Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1824
Título: Avaliação de tecnologia assistiva para cegos : enfoque na prevenção ao uso de drogas psicoativas
Título em inglês: Evaluation of an assistive technology for blind : focus on prevention of the use os psychoative drugs
Autor(es): Cezario, Kariane Gomes
Orientador(es): Pagliuca , Lorita Marlena Freitag
Palavras-chave: Drogas Ilícitas
Educação em Saúde
Portadores de Deficiência Visual
Data do documento: 2009
Citação: CEZARIO, K. G. (2009)
Resumo: Entre as tecnologias utilizadas em enfermagem tem-se, na assistência à pessoa cega, a tecnologia assistiva (TA). O desenvolvimento e uso deste tipo de tecnologia pode ser uma ferramenta na promoção da saúde e no fornecimento de informações que visem uma melhoria no processo de comunicação em saúde. Estudo anterior desenvolveu uma TA em saúde sobre a prevenção ao uso de drogas psicoativas entre cegos, mediada pelo acesso a distância. Ante a aceitação da TA, decidiu-se por um estudo de aprofundamento e avaliação desta TA por parte de especialistas. Dos diversos modelos, o de Pasquali (1999) apresenta-se como um referencial teórico-metodológico possível para a avaliação de tecnologias, optando-se, neste estudo, por seguir as fases do pólo teórico elaborado por este autor. Desta forma, objetivou-se avaliar a referida TA em alguns pontos, como: aspectos de conteúdo sobre drogas psicoativas; aspectos pedagógicos, relativos à acessibilidade às pessoas cegas; e aspectos técnicos, concernentes às questões do acesso a distância. Trata-se de um estudo de avaliação de tecnologia, descritivo, realizado entre março e setembro de 2009, contando com a infra-estrutura do Laboratório de Comunicação em Saúde da Universidade Federal do Ceará (LabCom_Saúde-UFC). Participaram nove juízes especialistas, no total de três para cada respectiva área de conteúdo sobre drogas, educação especial com ênfase em educação de cegos e acesso a distância. Cada grupo de juízes trabalhou uma etapa e estas foram sucessivas, pois estes profissionais faziam suas avaliações, a pesquisadora promovia os ajustes, os quais, em seguida, eram submetidos novamente à avaliação dos profissionais. Construíram-se três instrumentos de avaliação cujos itens versavam sobre especificidades de cada uma das referidas áreas e seus itens, valorados de um a quatro, assim definidos: adequado, parcialmente adequado, inadequado e não se aplica. Todos os juízes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Sobre as avaliações, as dos especialistas em conteúdo apontaram para a qualidade do conteúdo da TA e eles solicitaram ajustes de correção ortográfica, aprimoramento de alguns conceitos e clarificação de termos técnicos. Quanto aos juízes de aspectos pedagógicos, avaliaram todos os itens como adequados. Apesar disso, sugeriram melhoria nos sintetizadores de voz, ferramentas necessárias à acessibilidade do cego ao computador, e também a inclusão de um áudio convidando os internautas a acessarem a tecnologia. Finalmente, os juízes de aspectos técnicos apontaram a necessidade de inclusão de ferramentas gráficas e de multimídia. Tais sugestões não foram prontamente acatadas por contradizerem de certa forma a literatura referente a aspectos de acesso a distância por pessoas cegas. Diante de todas estas considerações, acredita-se que a TA foi devidamente avaliada como um meio viável e seguro de fornecimento de informações em saúde sobre drogas psicoativas para pessoas cegas. Deste modo, como detalhado, a pessoa cega pode acessá-la individualmente, apreciá-la quando desejar e quantas vezes se fizer necessário. Julgou-se a TA interessante, colaborativa no processo de aprendizagem e ferramenta útil na promoção e comunicação em saúde mediada pelo acesso a distância. As sugestões colaboraram para fortalecer a acessibilidade da referida tecnologia.
Abstract: Technologies for nursing care delivery to blind people include assistive technology (AT). The development and use of this type of technology can be a tool for health promotion and information provision with a view to improving the health communication process. An earlier study developed a health AT on the prevention of psychoactive drugs consumption among blind people, mediated by distance access. As the AT was accepted, the researchers decided to subject it to a deeper expert assessment study. Among different options, Pasquali’s (1999) model is a possible theoretical-methodological reference framework for technology assessment. In this study, the phases of the theoretical pole elaborated by this author will be followed. Thus, the goal was to assess some points of the AT, such as: aspects of content on psychoactive drugs; pedagogical aspects related to accessibility for blind people; and technical aspects related to distance access issues. A descriptive technology assessment research was carried out between March and September 2009, using the infrastructure of the Health Communication Laboratory at Ceará Federal University (LabcomSaúde-UFC). Nine expert judges participated, totalling three for each respective area of content about drugs, special education with emphasis on education for the blind and distance access. Each group of judges worked on one phase, with one phase following the other, as these professionals elaborated their assessments, the researcher made adjustments, which were then resubmitted to the professionals’ assessment. Three assessment instruments were constructed, whose items addressed specificities of each area and its items, with scores ranging from one to four, defined as follows: adequate, partially adequate, inadequate and does not apply. All judges signed the Free and Informed Consent Term. The content experts’ assessments pointed towards the quality of the AT’s content and requested orthographic corrections, improvements in some concepts and clarifications of technical terms. The pedagogical aspect judges considered all aspects as adequate. Nevertheless, they suggested improvements in voice synthesizers, tools needed for the blind to have computer access, as well as the inclusion of audio material, inviting participants to access the technology. Finally, the technical aspect judges indicated the need to include graphic and multimedia tools. These suggestions were not readily accepted because, in a sense, they go against literature on aspects of distance access by blind people. In view of all of these considerations, the AT was properly assessed as a viable and afe means for health information provision about psychoactive drugs to blind people. Thus, as detailed, blind people can access the AT individually, whenever and as many times as they want. The technology was considered interesting, collaborating in the learning process and a useful tool for health promotion and communication mediated by distance access. The suggestions collaborated to strengthen access to this technology.
Descrição: CEZARIO, Kariane Gomes. Avaliação de tecnologia assistiva para cegos: enfoque na prevenção ao uso de drogas psicoativas. 2009. 111 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/1824
Aparece nas coleções:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_kgcezario.pdf1,44 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.