Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18203
Título: Cativos do sertão: a família escrava na freguesia de N. S. do Carmo de Piracuruca, Piauí - (1850-1888)
Título em inglês: The slave family in the parish of N. S. Carmo of Piracuruca , Piauí - ( 1850-1888 )
Autor(es): Oliveira Filho, Francisco Helton de Araújo
Orientador(es): Funes, Eurípedes Antônio
Palavras-chave: Law freedom of wombs
Slave family
Freguesia de Nossa Senhora do Monte do Carmo de Piracuruca (Piauí)
Escravidão no Brasil
Casamento consanguíneo – Brasil - Século XIX
Escravos – Condições sociais
Consanguinidade
Data do documento: 2016
Citação: Oliveira Filho, F. H. A.; Funes, E. A. (2016)
Resumo: Neste trabalho, são analisadas as relações familiares de homens e mulheres escravizados que viveram e trabalharam na região que abrangia a freguesia de N. S. do Carmo de Piracuruca - Piauí, entre 1850 e 1888, fossem elas legitimadas pelas normas religiosa ou consensual, assim, como pelos laços de parentescos ritualísticos formados através do compadrio. Constata-se uma variedade de arranjos familiares constituídos pelos cativos da freguesia de Piracuruca, região com economia voltada para o mercado interno, seja nas pequenas, médias e grandes propriedades. Questões como a organização e estabilidade da vida familiar dos escravos são analisadas. Através dos registros de casamento e batismos, foi possível visualizar diversos tipos de arranjos familiares de homens e mulheres escravizados com pessoas livres e libertas que conviviam e trabalhavam juntos. A leitura dos registros paroquiais e o cruzamento das informações com as listas de classificação de escravos e censos populacionais das freguesias de Piracuruca e Piripiri permitiram extrair dados sobre os diversos tipos de ligações familiares estabelecidas pelos cativos, que apontam para um quadro mais complexo da estrutura familiar escrava, elaborando diferentes estratégias de acordo com os recursos disponíveis, valores e interesses heterogêneos, mobilizando parentes consanguíneos, compadres, vizinhos e companheiros de cativeiro. Foram observadas as implicações da Lei n. 2.040, de 28 de setembro de 1871 – Lei do Ventre Livre, conhecida, também, como Lei Rio Branco - na vida familiar dos escravizadas e nos projetos de liberdade, através da atuação do Fundo de Emancipação e da importância do pecúlio para alcançar a liberdade.
Abstract: This work analyses the familial relations concerning slaved men and women that lived and worked on the region of freguesia of Nossa Senhora do Carmo, in Piracuruca – Piauí. The chronological delimitation of this work is 1850 to 1888, which aims relations legitimated by either religious normative or consensual agreements, also understanding the laces based on rituals, that were established through compadrio. We argued an array of familial arrangements constituted by the slaves of Piracuruca Freguesia, that has its economical activies directed to internal market, either on small, medium or big properties. We addressed issues as the organization and the stability of familial life of slaves. Through marriage and baptism certificates we enlightened a variety of familial arrangements in which slaved men and women worked together with both, free and freed people. The analytical reading of church registers and through the crossed information between classification lists of slaves and population census data showed a social organization more complex on slaved familial formation, that articulated different approaches according to available resources, that included heterogeneous goals and values, mobilization of parentage relations, compadres, neighbors and captive companions. We also observed the consequences of law 2.040, signed in September, 28th, 1871 – also knowed as Law Rio Branco or Law Freedom of Wombs, on familial lives of slaved people and its impact on freedom projects, through the Emancipation Fund and the importance of savings to reach the freedom.
Descrição: OLIVEIRA FILHO, Francisco Helton de Araújo. Cativos do sertão: a família escrava na freguesia de N. S. do Carmo de Piracuruca, Piauí - (1850-1888). 2016. 152f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em História, Fortaleza (CE), 2016.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/18203
Aparece nas coleções:PPGH - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_dis_fhaofilho.pdf1,75 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.