Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18030
Título: Gramática fonológica funcional: o gesto como unidade básica
Autor(es): LIMA JÚNIOR, Ronaldo Mangueira
Palavras-chave: Fonologia
Gesto
Dinamicismo
Data do documento: 2014
Editor: II Encontro sobre Gramática: teoria e prática
Citação: LIMA JÚNIOR, R. M. (2014)
Resumo: A fonologia gestual procura aliar os aspectos (bio)mecânicos e físicos (fonéticos) bem como os linguísticos e cognitivos (fonológicos) em um único modelo, no qual o gesto articulatório opera como unidade básica. Utilizando a Teoria de Sistemas Complexos e Dinâmicos para representação linguística, a fonologia gestual interpreta a sistematização de um número limitado de contrastes sonoros para distinguir palavras como a auto-organização do sistema complexo que é a real possiblidade articulatória, não necessitando, portanto, de uma separação entre o físico e o cognitivo, entre o fonético e o fonológico. O gesto é uma unidade dinâmica de ação articulatória cujos resultados físicos podem ser vistos na movimentação dos articuladores, mas também opera como unidade básica de contraste lexical, tendo tanto uma dimensão abstrata como uma concreta. O gesto tem tanto uma dimensão discreta, quando isolado e limitado temporalmente para fins de análise, como uma dimensão gradiente, caracterizando-se pelos movimentos gradientes e sobrepostos dos articuladores. Além disso, os gestos são dinâmicos e se sobrepõem a outras unidades gestuais na representação de enunciados. A sobreposição dos gestos permite o estudo de fenômenos gradientes, contrastando-se às fonologias tradicionais, cujas unidades de análise são discretas e categóricas. A sobreposição de gestos, juntamente com a diminuição de suas magnitudes, explica, por princípios gerais em vez de regras de mudanças categóricas, fenômenos tradicionalmente tratados como alofonia, variação, assimilação, elisão, apagamento, redução, inserção, etc. Com isso, a possibilidade da sobreposição de gestos significa que uma série de fenômenos fonológicos acontecem automaticamente em vez de terem que ser estipulados por manobras de regras específicas. Diferentemente das regras de fonologias de traço, na fonologia gestual, gestos nunca são apagados ou transformados em outros gestos, e novos gestos nunca são adicionados. Finalmente, a natureza funcional da fonologia gestual exige dados reais, tanto articulatórios como acústicos, como insumo para suas análises.
Descrição: LIMA JÚNIOR, Ronaldo Mangueira. Gramática fonológica funcional: o gesto como unidade básica. In: ENCONTRO SOBRE GRAMÁTICA, 2., 2014, Fortaleza. Anais ... Fortaleza: Grupo GEMD – Grupo de Estudos em Modalidade Deôntica, 2014, p. 88-98.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18030
ISSN: 2316-9583
Aparece nas coleções:DLE - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_eve_rmlimajr.pdf681,04 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.