Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18181
Título: Quem ri de quem na comédia aristofânica? Diceópolis ri de Lâmaco em Acarnenses
Autor(es): POMPEU, Ana Maria César
Palavras-chave: Comédia aristofânica
Gênero cômico
Ignorância
Injustiça
Natureza do ridículo
Data do documento: 2012
Editor: Expressão Gráfica e Editora
Citação: POMPEU, A. M. C. (2012)
Resumo: O objetivo do presente estudo é identificar o ridículo e o seu espectador na comédia aristofânica Acarnenses, que traz uma proposta de poética do gênero cômico, quando se defende da acusação de falar mal da cidade diante de estrangeiros na comédia do ano anterior (Babilônios de 426 a.C.). A comédia também conhece a justiça e tem a missão de ensiná-la aos cidadãos atenienses – é a mensagem do poeta falando através do protagonista Diceópolis (Cidade Justa) e na parábase através do coro de acarnenses. Antes da análise sobre Diceópolis rindo de Lâmaco na peça, faremos uma leitura da proposta de Platão e Aristóteles acerca do ridículo...
Descrição: POMPEU, Ana Maria César. Quem ri de quem na comédia aristofânica? Diceópolis ri de Lâmaco em Acarnenses. In: POMPEU, Ana Maria César; ARAÚJO, Orlando Luiz de; PIRES, Robert Brose. (Orgs.). O riso no mundo antigo. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2012, p. 173-182.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18181
ISBN: 978-85-420-0033-7
Aparece nas coleções:DLE - Capítulos de livro

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_capliv_amcpompeu.pdf195,57 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.