Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17955
Título: Viver e interpretar o mundo social: para que serve o ensino da Sociologia?
Autor(es): LAHIRE, Bernard
Palavras-chave: Sociologia
Natureza da sociologia
Cientista e político
Data do documento: 2014
Editor: Revista de Ciências Sociais
Citação: LAHIRE, B. (2014)
Resumo: Responder a questão: “Para que serve o ensino da Sociologia?” implica, desde já, a questão: “Para que serve a Sociologia?” Os quadros de realidades sociais que nos descrevem as Ciências Sociais, em geral, e a Sociologia, em particular, têm, primeiramente, como ambição produzir um conhecimento o mais racional e justo possível do estado do mundo social. Eles podem evidentemente tornar mais conscientes das complexidades e das sutilezas da ordem social das coisas aqueles que esperam por em prática políticas de democratização social, escolar ou cultural ou ainda políticas de redução de desigualdades sociais e econômicas. Seria, no entanto, em vão querer deduzir conhecimentos científicos uma linha ou um programa político bem específico. “Uma ciência empírica – escreveu Max Weber – não seria ensinar a quem quer que fosse o que ele deve fazer, mas somente o que ele pode – e se for o caso – o que ele quer fazer” (M. WEBER, Essais sur la théorie de la science. Paris: Presses Pocket, Agora, 1992, p. 125). Podemos dizer, de maneira metafórica, que a descoberta científica de nosso sistema solar tornou possível muitos progressos tecnológicos, mas nunca ditou a conduta necessária a respeito dessa realidade física (não está inscrito nesse conhecimento a necessidade de ir por o pé na Lua nem mesmo de enviar homens ou animais ao espaço). A respeito da escola, por exemplo, os trabalhos mundialmente conhecidos de Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron sobre as desigualdades sociais em matéria de acesso ao saber ou à cultura (Os herdeiros e a reprodução) deram lugar a interpretações e a “traduções” políticas bem diferentes. Elas são, com efeito, por vezes, inspiradas por linhas reformistas muito pontuais, guiadas pelas ideias segundo as quais seria necessário criar um ensino de “anti-desvantagem”. Para contrariar a reprodução das desigualdades sociais através da Escola, pensou-se que seria necessário compensar as desvantagens sociais de início pelas pedagogias da anti-desvantagem. Seria necessário instalar em todos os níveis de escolaridade, uma pedagogia racional adaptada à recuperação cultural e linguística das crianças oriundas dos meios econômica e culturalmente mais desfavorecidos. A criação na França, nos anos 1980, das Zonas de educação prioritária, fundada na ideia de que seria preciso dar mais (tempo, modos material e humanos, etc) àqueles que têm menos (àqueles menos dotados socialmente), ia nesse sentido...
Descrição: LAHIRE, Bernard. Viver e interpretar o mundo social: para que serve o ensino da Sociologia? Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 45, n. 1, p. 45-61, jan./jun. 2014.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17955
ISSN: 2318-4620
0041-8862
Aparece nas coleções:DCSO - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_art_blahire.pdf131,65 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.