Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18005
Título: A esquerda que não teme dizer seu nome
Autor(es): VARES, Sidnei Ferreira de
Palavras-chave: Filosofia
Música
Vladimir Pinheiro Safatle
Comunismo
Esquerda
Data do documento: 2014
Editor: Revista de Ciências Sociais
Citação: VARES, S. F. (2014)
Resumo: Vladimir Pinheiro Safatle é Doutor em Filosofia pela Universidade de Paris VIII, França. É também professor do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP) e colunista da Folha de São Paulo. Possui uma vasta produção acadêmica, abarcando temas variados como a filosofia de Hegel e de Marx, além de alguns estudos sobre psicanálise e, também, sobre música. Entre os trabalhos publicados pelo autor, destacam-se A paixão do negativo: Lacan e a dialética (Unesp, 2006), Cinismo e falência da crítica (Boitempo, 2008) e Grande Hotel Abismo (Martins Fontes, 2012). Seu trabalho A esquerda que não teme dizer seu nome, publicado pela Editora Três Estrelas, tem 87 páginas, divididas em três capítulos, além, é claro, da introdução e da conclusão. Trata-se, portanto, de um opúsculo, que toma a forma de uma reflexão sobre os rumos da esquerda, em especial da esquerda brasileira, em face das artimanhas ideológicas do capitalismo contemporâneo. Logo na “Introdução”, o filósofo chama a atenção para o fato de que, nos últimos anos, tem-se presenciado certo discurso fatalista que, em nome de um conservadorismo cada vez mais eloqüente e desnudo, defende o “esgotamento do pensamento de esquerda”. Esse discurso, calcado no fracasso dos partidos comunistas no Ocidente, atua em duas frentes, a saber: (a) aquela que alega que a esquerda encarna uma espécie de “autoritarismo mal-disfarçado”, nutrida por uma ânsia de proteção dos mais carentes; (b) aquela, presente entre alguns representantes ressentidos da própria esquerda, que aponta para a necessidade de uma leitura crítica e realista mediante as experiências fracassadas da esquerda e do Estado de Bem-Estar Social. Segundo Safatle, essas duas perspectivas analíticas encontraram no Brasil um campo bastante fértil para sua proliferação e, sobretudo durante os governos de Fernando Henrique Cardoso e de Luís Inácio Lula da Silva, deram vazão à ideia segundo a qual “a divisão esquerda/direita não faz mais sentido”. Visando superar esse tipo de análise, Safatle apresenta, por meio de uma reflexão refinada, as posições que a esquerda, a seu ver, não pode nem deve negociar sob o risco de se perder. Com vistas a alargar as possibilidades da esquerda, o filósofo aponta os dilemas com os quais ela tem que lidar se quiser manter-se firme frente à lógica do capital. Contudo, o autor aposta na força do pensamento e institui a crítica como instrumento eficaz para aquela esquerda que não teme dizer seu nome...
Descrição: VARES, Sidnei Ferreira de. Resenha. A esquerda que não teme dizer seu nome. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 45, n. 1, 2014, p. 293-297. Resenha de: SAFATLE, Vladimir. A esquerda que não teme dizer seu nome. São Paulo: Três Estrelas, 2013. 87p.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18005
ISSN: 2318-4620
0041-8862
Aparece nas coleções:DCSO - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_art_sfvares.pdf65,36 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.