagem plástica para armazenagem dos antidiabéticos orais prescritos. No domicílio dos sujeitos foram aplicados o Teste de Batalla, o MLGDL e a contagem dos comprimidos armazenados na embalagem plástica disponibilizada. Na determinação do cumprimento do tratamento farmacológico a contagem de comprimidos foi considerado o método padrão ouro. Os dados sofreram tripla digitação e foram armazenados no software SPSS. Na análise dos dados foram calculados estatística descritiva, coficientes de validação, correlação de Spearman e o Alpha de Cronbach. Houve uma maior participação feminina (70,3%), daqueles com idade entre 18-59 anos (41,1%) e dos casados (55,8%). A classe econômica e escolaridade predominates foram a D (47,8%) e o primário incompleto (38,9%). A prevalência de não cumprimento ao tratamento com antidiabéticos orais foi de 74,6; 86,3 e 71,2, segundo os métodos de Batalla, MGLDL e contagem de comprimidos, respectivamente. Em relação ao padrão ouro, o teste MGLDL (66,3%) apresentou uma associação maior de casos de não cumprimento ao regime medicamentoso do que Batalla (p=0,000). Todos os coeficientes de validade do método de MGLDL foram maiores que o de Batalla. O teste MGLDL apresentou uma melhor correlação com a contagem de comprimidos (p<0,001) e exatidão do que o de Batalla (0,646>0,561). Portanto, o teste MGLDL demonstrou ser mais qualificado na detecção de usuários com DM 2 não cumpridores da terapêutica medicamentosa a partir de antidiabéticos orais. É pertinente que o enfermeiro da atenção básica possa conhecer esse método, a fim de identificar usuários com DM 2 não cumpridores e orientá-los na perspectiva de melhorar sua adesão à terapêutica medicamentosa.
Descrição: ARAÚJO, Márcio Flávio Moura. Cumprimento da terapia com antidiabéticos orais em usuários da rede básica de Fortaleza-Ceará. 2009. 107 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1787
Aparece nas coleções:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_mfmaraujo.pdf639,27 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.